segunda-feira, 30 de mar?o de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

VEJA desempenho de cada deputado escolhido destaque na ALBA

O que teria acontecido para que os novatos fossem escolhidos destaques? Leia nosso comentário.
26/11/2015 às 07:39
  Os jornalistas que fazem a cobertura da Assembleia Legislativa escolheram ontem os destaques 2015 da legislatura, por sinal uma das mais fracas dos últimos anos. Na seleção, o veterano presidente da Casa, Marcelo Nilo e os novatos Luciano Ribeiro, lider do DEM; Pablo Barrozo (DEM), Hildécio Meireles (PMDB) e Alex da Piatã (PMDB). 

   Considerando-se que o presidente da Casa é um magistrado, os jornalistas apontaram como destaques 3 deputados da bancada da oposição (Luciano, Pablo e Hildécio) e um da base governista (Alex da Piatã), o qual embora seja do PMDB defende e vota com o governo.

   O que teria acontecido de seleção tão atípica, pela primeira vez na história do prémio, de deputados em primeiro mandato na primeira legislatura do quadriênio, serem escolhidos destaques?

   Justifica-se, em primeira análise, o fato de que os parlamentares mais antigos se acomodaram em suas trajetórias, salvo exceções, a bancada do PT que é a maior envelheceu, se encastelou, e a base governista, embora ampla, em boa parte diz mais amém do que qualquer outra coisa. 

   No segundo plano tivemos, em 2015, um ano de poucos debates na Assembleia, quer porque o Poder Executivo praticamente não enviou projetos no primeiro semestre e agora, quando o faz, usa a mesma estratégia dos governos Wagner de enviá-los no regime de urgência, o que anula boa parte dos debates, com aprovações no chamado 'rolo compressor'.

   Então, os lideres das bancadas da Maioria (governo) deputado Zé Neto (PT) e da Minoria (oposição) deputado Sandro Régis (DEM) tiveram seus trabalhos reduzidos na essência dos debates e isso fez com que, os deputados novatos mais preparados, mais ousados, aparecessem aos olhos da midia. 

   E não foram só os escolhidos, mas, outros como Alex Lima (PTN), Luciano Simões Filho (PMDB), Eduardo Salles (PP), Zo (PCdoB), Fabíola Mansur (PSB) e veteranos como Adolfo Viana (PSDB), Zé de Arimatéia (PRB), Adolfo Menezes (PSD), Luiza Maia (PT), Carlos Geilson (PSDB), Rosemberg Pinto (PT), Joseildo Ramos (PT), Marcelino Galo (PT) e Alan Sanches.

   O deputado Rosemberg Pinto, líder do PT, por exemplo, fez um bom trabalho no plenário e nas comissões, exerceu em parte o papel de lider da bancada da Maioria, mas não é visto com bons olhos pelos jornalistas porque é um crítico mordaz da imprensa livre. A deputada Luiza Maia, a qual já foi destaque noutras oportunidades, enveredou por um discurso feminista, de uma tecla só, e num suposto complô internacional para derrubar o governo do PT no país.

   O deputado Alan Sanches, o qual foi destaque ano passado, está em fase de transição da base para a oposição e isso atrapalhou sua atuação na observação dos jornalistas. Outro parlamenar, bom de tribuna, mas longe dela em 2015, Joseildo Ramos (PT) trabalhou muito na CCG, porém, creio, isso não foi bem analisado pela midia. O mesmo acontecendo com Zé de Arimatéia.

   Os destaques, embora novatos, chegaram a Assembleia mais focados. 

   O melhor deles e por isso o mais votado, deputado Luciano Ribeiro, vem de uma experiência como prefeito de Caculé e centrou seu mandato na defesa da autonima do Poder Legislativo, discurso perfeito para parlamentar de oposição, numa Casa que vota sempre com o governo às vezes sem que a base da maioria analise o que está votando. Bom orador e falando sempre na tribuna com dados, informações, contexto, desde o primeiro semestre já era destaque.

   O deputado Pablo Barrozo se destacou - também na oposição - por ser um dos críticos mais mordazes do governador Rui Costa, batendo sempre na veia do governo. Parlamente com base maior em Barreiras, mas, muito ligado a ACM Neto, eventualmente substituiu o líder Sandro Régis e se firmou como uma voz muito firme e dura contra o governo.

   Já o deputado Hildécio Meireles (PMDB) só veio deslanchar aos olhos da imprensa no segundo semestre deste ano. No primeiro foi mais discreto, embora, sempre bastante condizente com o que se expressava na tribuna. Representantes do Baixo Sul atuou bastante na defesa desta região e na decadente situação turística e também centrou sua atuação, numa forma mais ampla, num tema corriqueiro mas que sempre dá Ibope, um novo Pacto Federativo com uma melhor distribuição de recursos para os municípios. Discurso que se encaixa como uma luva nessa época de vacas magras para os município.

   O deputado Alex da Piatã (PMDB, mas da base governista) representante da Região do Sisal com base maior em Coité atuou em várias frentes em defesa dos municípios, se virou nos trinta, apreentou vários projetos em defesa dos municípios incluindo uma extensão dos benefícios do Planserv para todos os municípios, atuou na defesa regional dos vaqueiros e da melhoria de condições das estradas na sua região, fez um lobizinho entre os jornalistas, e ainda assim, com méritos, tornou-se destaque. Alex da Piatã também usa bem a tribuna da Casa e atua nas comissões.

   É isso, no final do ano, faremos uma análise geral da atuação de todos os parlamentares na Assembleia (TF).