ter�a-feira, 19 de outubro de 2021
Colunistas / Literatura
Rosa de Lima

ROSA DE LIMA recomenda Boni&Amaral, Guia dos Guias, uma preciosidade

Para quem aprecia a boa mesa é um livro indispensável como roteiro
13/07/2014 às 11:15
Há uma extensa literatura sobre gastronomia. Diria até que é um tema que tem virado mania com milhões de pessoas interessadas neste assunto no mundo, não só como consumidoras de pratos da boa mesa, em restaurantes e bistrôs, mas, também, como gourmets interessadas em dominar algumas técnicas da arte culinária. 

  Aquela conversa de dizer que alguém só sabe cozinhar ovos está ficando coisa do passado.

   O que tem de gente, na atualidade, gabando-se que comanda panelas e temperos com algum grau de categoria não está no gibi. De minha parte confesso que sou leiga nesta matéria, apenas apreciadora da boa e saudável comida. Não sou natureba, nem radical. 

   Não me furto, no entanto, de comentar um bom livro sobre o tema culinária como "Boni & Amaral, guia dos guias - Restaurantes 2014" (Editora Casa da Palavra, 330 páginas, RJ) classificados pelos autores em três categorias distintas: os 100 + do mundo, os recomendados e os para ser visto.

   É fácil entender. Nos 100 + do Mundo os dois autores, apreciáveis cozinheiros e com trajetórias e experiências em viagens internacionais de longo curso, José Bonifácio Sobrinho (Boni), ex-diretor da Rede Globo; e Ricardo Amaral, empresário da noite no Rio de Janeiro/São Paulo, do lendário Hipopótamo, revelam os restaurantes mais sofisticados do planeta pela excelência da cozinha, o chef, a qualidade, a criatividade, o apuro na preparação. 

   Entre outros são citados, o Alain Ducasse au Plaza Athénée, o L'Ambroise e o Le Meurice, de Paris;o Akelare, o Martín Berasategui e o Mugaritz, da Espanha; o Vendôme e o Amador, da Alemanha; o Vissani e Dal Pescatore, da Itália; o Gordon Ramsay e o The Ledbury, da Inglaterra; o Esaki e o Hamaday, do Japão; o Chef's Table at Brooklyn Fare e Daniel, dos EUA. À lista completa dos + 100 só comprando o livro.

   Já os recomendados são aqueles que os autores sugerem, ou como o próprio nome diz reomendam aos seus leitores, excelentes restaurantes de várias nacionalidades, pela "maravilhosa comida, por sua originalidade ou pelo conjunto de qualidades". 

   Entre outros, As Tapas de San Sebastian, Casa Urola, La Cepa, Ramon Freixa, da Espanha;o Le Bistrot Paul Bert, La Dame de Pic, La Régalade Dt-Honoré e o bistrô Severo, da França; o Ora d'Aria, Gracco, Antiga Osteria Cera, Quadri e La Speranza, da Itália; o 100 Maneiras e o Vila Joya, de Portugal; o Ciel Bleu, da Holanda; o Steirereck, da Áustria; o Fasano, Jardim de Nápoli, Varanda Grill, Satyrison e Oroboro, do Brasil; o Tegui, da Argentina; o Maiodo e o Borogá, do Peru; o Pujol, do México; o Peter Luger Steakhouse, dos EUA.

   Os para ver e ser visto, segundo os autores, "são pontos de referência onde se pode encontrar um grupo de frequentadores interessantes. Teve uma época, em Salvador, que o antigo Baby Beef do Paes Mendonça, não relacionado neste livro, era o restaurante para ver e ser visto. Hoje, diz-se que esse posto foi ocupado pelo Barbacoa, da Tancredo Neves, mas, com comida apenas mediana.
 
   Na lista de Boni & Amaral estão o Gero, o Dona Onça, Due Cuochi, Rodeio, Paragu, Serafina, Sushi Leblon e Piantela, no Brasil; o Parador La Heulla, no Uruguai; Il Baretto e Ceresio 7, Da Paolino e Taberna Moderna, na Itália; o Zuma e o Scotts, na Inglaterra; o Club 55, Voltaire e La Stresa, na França; o Chateau Marmont, Mr Chow, Minetta Tavern, Lavo, le Cirque, Cipriani Downtown e Nobu, nos Estados Unidos.
O livro em formato comercial 14.5 cm x 22 cm é um primor em artes gráficas. Bem diagramado e impresso em papel couchê com ilustrações de todos os restaurantes citados, dos pratos e dos ambientes, em cada local os autores fazem uma dissertação resumida da comida, do chef, da tradição, da carta de vinhos, o que fica ainda mais entendível para os leitores. 

   E mais: os textos curtos tem graça, humor, informação básica de cada local, endereços, telefones, preços das desgustações, qualidade da adega, reservas, um mini-roteiro de todos os restaurantes.

   Há muitos detalhes no trabalho de Boni & Amaral e isso permite uma leitura ainda mais gostosa de ser feita. Os autores destacam a nova cozinha da Espanha, os relais & chateaus mais glamuroso da França, a quantidade enorme de restaurantes de alta qualidade que há em Paris, uma espécie de capital mãe da gastronomia e os avanços da culinária internacional em várias partes do mundo ocidental, com citações apenas do Japão no Oriente.

   Eu recomendo a compra deste livro. Para quem aprecia a boa mesa é um maná.
​