sexta-feira, 03 de dezembro de 2021
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

MARRECO ASSADO COM PURÊ DE MAÇÃ É PRA COLOCAR BLUMENAU NAS ALTURAS

Restruante Moinho do Vale, Blumenau, Santa Catarinha (Ponta Aguda)
06/10/2011 às 01:01
Foto: BJÁ
 
   Antes mesmo de começar a Oktoberfest de Blumenau com desfile das bandas e representações típicas do Vale do Itajai, Santa Catarina, que lembram muito a Baviera natal alemã, terra dos pais e avós de imigrantes brasis, e que se inicia nesta quinta-feria, 6, à noite, a senhora Bião de Jesus, toda prosa, levou-me para conhecer o Moinho do Vale, um dos restaurantes típicos de la belle Blu.

  Blumenau é encantadora por sua organização e civilidade, desde os pontos de táxis com telefones e hora marcada cumpridio a rigor pelos profissionais que prestam esse tipo de serviço, a limpeza das ruas (nem parece que aconteceu uma enchente há 20 dias), à prestação dos serviços, e a parte que me toca, a boa mesa.

   E que beleza de mesa, com uma variedade de comidas impressionante, linguiças de todas espécies, e as cervejas artesanais que só são vendidas aqui. No Moinho de Vento, por excelência, tomamos o chope da Eisenbahk, produzida no vale com 11 variedades e com um sabor de se pedir mais. Claro, foi o que fizemos com muito prazer.

  Neri, o garçom que trabalha há 18 anos no Moinho, para nos agradar fez um combinado de linguiças e farofinha com trozos de porco, e mais mostrarda à gosto e em três variedades, isso só pra começar a conversa
 
  Papo longo, agradável, temperatura amena, o rio Itajai cortando o vale silenciosamente e nós assistindo o passar do tempo como as águas e as histórias de Neri sobre as inundações e a imigração alemã no vale do Itajaí.

  Por sua sugestão, em seguida, abraçamos um marreco assado servido com repolho roxo e purê de maçã de uma textura e sabor divinos.

   Só não foi melhor porque também ficamos sentidos com a passagem de Steeven Jobs, o jovem empresário americano que revolucionou a forma de todos nós falarmos e fazermos nossas operações diárias com um iPhone.

  É a vida e a morte seguindo como o Itajaí em direção ao mar. Que me perdoe o frade Lopez por essa filosofia panchosanchista deste pensador do Moinho do Vale.

  Inspirado e educado, agrada-me ouvir da senhora Bião de Jesus essas referências à minha pessoas sobre essas nuances gastronômicas e poéticas. 

   De mãos dadas, faces coladinhas como dois pombinhos iniciais no amor completamos a noite com com sobremesas de petit gateau com sorvete de creme.

   Noite divina.

--------------------------------------- 
MOINHO DO VALE RESTAURANTE
Rua Porto Rico, 66, Ponte Aguda
Blumenau, SC
Fone 47 3322 3440
www.restaurantemoinhodovale.com.br
Média do prato R$50,00
Chope artesanal R$6,00 a unidade
Taxista: chame César 47 9611 1057