quarta-feira, 19 de junho de 2019
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

BOSLONARO DIZ QUE PT GOSTA DE POBRE: Bahia é exemplo dessa politica

Há 12 anos o PT vem mantendo a política de ajudar os pobres e mantendo-os em sua órbita eleitoral com sucesso, mas, a Bahia está estagnada
02/06/2019 às 19:38
MIUDINHAS GLOBAIS:
 
   1. O presidente Jair Bolsonaro polemizou ao dizer que deve vetar a emenda que reintroduz o direito de despachar gratuitamente bagagem de até 23kg em voos domésticos e internacionais, previsto na Medida Provisória (MP) 863/2018. Ao ressaltar que o destaque posto no texto no Congresso foi proposto pelo PT, Bolsonaro declarou que não vetaria apenas por ser uma proposta petista, mas associou a gratuidade ao partido. "Eles gostam de pobre. (Para eles) quanto mais pobre melhor", afirmou, durante a transmissão semanal ao vivo, em sua página no Facebook.

   2. Aos olhos da politica a declaração de Bolsonaro é correta na medida em que o PT trabalha mais para a população pobre, e isso foi revelado nos governos Lula/Dilma e também na Bahia, desde 2007, mas, mantendo a pobreza com alguns avanços no campo social e até educacional, com o Fies, sem deixar que ela alcance patamares mais elevados. Na Bahia, por exemplo, se pratica esse método há 12 anos, oferecendo mais saúde, mais água, mais cisternas, sem, contudo, a execução de um programa de desenvolvimento.

   3. Mais recentemente o governador Rui Costa (PT) que colocou a educação como prioridade no seu primeiro governo, sem grandes avanços, disse que agora vai cuidar mais da economia, da geração de empregos, o que representa uma mudança significativa se isso ocorrer. 

   4. A Bahia, salvo os projetos das eólicas e o avanço do agronegócio no Oeste, este da iniciativa privada, estacionou no tempo e ainda vive com a matriz da petroquimica dos anos 1970, donde aliás sairam Rui e Wagner, do sindicalismo, e precisa encontrar um novo caminho.

   5. Os governos do PT (Wagner e Rui) são mestres no socialismo assistencial, de ajudar os pobres, mantendo-os em sua órbita com programas na agricultura familiar, de bolsas de toda natureza, de assistência médica (importante e o melhor programa do governo Rui) com policlinicas e hospitais, recuperação de estradas, educação universalizada de nível razoável, e a mobilidade urbana em Salvador. 

   6. Com isso o partido tem obtido resultados eleitorais admiráveis, tanto que reelegeu Wagner no primeiro turno, o mesmo acontecendo com Rui em dois mandatos, e segue nesse ritmo.

   7. Em termos de programas tecnológicos da quarta geração da IA nada, quase zero, e o Centro Tecnológico da Paralela é um fiasco, tanto que as áreas reservadas às futuras empresas, como elas não vieram, viraram um matagal. E os tais projetos estruturantes da Fiol e Porto Sul nunca sairam do papel. Vale ainda observar que as gestões petistas, comunistas (PCdoB) e socialistas (PSB) no interior da Bahia seguem esse modelo de ajudar os pobres, o que, tem seus méritos, mas, não avança. 
                                                                         *****
   8. O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Nelson Leal (PP), defendeu uma mudança na matriz econômica da Bahia, como forma de solidificar o desenvolvimento socioeconômico do Estado, assegurando emprego, renda e qualidade de vida aos baianos de maneira mais equânime.

   9. “O governo do Estado tem buscado atrair empresas e investimentos estrangeiros, o que tem sido fundamental para o crescimento da Bahia. Mas é essencial, também, a industrialização do interior, notadamente do semiárido baiano, que corresponde a 2/3 do nosso território”, defendeu. Para o chefe do Legislativo estadual, é necessário descentralizar os investimentos, que mantêm ainda um recorte específico para a capital. 

   10. “Entendo ser importante mudar a nossa matriz econômica, levar indústrias para o interior, novos investimentos públicos e privados, observando a vocação econômica de cada município e região. Dessa maneira, sem dúvida, estaremos garantindo, de forma mais equânime, desenvolvimento socioeconômico a nossa gente, como emprego, renda e qualidade de vida”, destacou, o parlamentar pepista.

   11. A aposta de Nelson Leal foi feita na cidade de Macaúbas, na noite deste sábado (1º), localizada no Território de Identidade Bacia do Paramirim, a 700 quilômetros de Salvador, com 51 mil habitantes, e que celebra a abertura oficial dos festejos juninos. Macaúbas vive um canteiro de obras, com 34 ruas sendo pavimentadas.

    12. Acompanhado do secretário estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur), deputado federal Sérgio Brito (PSD-BA), do prefeito Amélio Costa Júnior (PT), vereadores e lideranças políticas locais, o presidente da Alba participou da entrega da Miniusina Móvel de Asfalto ao município e da inauguração da Rua Urbino Francisco Pereira.

    13. A via pública tem um quilômetro de extensão, toda pavimentada, dotada de acessibilidade, com rampas e pista táctil para deficiente visual. A obra contou com recursos de emenda integral do deputado Nelson Leal, Sedur, Conder e Desenbahia.

