quinta-feira, 21 de mar?o de 2019
Salvador

LAURO DE FREITAS NÃO SE DIVIDE E QUER MANTER TERRITÓRIO DE IPITANGA

Entenda o caso da divisão de Lauro de Freitas
| 26/09/2007 às 18:02

  Nesta quarta-feira (26), as associações de moradores participam, junto com o Poder Público Municipal, de uma audiência pública da Comissão Especial de Assuntos Territoriais e de Emancipação da Assembléia Legislativa

  Provocada pelas prefeituras de Lauro de Freitas e Salvador, o secretário de Governo de Lauro de Freitas, Apio Vinagre, está confiante num resultado positivo para a cidade. "É um passo importante para a revisão de Lei de 1969 e para o fim deste debate territorial de forma positiva para as duas cidades".


  O município de Lauro de Freitas, criado em 1962 a partir do Distrito de Santo Amaro de Ipitanga, nascia na foz do Riacho Flamengo, constituído de parte do distrito de Itapuã, São Cristóvão, Valéria e Pirajá até a foz do Rio Joanes.

  Em 1969, a Lei 2.713, altera os limites, estabelecendo como marco uma distância de 3.600 metros a partir das foz do riacho Flamengo, reduzindo o município a 59 Km2. Apesar do desmembramento, a Prefeitura de Lauro de Freitas continuou a cuidar dessas áreas que hoje alimentam o debate.


  Para Tânia Medrado, presidenta da Associação de Moradores da Praia de Ipitanga (Ampi), a questão é semelhante à de uma mãe que abandona o filho recém-nascido e depois o quer de volta. "Agora que o filho está crescido, formado e ganhando bem, a mãe quer assumir a maternidade". Ela diz que sempre pagou os tributos e recebeu infra-estrutura da Prefeitura de Lauro de Freitas.


Entenda o caso 

Os limites de Lauro de Freitas são debatidos pela atual gestão desde 2005, quando assumiu a administração, porém o assunto ganhou maior relevância quando o juiz Carlos D´Avila, da 13ª Vara Federal, baseado na Lei de 1969, incorporou as barracas da praia de Ipitanga no projeto de revitalização da orla de Salvador. As prefeituras de Salvador e Lauro de Freitas estão empenhadas na discussão da revisão da lei, tanto que em abril deste ano foi criada uma comissão para discutir os limites entre as duas cidades.