quarta-feira, 14 de abril de 2021
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

BAHIA PERDEU NA ARGENTINA E DEU ADEUS À SUL-AMERICANA 1x0

ZédeJesusBarrêto comenta que o Bahia não teve competência para fazer gol
16/12/2020 às 09:38
 Com um gol no final, o Defensa Y Justícia venceu o Bahia e eliminou o campeão baiano da Copa Sul-Americana. O Tricolor, que precisava de dois gols para se classificar, até jogou bem, sobretudo na primeira etapa, criou boas chances de gol mas desperdiçou todas. Abusou de perder gols. Não fez um sequer. Faltou talento, qualidade, competência ofensiva.

  Enfim, uma equipe frágil na defesa e inapetente no ataque. Esse é o Bahia de Mano Menezes, de Bellintani...  neste ano de coronga. Vai ter de correr muito pra não cair (Deus livre e guarde) para a segundona.  É a real.   
*
 Estádio Norberto Tomaghello, em Florência Varela, na Grande Buenos Aires.

 O time argentino não entrou atrás, pra garantir o resultado, apesar da vantagem (os 3 x 2 feitos na Fonte Nova). Foi pra cima, tentando surpreender e definir. O Bahia começou tímido, cauteloso, sem se expor, mesmo precisando ganhar, fazer gols. Jogo aberto, mas cadenciado.

 O primeiro chute baiano no gol dos argentinos foi de Nino, aos 10’, sem direção. Logo depois, Elber bateu de longe, o goleiro rebateu. Na sequência, Rius tentou uma meia-bicicleta, assustando. Sempre perigosos nos contragolpes. Aos 23’, numa bola alçada na direção da linha de fundo, o goleiro Douglas saiu mal e quase complicou tudo. Insegurança. 

  O Tricolor até chega, mas não finaliza bem. Aos 24’, após boa jogada de Gregore, o colombiano Indio Ramirez bateu de virada, pelo alto, com algum perigo. O tempo ia passando e o relógio favorecia o Defensa Y Justicia.  

  Aos 32’, depois de boa arrancada de Indio Ramirez, Élber dividiu com o goleiro e tirou o pezinho, na sobra quase Gilberto fez.  Foi a melhor chance até então.  Era um Tricolor ofensivo, tentando, mas faltava o craque, aquele que define. Aos 36’, Capixaba arrancou pelo lado esquerdo e bateu cruzado... ninguém chegou para concluir. Aos 43’, boa jogada de Capixaba, Rossi na pequena área perdeu o gol duas vezes; deu goleiro e trave e zagueiro em cima da linha salvando. 
 *
 O Bahia foi melhor na primeira etapa, sem dúvida, porque jogou bem mais próximo da área adversária a maior parte do tempo, criou boas chances de golear e perdeu (uma incrível com Rossi, no final), por incompetência. O time argentino chegou pouco, defendeu-se como pode. Pelo volume de jogo do Bahia, dava alguma esperança, ainda. Bastavam dois gols, apenas ! E perdemos uns três na primeira etapa.
 *
  No mesmo ritmo, logo aos 3’ da segunda etapa Élber foi lançado em profundidade, entrou de cara com o goleiro e perdeu. Outra chance desperdiçada.  O ataque (Elber, Rossi e Gilberto) abusa de perder gols.
  Daí, o Tricolor precisava e foi todo para frente. Assim, abriu-se ao contragolpe dos argentinos e a partida entrou num período arriscado. Era preciso fazer e não tomar gols. Mas, cadê ?  
  O treinador Crespo trocou três, pôs mais força, fôlego novo, tentando surpreender e, sobretudo, com o objetivo de segurar o ímpeto baiano.  Mano tirou Élber (correu, correu e desperdiçou) e colocou Claysson. 
 Aos 15’, Rossi enfiou para Gilberto, na área; o chute saiu forte e raspou o poste. Na sequência, quase B. Romero abriu o placar para os donos da casa, numa bomba de esquerda; Douglas salvou. Aos 18’, Gilberto e Rossi tentaram mais uma vez, sem êxito. 
  Depois dos 25’, após uma falta recebida, Rossi pediu falta, queria a marcação de um pênalti, reclamou, fez gesto obsceno para a arbitragem (o VAR) e foi expulso. Piorou. O Bahia então com um atleta a menos em campo e precisando vencer com dois gols de diferença. Quanta irresponsabilidade !
  Cinco minutos depois, Acevedo levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. As duas equipes, assim, ficaram com 10 atletas em campo. 
  Aos 30’, Mano Menezes retirou Ronaldo (apoiador) e colocou Gabriel Novaes (centroavante), na intenção de pressionar na frente, de buscar o resultado, já no desespero, no ‘tudo ou nada’, o tempo passando... Logo depois, Zeca, Daniel e Rodriguinho em campo; saíram Nino, Gilberto e Indio Ramirez.  Nada aconteceu.  Só piorou... 
 - Aos 43’, a nossa defesa aberta, num contragolpe rápido Romero recebeu de Bou, que meteu por baixo das pernas de Juninho, e, de cara, não perdoou.  Defensa Y Justícia 1 x 0 Bahia. Justo. Acabou-se o sonho!
  No placar agregado, 4 x 2 para os argentinos. 
*
Escalações 
- Bahia (camisetas brancas) : Douglas, Nino, Ernando, Juninho e Capixaba; Gregore, Ronaldo; Rossi, índio Ramirez e Elber; Gilberto. Treinador, Mano Menezes. 
- Defensa Y Justicia (verde e amarelo): Unsain, Frias, Britez, Peredes e Martínez; Acevedo, Larralde e Pizzini; B. Romero, Isnaldo e Rius. Treinador, Crespo.
Arbitragem de Heber Aquino, do Paraguai.
**
  O Tricolor volta a campo domingo, às 18h15, pelo Brasileirão Série A; no Maracanã/RJ, contra o poderoso Flamengo. Dá pra encarar ?   
*
  E pela Libertadores, a meninada do Santos surpreendeu o cascudo time do Grêmio, na Vila Belmiro; enfiou 4 x 1 e continua na competição. Os gaúchos fora. 
 ** 
 Campions League  
 Já definidos os confrontos das oitavas de final da maior e melhor competição de clubes do planeta. Os jogos serão disputados nos meses de fevereiro e março 2021.
 - Manchester City x Borússia M’gladbach; Bayern Munique x Lazio; Chelsea x Atlético de Madri; Liverpool x R B Leipzig; Juventus x Porto; Borússia Dortmund x Sevilla; Real Madrid x Atalanta e, por fim, o duelo mais esperado: PSG x Barcelona
**