sexta-feira, 18 de setembro de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

PREFEITO SERRINHA elege deputado pelo PT e prepara o sucessor em 2016

Esse é nosso comentário
11/10/2014 às 11:45
  1. O prefeito de Serrinha, Osni Cardoso (PT), conseguiu um feito e tanto ao eleger o seu vice-prefeito Givaldo da Silva Lopes (Gika) com 43.890 votos entre os deputados estaduais do PT numa legenda bastante disputada e à frente ou emparelhados com figuras tradicionais do petismo baianao - Luiza Maia, Bira Coroa, Marcelino Galo e Joseildo Ramos. 

   2. Gika é uma personalidade completamente desconhecida no âmbito do PT, integrava em Serrinha o PSB da senadora Lidice da Mata, porém, foi cooptado por Osni na sua re-eleição, em 2012, para integrar sua chapa e reforçar o seu nome na zona rural. 

   3. Deu certo: Osni foi re-eleito e já na condição de vice, Osni filiou-o ao PT, mesmo que não fosse um militante da causa petista (é empresário do ramo de pneus) visando não só levá-lo a Assembleia, como o fez, mas, sobretudo para prepará-lo para sua sucessão, em 2016. O PT não tem nomes "puros-sangues" para essa empreitada e Osni viu em Gika uma boa solução, amigo fraternal, sem atritos internos dentro das inúmeras correntes petistas, e pronto para essa missão.

   4. Dificilmente Gika terá uma boa atuação parlamentar em plenário e nas comissões temáticas da Assembleia dada á sua condição de neófito em política e porque a Casa tem nomes da base governista bastante experientes para essas tarefas. Deverá ser um deputado mais para votar nos projetos do governo Rui Costa (PT) e atuar nos bastidores da política com emendas e projetos que possam beneficiar Serrinha e onde foi votado (teve 1.360 votos no Araci).
 
   5. Óbvio que essa posição de Gika e outros ainda dependerá da eleição presidencial do segundo turno. Em sendo Dilma a presidente isso facilitará e muito as vidas de Osni e Gika; em sendo Aécio presidente o quadro se modifica, o governo estadual terá mais dificuldades e, portanto, refletirá na dupla Osni-Gika. 

   6. Vale observar, ainda, que o potencial candidato a prefeito de Serrinha pelo DEM, Adriano Silva Lima, filho do prefeito Zé Valdo, embora não tenha sido eleito deputado estadual teve uma votação expresssiva na última eleição com 10.548 votos. Ora, levando-se em consideração que Gika tinha apoio do prefeito e dos outros grupos politicos de Serrinha - Ferreirinha, Vardinho e Plínio Carneiro - sua votação com 13.598 votos não foi tão distante da de Adriano. 

   7. Voltando então à eleição presidencial, caso Aécio ganhe o pleito, a tendência é fortalecer a aliança PSDB/DEM/PMDB/PTN na Bahia e aí Adriano ficará forte a ponto de disputar com competividade com o candidato petista, posto aqui Gika ou outro. Caso Dilma ganhe aí as chances do PT são bem maiores. 

   8. Em Serrinha, para 2016, dificilmente surgirão novos nomes que possam entrar nessa competição. Em tese, um deles seria da presidente da Câmara de Vereadores, Edylene Ferreira (originalmente eleita pelo PV) com apoio do ex-prefeito Ferreirinha, os quais, nesta eleição apoiaram João Bacelar (PR) para deputado federal; um outro seria de alguém ligado a Plínio Carneiro da Silva, ex-deputado, conselheiro aposentado do TCM, o qual apoiou Fernando Torres e está ligado ao PSD de Otto Alencar; Wardinho Serra apoiou Luiz Argolo, mas, atua nos bastidores; e Lulú do Gás já viu que o ramo dele é empresarial e não político.

   9. Hoje, todos esses nomes estão no guarda-chuva de Osni, mas, eleições municipais são diferenciadas e podem ter dissidências. Do outro lado, sozinho, está Adriano Lima. Como a política depende das nuvens, os ventos sopram as nuvens de acordo com muitas conveniências, tem que se esperar a eleição presidencial para se ter uma melhor ideia do que poderá acontecer.

   10. Mas, em tese, hoje, postos estariam para 2016, em Serrinha, a disputa entre Gika (PT) x Adriano (DEM).
                                                                     ******