quinta-feira, 13 de agosto de 2020
Turismo

Palácio da Sé reabre e conta a história da Igreja Católica no Brasil

Solenidade dia 5 de dezembro
Da Redação , Salvador | 02/12/2019 às 22:03
Reinauguração dia 6 de dezembro
Foto: Pascom

A imponência do antigo Palácio Arquiepiscopal da Sé, morada de bispos e arcebispos, e também Centro Administrativo e Pastoral da Igreja Católica no Brasil por mais de 100 anos, voltará a fazer parte da vida da capital baiana. Depois de duas décadas fechado, o Palácio da Sé, localizado no Centro Histórico de Salvador, reabrirá suas portas no próximo dia 06 de dezembro, às 18h, para contar os quase quinhentos anos da história da Igreja Católica no Brasil; história esta que se confunde com o processo de ocupação e colonização do país, e da formação de nosso povo.

O prédio, construído do século XVIII, e reconhecido como patrimônio do povo brasileiro, agora restaurado, será transformado em um Centro de Referência da História da Igreja Católica no Brasil e abrigará exposições permanente e eventual, estabelecendo uma nova área social e cultural na cidade, contribuindo assim para o fortalecimento da revitalização do Centro Histórico de Salvador. “O Palácio da Sé é uma referência na história da Igreja de Salvador, afinal desde o começo do século XVIII ele serviu aos bispos, serviu a vários arcebispos e foi também um centro da pastoral da Arquidiocese. A sua restauração é uma homenagem que nós prestamos à Arquidiocese e, particularmente, à Bahia porquê desse Palácio saíram determinações, ordens e também orientações pastorais para todo o Estado da Bahia”, afirma o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger.

O processo de restauração durou cinco anos, sob o comando do IDH (Instituto do Desenvolvimento Humano) e, por último, pelo padre Abel Pinheiro, presidente do Centro Cultural Palácio da Sé. “Foi um trabalho exaustivo, mas o cansaço do árduo trabalho se transforma em imensa alegria ao ver este grande patrimônio voltar a ficar à disposição do nosso povo”, disse o padre Abel. Neste período, padre Abel, auxiliado pelo padre Luís Simões, contou com uma equipe de voluntários, referências nas suas atividades, como o engenheiro Thales Azevedo, o arquiteto Luiz Humberto Carvalho e a engenheira Ângela Márcia Andrade, entre outros.

No térreo do Palácio, haverá uma área disponível para exposições itinerantes e realização de eventos corporativos, permitindo a sustentabilidade do local. O espaço será inaugurado com uma exposição de presépios da coleção particular do engenheiro e arquiteto Celso Basto de Oliva. Este acervo começou a ser montado em 1948, pelo seu pai, que mantinha a tradição em montar presépios e decorava-os utilizando diversos materiais, entre eles: papel, panos, vela, terracota, cristal e pedra-sabão. Haverá ainda uma exposição de móveis dos séculos XVII e XVIII com curadoria do antiquário Sérgio Caloula.

O primeiro pavimento do Palácio contará com a exposição permanente “A Igreja e a formação do Brasil”, composta de acervo próprio e bens históricos remanescentes de outros prédios religiosos, como a antiga Catedral da Sé, que fora demolida em 1933 para dar lugar a atual Praça da Sé. 

Também haverá a sala do Laboratório de Conservação e Restauração Reitor Eugênio Veiga (LEV), que irá expor importantes documentos históricos restaurados. O laboratório, que atualmente se encontra na Universidade Católica do Salvador (UCSal) – Campus da Federação, tem como missão restaurar, preservar, pesquisar e difundir o acervo documental da Igreja Católica no Brasil. O acervo conta com mais de 16 mil documentos, entre os restaurados e não restaurados. 

Já no segundo pavimento funcionará o Centro Administrativo da Arquidiocese de São Salvador da Bahia.  Nesta área o prédio conta no seu acervo permanente o arcaz da antiga Igreja da Sé, a galeria dos Bispos e Arcebispos da Bahia e Primazes do Brasil e haverá um espaço especialmente dedicado ao Arcebispo Sebastião Monteiro da Vide, responsável pela construção do Palácio. Além disso, no local acontecerão atendimentos e audiências do arcebispo, bem como secretarias da administração da Arquidiocese, uma capela episcopal, uma biblioteca e uma sala de conferência. “Que Deus abençoe este momento de reabertura do Palácio da Sé, para que ele continue servindo não só a Igreja, mas a toda a sociedade baiana e brasileira”, assevera Dom Murilo.

SERVIÇO
QUEM: Arquidiocese de Salvador
O QUÊ: Reabertura do Palácio da Sé
QUANDO: 6 de dezembro de 2019, às 18h
ONDE: Palácio da Sé, Praça da Sé – Centro Histórico de Salvador