ter?a-feira, 25 de fevereiro de 2020
Saúde

HGRS tem balanço positivo em 2019 e avança com a ajuda da Sesab

Mais atendimentos, inaugurações e indicadores positivos fazem parte do balanço de 2019 do HGRS
Ascom HGRS , Salvador | 22/01/2020 às 19:56
Hospital Geral Roberto Santos
Foto: Leonardo Rattes Sesab
Prêmios, reformas, inaugurações, redução da taxa de óbitos, elevação da produtividade, aumento no número de faturamento, implantação do prontuário eletrônico e novos projetos de humanização fazem parte do balanço do ano de 2019 do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). Os avanços aconteceram sem impactar no orçamento, por meio de um trabalho de qualificação do gasto realizado em conjunto com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).
Premiações – Logo no primeiro semestre do ano passado, a unidade de terapia intensiva (UTI) cirúrgica do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) foi premiada pela gestão de indicadores de qualidade e pelo desempenho positivo. Com melhor atuação entre as 200 UTIs selecionadas no país, a instituição baiana recebeu, em abril, certificação da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib).
De lá para cá, o maior hospital do Norte e Nordeste recebeu premiação especial, na categoria Gestão Pública, do Benchmarking Saúde Bahia, e conquistou quatro das dez posições finalistas no Prêmio Boas Práticas de Trabalho do Serviço Público, promovido pela Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb). Com a hemodinâmica, foi finalista, ainda, do prêmio Referências da Saúde, realizado no Healthcare Innovation Show (HIS) – considerado o maior evento de tecnologia e inovação para saúde. 
Produtividade – A hemodinâmica do HGRS, inclusive, elevou em 30% a produtividade do serviço, na comparação com o ano de 2018. Nesse período, o Hospital Geral Roberto Santos teve um incremento importante no volume cirúrgico, graças à abertura do hospital-dia da instituição, que realizou quase oito mil procedimentos, de janeiro a dezembro de 2019.
As neurocirurgias, demandas em que o HGRS absorve 85% dos casos do estado, também passaram a acontecer em maior volume. Mesmo durante a reforma do centro cirúrgico, houve aumento de 44,2% no volume de altas médicas na enfermaria de neurocirurgia da instituição e aumento de 14,7% no volume cirúrgico da especialidade. Isso aconteceu com abertura de mais um turno de trabalho e mudança no gerenciamento do serviço.
Com a entrega do novo centro cirúrgico, prevista para acontecer no início deste ano, o HGRS irá ampliar em 50% a capacidade de produção do serviço de neurocirurgia. A expectativa é de que, em 2020, passem a ser realizadas 150 cirurgias ao mês.
Inaugurações – Serão entregues, também, nova clínica de diálise, nova cozinha e refeitório. Com a readequação da ala pediátrica do HGRS, realizada para receber o projeto Meu Coração é do Bem, das Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA) –, a unidade de cuidado intermediário neonatal canguru (Ucinca-HGRS) foi escolhida para passar por reforma e já se encontra em obras.
Indicadores positivos – O HGRS reduziu em 30% o número de óbitos na urgência e emergência da unidade, na comparação entre 2019 e os três anos anteriores. Em termos absolutos, a instituição apresentou uma redução de 628 óbitos anuais, de acordo com o levantamento epidemiológico sobre mortalidade institucional, realizado pela Comissão de Revisão de Óbitos (CRO-HGRS).
Diretor-geral do HGRS, o anestesiologista José Admirço Lima Filho credita, ainda, os bons resultados à expansão dos serviços de alta complexidade na instituição. “A redução da taxa de mortalidade é a característica do cuidado mais estreitamente ligada à missão das instituições hospitalares de saúde. E esse avanço é o espelho do investimento no hospital nos últimos três anos, não só em equipamentos como hemodinâmica e bioimagem, mas, também, na mudança do gerenciamento dos processos”, afirma.
Na avaliação do gestor, a assistência, de um modo geral, tem melhorado. “É importante frisar que, mesmo com a reforma do centro cirúrgico, não tivemos impacto negativo nos índices de mortalidade. Pelo contrário, durante esse período, nós conseguimos bater recorde no número de neurocirurgias. Além disso, nos últimos três anos, os leitos de terapia intensiva praticamente dobraram no HGRS e, consequentemente, passamos a ter condições de atender cada vez melhor os pacientes graves”, comemora ele, para, então, completar: “isso derruba o mito de que um hospital-escola costuma ter maior ocorrência de mortalidade, já que, em determinado momento do tratamento dos pacientes, eles poderão ser atendidos por estudantes ou por pessoas que estão em formação”.
Outro importante indicador que apresentou evolução foi o faturamento hospitalar, que aumentou em cerca de 80%. Para alcançar esse resultado, a direção administrativa da instituição lançou mão de estratégias como minimizar desperdícios de gastos e controlar investimentos. Nesse sentido, a implantação do prontuário eletrônico foi um fator importante para gerar sustentabilidade econômica.
Previsão para 2020 – Depois de readequar setores fundamentais para promover assistência qualificada à população baiana – a exemplo das UTIS neurológica e cardiovascular, bioimagem e heomodinâmica –, o Governo da Bahia iniciará, em 2020, a readequação da emergência adulto e do Centro de Hemorragia Digestiva (CHD) da instituição. Assim como em todas as experiências anteriores, tais reformas possibilitarão elevação da produtividade e modernização dos equipamentos dos serviços.  
Na parte externa, além da reforma da fachada, será feita reorganização dos vendedores ambulantes. Isso se dará com a construção de uma praça de alimentação próxima aos estacionamentos.