sexta-feira, 03 de dezembro de 2021
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO SE DELICIA COM BODE FRITO EM DONA MARIA DO BURACO DOCE

Dona Maria do Buraco Doce ou Restaurante Sabor da Terra, Caldas do Jorro, Bahia
12/10/2021 às 18:50
    O bode frito na banha do próprio animal é o prato da gastronomia nordestina baiana mais vendido no balneário Caldas do Jorro. Quando bem preparado é uma delícia de orar aos santos. 

   O bode (cabra) é o rei dos bichos domesticados do Nordeste. Supera o boi (vaca), o carneiro (ovelha) e ganha fácil do porco (porca). Em qualquer bar e restruante do Jorro e do Jorrinho encontra-se esse petisco para tira-gosto com cerveja e/ou para almoçar e jantar.
  
   Bicho de tradição milenar foi o primeiro a ser domesticado pelo 'homo sapiens' na região da Turquia há 10 mil a.C. juntamente com o trigo quando o homem deixou de ser caçador-coletor e passou a se organizar em comunidades agrícolas. 

    Trazido ao Brasil pelos portugueses se adaptou de tal forma ao semiárido da Bahia (e ao Nordeste brasileiro de uma forma geral) que se tornou um bicho-deus salvador da pátria. Resiste à seca e as adversidade, um símbolo.

   E daí para a cozinha como alimento principal de milhares de pessoas foi um pulo. Tornando-se, também, o prato vip dos restaurantes da região.
 
    Por posto, estava tomando banho na bica do Jorrão e refrescando-me com o picolé de Sêo Mário, um senhor de cabelos com fios brancos que vendia esse sabor, e perguntei ao distinto onde poderia comer um bode frito de qualidade no Jorro?
  
   Sem pestanejar disse-me: - Em dona Maria do Buraco Doce. 

   Depois apontou a quadra onde fica o restaurante e lá fomos nós, yo, la señora Bião de Jesus e sua madre Antonia, minha sogra. 

   É perto. Duas quadras depois das bicas. O local tem vários restaurantes e pela indicação adrentei no Sabor da Terra e perguntei ao garçom se estava no dona Maria do Buraco Doce. 
  
   Ele respondeu: - Já entrou no buraco e só precisa sentar-se.
  
   Estava de sunga e uma toalha em volta do pescoço: - Pode ser com esse traje, apontei. 
  
  - Estás num balneário e só não pode de cueca, ressalvou o garçom.

   Então, tomamos assento, vesti uma camisa para não ficar expondo minha exuberante forma física e solicitamos o bendito bode assado para três e gostariamos de conhecer a proprietária da casa.
   
   O garçom - que se chama Gil e é neto de dona Maria - disse que iria caprichar na pedida e comentou que sua avó esteve cedo no restaurante, mas, já tinha voltado para o distrito da Rua Nova, povoado de Cachoeira, onde mora e tudo começou.
   
    Segundo Gil, sua avó tinha um bar e nos finais de semana rolava um forró e foi juntando gente e daí surgiu a idéia do tira-gosto de bodes, e o nome popular passou a ser Maria do Buraco Doce porque era um ponto de encontro agradável. 
   
   Assim, surgiu, no Jorro, o Sabor da Terra, administrado pelos netos de dona Maria cujos filhos e netos também têm uma revenda de automóveis, e tudo junto e misturado virou uma grande negócio.
   
   O Sabor da Terra tem dois ambientes - interno com TV e decoração bem simples; e uma avarandado - externo com cobertura de telhas de cerâmica - sempre com bom público.
   
    Nós ficamos a conversar e sorver umas buds. Impressionante como essa cerveja de origem norte-americana (budweiser) está sendo comercializada no Sertão.
  
     Em instante, retorna Gil à nossa mesa com os pratos (fundos) e os talheres. 

     E, minutos depois com o principal: bode assado em cubos, farofa d'água com cebola, arroz, macarrão colorido, feijão e salada.
   
    Sêo moço: caimos de boca, literalmente. Dona Antonia, de complemento, pediu um carneirinho de ensopado.

    Em determinado momento la senõra Bião pediu gelo para colocar em sua coca e Gil desconversou e disse que iria trazer uma bem geladinha. 

    Después, chic como é, a dita señora solicitou ao distinto Gil que gostaria de ter à mesa azeite de oliva. 
   
    Gil sorriu e disse: - Fico devendo a pedida madame.
   
     Ora, ora...o Sabor da Terra ou dona Maria do Buraco Doce - como queiras - é um restaurante simples - nem cardápio tem e as pedidas são feitas na boca - cuja especialidade é o Mr bode, senhor do reino, soberano do Nordeste.
  
   Orei a gosto e os pedacitos de costeleta do bode fiz como os turcos da era pré Cristo usando as mãos para degustar. Com a bud, uma pimentinha de leve, haja prazer em saborear uma comida caseira, da terra, deliciosa. 

   De resto, ainda dá pra brincar com uns gatinhos que rondam as mesas.
---------------------------------------------------
Restaurante Sabor da Terra
Caldas do Jorro
Av ACM, ao lado da Pousada do Jorro
Fones 75. 99299-7414
           75. 99224.6655
Bode assado para 3 pessoas: R$70,00
Bud long nek R$10,00 unidade
Coca Cola R$5,00
Não cobra 10%
Ambiente arejado
Comida caseira
Classificação 2 DONS