segunda-feira, 15 de outubro de 2018
Saúde

Planserv alerta: vamos dizer não ao câncer de mama!

O Inca estima que o Brasil terá, em 2018, cerca 59.700 novos casos da doença
Ascom Saeb , Salvador | 11/10/2018 às 18:36
Outubro Rosa
Foto: div

Como acontece todos os anos, o Planserv abraça a importante causa do combate ao câncer de mama, divulgando a importância dos cuidados para prevenir a doença e da realização do autoexame, que pode detectar nódulos ainda em fase inicial, aumentando, portanto, as chances de obter resultados satisfatórios com o tratamento.

 

 

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

 

 

O Inca estima que o Brasil terá, em 2018, cerca  59.700 novos casos da doença. O câncer de mama costuma ser raro antes dos 35 anos de idade, mas incide significativamente após os 50 anos. A ocorrência tem aumentado tanto nos países desenvolvidos, quanto nos em desenvolvimento.

 

 

Devido ao grande número de fatores que causam o câncer de mama, alguns dos quais não modificáveis, a adoção de hábitos saudáveis pode contribuir para que a doença não acometa, sobretudo, as mulheres. De modo geral, a prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles considerados modificáveis.

 

 

Alimentação, nutrição e realização de atividades físicas, por exemplo, podem, segundo as estimativas, reduzir em até 28% os riscos da doença nas mulheres. Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

 

 

A terapia de reposição hormonal (TRH), quando estritamente indicada, deve ser feita sob rigoroso controle médico e pelo mínimo de tempo necessário.

 

 

Conforme orientações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), as formas mais eficazes para a identificação precoce do câncer de mama são o exame clínico, que pode detectar pequenos tumores, se superficial, e a mamografia (radiografia da mama), que é um exame mais minucioso, permitindo a detecção de lesões muito pequenas, ainda em fases iniciais.

 

 

            O Planserv conta com prestadores habilitados, em todo o estado, a realizar os exames de imagem para diagnóstico da doença. A recomendação do Inca é que o exame seja realizado a cada dois anos em mulheres com idade acima de 50 anos.

 

 

A rede credenciada da assistência conta também com unidades para tratamento do câncer, incluindo clínicas e hospitais. No Brasil, as taxas de mortalidade continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados, porém quando diagnosticado e tratado precocemente, as chances de cura aumentam de forma significativa.