quinta-feira, 21 de outubro de 2021

A NOTA ZERO DA FGV E A BAHIA QUE SONHAMOS, por CEZAR ALMEIDA

Cezar Almeida
07/04/2021 às 10:12
  Imagine que um professor entrou em uma sala de aula e resolveu, sem aviso prévio e sem explicar o assunto, aplicar uma prova para os seus 27 alunos. Entregou as provas e deu quatro horas para responderem. Os alunos começaram a ler e responder a prova, exceto um que não faz nada. Passada uma hora, o professor deu um intervalo de dez minutos para os alunos conversarem entre si e se ajudarem. Todos fizeram isso, exceto um, que continuou não fazendo nada. 

  O intervalo foi repetido mais duas vezes antes do término das quatro horas, quando o professor recolheu, corrigiu e divulgou as notas. Um aluno tirou a nota 5, outros um pouco menos e alguns bem piores. Porém, um único estudante tirou nota zero. É fácil saber quem foi: aquele mesmo que não fez nada e se negou a respondeu a prova. Nota Zero.
 
  Foi praticamente isso o que aconteceu em 2020 com a educação na Bahia. Um estudo da FGV avaliou os programas de educação pública remota dos 26 estados mais o DF durante a pandemia do COVID-19 e demonstrou que o único estado do Brasil que tirou nota zero foi a Bahia. Um desastre. 
 
  Desastre porque a relação entre anos de escolarização e renda é direta e proporcional, quanto mais uma pessoa estuda, mais ela tem oportunidades profissionais e cresce na carreira. A falta de um plano de educação a distância para os jovens das escolas estaduais da Bahia em 2020 vai impactar toda uma geração, aumentado as desigualdades e diminuindo as oportunidades. 

  Desastre porque o que era ruim, uma vez que já somos um dos piores estados do Brasil em indicadores como desemprego, renda, pobreza e mesmo nos índices de educação, vai ficar ainda pior, com jovens que podem ter perdido a motivação para estudar depois de tanto tempo sem aula.
 
Por conta principalmente disso, tivemos um ano difícil na Junior Achievement Bahia. Somos uma instituição global sem fins lucrativos que conta com o patrocínio da iniciativa privada e o apoio de voluntários para levar o ensino de empreendedorismo, educação financeira e preparação para o mercado de trabalho para alunos de escolas públicas. Mais de 5 milhões de jovens no Brasil já passaram por nossos programas, sendo mais de 70 mil na Bahia, porém em 2020 formamos apenas 651 jovens no estado. Um resultado difícil, que nos levou a reinvenção de nossa atuação para mudarmos o quadro em 2021.
  
Assumimos uma meta na JA de atingir 10 mil alunos neste ano, porque não aceitamos repetir o resultado de 2020. Nossos jovens são o nosso futuro e merecem todo o esforço que pudermos para que eles possam ter as oportunidades que merecem e ajudem a construir a Bahia que sonhamos. Precisamos acordar deste pesadelo, não podemos mais tirar nota zero.