sexta-feira, 15 de outubro de 2021
Esporte

OSCAR VALDEZ VENCE ROBSON CONCEIÇÃO POR PONTOS E MANTÉM CINTURÃO

Baiano não consegue titulo
Da Redação ,  Salvador | 11/09/2021 às 18:21
Robson teria cansado nos rounds finais da luta
Foto: DIV
   Em duelo de invictos realizado nesta sexta-feira (10), na cidade de Tucson, no Arizona (EUA), Robson Conceição foi derrotado pela primeira vez na carreira e adiou o sonho de conquistar um título mundial. Diante de Oscar Valdez, campeão do Conselho Mundial de Boxe (WBC), o brasileiro foi superado por pontos após 12 rounds de intensa troca de golpes.

Apesar de começar melhor, o pugilista baiano, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos na Rio 2016, caiu de rendimento e acabou superado pela experiência e volume de jogo do campeão, que mesmo sangrando caminhou para frente a todo instante, sempre confiante no poder de seus ataques.

Desta forma, o brasileiro perdeu a chance de se tornar o sétimo brasileiro a ostentar um cinturão de uma das quatro principais entidades que regem a modalidade. Éder Jofre, Miguel de Oliveira, Acelino 'Popó', Waldermir 'Sertão', Rose Volante e Patrick Teixeira fazem a lista de nossos campeões.

Aos 32 anos, Robson, primeiro campeão olímpico de boxe do Brasil, agora ostenta um cartel profissional de 16 vitórias e uma derrota. Por sua vez, o mexicano, que contou com a presença do multicampeão Saul 'Canelo' Alvarez na torcida, anotou seu triunfo de número 30, em currículo que segue irretocável.

Vale lembrar que, em 2009, quando ainda competiam como amadores, os atletas mediram forças na Cidade do México, em disputa que foi vencida pelo brasileiro. Após 12 anos, Valdez, por pouco, não viu a oportunidade da revanche ser cancelada.

No mês passado, o mexicano foi flagrado em um exame antidoping pelo uso da substância fentermina. Após negar ter utilizado o produto, Valdez apelou judicialmente e foi liberado a competir após o tribunal entender que a quantidade encontrada do estimulante, de acordo com as normas internacionais, seria proibida apenas caso encontrada dias antes do confronto.

A luta

O primeiro round foi marcado pelo domínio territorial do brasileiro. Caminhando para frente, o atleta atacou com cruzados da curta distância e alternou ataques no corpo e na cabeça, enquanto o campeão, de forma tímida, apostava na potência de seus diretos. Robson 10 x 9 Valdez.

No segundo assalto, Robson aumentou o volume de ataques e rapidamente pressionou o campeão contra as cordas com sequências de até quatro golpes. Com dificuldade de conectar seu jab, o mexicano sofreu com os cruzados de esquerda do desafiante. Robson 20 x 18 Valdez.

A terceira etapa foi mais agressiva. Com dois cruzados que esbarraram na defesa de Robson, o atleta mexicano, enfim, mostrou o poder de seus ataques e encurralou o desafiante nos primeiro segundos. Mas, experiente, o brasileiro usou a área do ringue e administrou a distância e equilibrou com jabs. Vantagem mínima para o mexicano. Robson 29 x 28 Valdez.

Oscar Valdez conseguiu encurtar a distância com mais facilidade no quarto round. No entanto, ao tentar protagonizar uma luta mais aberta e franca, o confiante campeão abriu brechas para ser golpeado por um cauteloso rival, que abusou da precisão de seus jabs para impor sua superioridade na etapa. Robson 39 x 37 Valdez.

A estratégia do campeão olímpico chamou a atenção no quinto assalto. Além de se esquivar com perfeição dos ataques do rival, Robson passou a provocar com a guarda baixa e por vezes olhar para o lado, indicando que os ataques de Valdez estavam longe de atingi-lo. Nova vantagem baseada no volume de ataques. Robson 49 x 46 Valdez.

O sexto round foi dominado pelo mexicano. Dono do centro do ringue, Valdez caminhou para cima sem parar e pressionou o desafiante a todo momento, sempre apostando no poder de seus cruzados e ganchos. Por sua vez, o brasileiro investiu em contragolpes - que não foram suficientes para reverter o resultado. Robson 58 x 56 Valdez.

Na sétima etapa, o ritmo do mexicano fez a diferença. Empurrado pela plateia, Valdez absorveu os ataques de Robson e caminhou para frente. Favorecido pela natural queda de ritmo da disputa, o campeão passou a acertar o corpo do brasileiro com mais facilidade. Robson 67 x 66 Valdez.

Mais cansado, Robson não se encontrou no oitavo round. Com ataques no corpo do brasileiro, Valdez voltou a impor seu domínio e equilibrou a disputa que parecia perdida, para delírio da torcida. Robson 76 x 76 Valdez.

No assalto de número nove, Robson aplicou um golpe na nuca do mexicano e foi punido com um ponto negativo. Para piorar, o brasileiro caminhou muito para trás e não conectou mais seus ataques de encontro. Reviravolta. Robson 84 x 86 Valdez.

Mesmo aparentando mais cansaço, Conceição voltou mais agressivo para a décima etapa e utilizou melhor seus golpes em linha reta. Apesar de cair de rendimento na segunda metade do assalto e ser encurralado contra as grades, o brasileiro abriu um corte do rosto do rival e venceu por vantagem mínima. Robson 94 x 95 Valdez.

Mais cansado, Robson pouco fez no 11º round. Apesar de se esquivar bem dos ataques do oponente, que chegou a acertá-lo com um soco na nuca e foi apenas advertido pelo árbitro, o brasileiro foi muito defensivo e deixou a vantagem da papeleta para o campeão. Robson 103 x 105 Valdez.

De guarda baixa, Robson teve dificuldades de acertar o rosto de Valdez. Durante os últimos três minutos, os clinches marcaram as investidas do desafiante, que a essa altura caminhava para trás e se esquivava dos potentes ataques do rival. Robson 112 x 115 Valdez.