quarta-feira, 27 de outubro de 2021
Tecnologia

ESTREIA NAS REDES SOCIAIS SÉRIE EDUCATIVA SOBRE AUDIOVISUAL INDÍGENA

A live de estreia contará com a participação de Takumã Kuikuro, Márcio D’Ólne, Carla Milani, Olinda Tupinambá, Ana Kariri e Alberto Álvares
Patrick Cavalcante , Salvador | 09/07/2021 às 12:02
Estreia nas redes sociais série educativa sobre audiovisual indígena
Foto: Divulgação

A série “Audiovisual nas Aldeias” tem sua estreia nesta sexta, dia 09, às 18h, no canal do evento no YouTube. A live de estreia contará com a participação de Takumã Kuikuro, Márcio D’Ólne, Carla Milani, Olinda Tupinambá, Ana Kariri e Alberto Álvares, os(as) quais falarão sobre os assuntos abordados por eles na série. 


Sua 1ª temporada “Epyak Enub Etá Anama”, que significa “Ver Ouvir Muitos Parentes” (em uma possível tradução da língua Tupi), é composta por 14 episódios acerca da relação do audiovisual com as histórias e culturas indígenas, entre entrevistas, vídeo-aulas e relatos de experiência, e teve participação de indígenas e não indígenas dos estados da Bahia, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Maranhão, Goiás, São Paulo, Roraima, Pará, Minas Gerais e Pernambuco, envolvendo os povos índigenas Tupinambá de Olivença, Kuikuro, Makuxi, Pankararu, Tapajó, Guarani, Guarani-Ñandeva, Terena, Pataxó Hã Hã Hãe e Kariri. 


O evento é apoiado pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) do Governo do Estado da Bahia / Programa Aldir Blanc Bahia, através de recursos da Lei Aldir Blanc, gerenciada pela Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo do Governo Federal. 


A série também teve apoio inicial da FUNCEB/Secult-BA, através da 8ª Edição do Calendário das Artes, como também da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), através do projeto “O audiovisual nas aldeias” coordenado por Marlúcia Mendes da Rocha, com a colaboração de Casé Angatu Xucurú Tupinambá e Elinaldo Silva dos Santos, um projeto de Arte-Educação que tem o intuito de promover formações, através da arte, para o aprimoramento de práticas relacionadas ao fazer audiovisual e no desenvolvimento de uma consciência crítica para com as questões referentes às realidades indígenas.  


O evento de estreia da série é uma produção da Tigresa Filmes, sob a coordenação de Patrick Cavalcante, e será traduzido em Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Para conferir as redes do evento acesse: <https://linktr.ee/audiovisualnasaldeias>.