   14. A Miniusina Móvel de Asfalto, que custou R$ 1,1 milhão, tem tecnologia 100% norte-americana. Foi adquirida com recursos de emenda parlamentar do deputado federal Sérgio Brito. Titular da Sedur salientou, durante o ato de entrega, para uma imensa platéia de moradores, que apenas 10 municípios do Norte e Nordeste do país dispõem do equipamento.

   15. Dessas 10 máquinas, seis foram adquiridas e entregues a municípios baianos a partir de emendas de seu mandato. O pessedista ressaltou os vários benefícios que o equipamento trará à gestão e à população da cidade, especialmente com o barateamento dos custos de obras de pavimentação. 
                                                                  *****
   16. Nesta segunda-feira, 03, às 9 horas, na Sala Herculano Menezes, realiza-se na Assembleia Legislativa (ALBA) uma Audiência Pública com o tema: “Precarização do trabalho e Terceirização na Saúde” requerida pela Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública, proposta pelo deputado estadual Hilton Coelho (PSOL) a pedido do Fórum de Sindicatos de Saúde.

   17. O Fórum é composto pelo Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia (SEEB), Sindicato dos Nutricionistas do Estado da Bahia (SindNut), Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Radiologia do Estado da Bahia (Sindimagem) e Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado da Bahia (Sinfito-BA). O objetivo é debater e denunciar a falta de proteção às trabalhadoras e trabalhadores, a precarização do trabalho e exploração que a terceirização proporciona.

   18. Uma cidade já não tão mocinha assim, Irecê comemorou nesta sexta-feira (31) 86 anos de emancipação política, e o melhor, com novo visual. As obras estruturantes que o prefeito Elmo Vaz (PSB) está promovendo no município culminaram com a inauguração da Praça Dr. Mário Dourado Sobrinho (a Praça do Banco do Brasil), totalmente reconstruída. 

   19. O espaço agora conta com acessibilidade, paisagismo, iluminação moderna, pergolado, bicicletário, parklet e faixa de ciclovia - o que vai possibilitar à população, num mesmo lugar, um mix de integração e lazer.

   20. A Micareta Cultural dos Idosos, que percorreu Irecê na sexta-feira à noite, foi encerrada com a entrega da nova praça na presença de políticos, secretários do município e de uma multidão animada. 

   21. Elmo Vaz destacou a honra de inaugurar o espaço que representa a história do povo e do município. “Fizemos questão de manter o monumento construído na gestão do ex-prefeito Doinha, na década de 80, e ainda colocaremos o busto do Dr. Mário Dourado para que fique eternizado neste local, que retrata o amor da nossa gente por Irecê e sua história”, disse.  

  22. Em apenas um mês o plantão da Operação Poluição Sonora, em Lauro de Freitas, ação integrada das Secretarias de Trânsito, Transporte e Ordem Pública (Settop), Meio Ambiente, Saneamento e Recursos Hídricos (Semarh) e Policia Militar (PM) nos finais de semana, autuou 52 eventos - residenciais e comerciais - com abordagens educativas. A ação é realizada com base na lei municipal nº 1.536/2014 que estabelece para zonas predominantemente residenciais os limites de 60 decibéis no período diurno, e 55 decibéis no período noturno.

  23. De acordo com o superintendente de Poluição Sonora da Semarh, Lucas Cuevas, neste primeiro mês os bairros com maior incidência foram Centro e Ipitanga. “A nossa abordagem é educativa, explicamos os limites e pedimos para que se adequem. Em alguns casos, solicitamos o apoio da PM (52ª e 81ª Companhia Integrada da Polícia Militar) para que nos acompanhe nas fiscalizações. Caso haja reincidência, multas podem ser aplicadas”, alerta.

   24. A população pode solicitar o apoio da Operação Poluição Sonora através do disque denúncia do Centro Integrado de Mobilidade Urbana (Cimu) 3369-3710 e 3379-4843. O coordenador executivo da Settop, César Carvalho, explica que as equipes dos plantões atuam nas sextas-feiras e sábados das 21h até as 2h, e aos domingos 18h até as 00h. “É de extrema relevância a parceria já firmada para pronto atendimento da população nas demandas de poluição sonora, nos finais de semana”, completa.

   25. Buscar soluções para diminuir o peso e os entraves da burocracia na pesquisa de ciência e tecnologia no país. Este foi o tema principal de uma nova rodada da Comissão de Ciência e Tecnologia, Ciência e Informática (CCTCI) realizada nesta quinta-feira (30.05) na Câmara dos Deputados. O encontro contou com a participação de deputados, professores e pesquisadores da várias instituições do ensino superior do país. .

   26. Dados da Fiesp apontam que a burocracia custa cerca de R$ 46 bilhões ao Brasil, além de incentivar a informalidade. Para a instituição, o PIB nacional poderia crescer cerca de 17% com simplificações.

   27. Segundo o deputado federal Félix Mendonça Jr. (PDT-BA), presidente da CCTCI, a produção de conhecimento hoje acontece numa velocidade nunca vista. “Acompanhar essa dinâmica é essencial para que o Brasil possa se destacar no cenário internacional, gerando conhecimento e emprego de qualidade”, afirmou.

   28. Ele lamenta as dificuldades por conta dos entraves burocráticos, que deixam o andamento das pesquisas mais lento. “A burocracia é tão excessiva que, em determinadas áreas, a demora na aquisição de insumos básicos acaba inviabilizando a execução dos projetos. É preciso dar maior atenção a essa questão, que tem proporcionado uma grande fuga de cérebros do nosso país”, destacou.