quinta-feira, 24 de setembro de 2020
Política

PRESIDENTE ASSEMBLEIA E OUTRAS AUTORIDADES LAMENTAM MORTE DE PORTUGAL

Veja depoimentos das autoridades
Tasso Franco , da redação em Salvador | 04/08/2020 às 10:30
Jorge Portugal
Foto:
   O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Nelson Leal, disse, agora à noite (03.07), que ficou abalado com a morte do compositor, educador e escritor Jorge Portugal, ex-secretário de Cultura da Bahia. 

   “É sempre uma triste notícia perder um amigo, mas ainda é mais chocante perder a inteligência e o brilho de uma pessoa como o santamarense Jorge Portugal, que nos deixa aos 63 anos – e que faria aniversário depois de amanhã, ainda com uma enorme perspectiva de nos brindar com mais produtos culturais – como literatura e música – além do professor que encantou diversas gerações estudantis com as suas aulas lúdicas e animadas. Estou muito abalado com a notícia que acabo de receber e, nesse momento, só posso externar o meu abraço solidário aos familiares, nas pessoas de seus filhos, Thiago, Caetano Ignácio e Bárbara Bela”, diz Leal, chefe do Legislativo da Bahia, que encaminhará, amanhã, Moção de Pesar à Mesa Diretora da ALBA.

  Formado em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia, Jorge Portugal nasceu em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo baiano, no dia 5 de agosto de 1956. Ganhou notoriedade nacional com o sucesso de sua composição “A Massa”, em 1980, no Festival da Nova MPB 80, da Rede Globo. Também é dele, entre outras, a letra de “Alegria da Cidade”, parceria com Lazzo Matumbi, e “Só Se Vê na Bahia”, em parceria com o seu conterrâneo Roberto Mendes. Portugal era professor de Língua Portuguesa e Redação e idealizou projetos culturais e educativos como Aprovado, Tô Sabendo, Circulador Cultural e Manuel Faustino. É também autor dos livros “Se escola fosse estádio e educação fosse Copa…” e “Redação: assim é fácil”.

  ALEX LIMA

   Lamento, profundamente, a perda do nosso querido Jorge Portugal. Competente secretário, professor dedicado, apoiador da cultura baiana, poeta, compositor e apresentador. Jorge foi um ser humano plural e fantástico. Ele parte nos deixando  uma tristeza, imensurável, mas também grandes ensinamentos. Deixo registrado também meus sentimentos aos familiares e muita serenidade para atravessar este momento de dor.

  LUTO DE 3 DIAS

  O governador Rui Costa lamentou a perda e decretou luto no estado nesta terça-feira (4). 

   “Imensamente entristecidos, lamentamos a morte do ex-secretário de Cultura do Estado Jorge Portugal. Educador, poeta, compositor, Jorge era um homem de múltiplos talentos, exercidos com a energia e a simpatia que inspirava todos à sua volta. Era, antes de tudo, um homem apaixonado pela Bahia e pelo seu povo, que estiveram sempre no centro do seu trabalho, fosse como administrador público, professor e artista. Como diz um dos seus versos: 'Uma nação diferente, toda prosa e poesia, tudo isso finalmente, só se vê, só se vê na Bahia'. Nossos sentimentos para seus amigos e familiares por essa grande perda”.

   SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

   A Secretaria da Educação do Estado (SEC) lamenta, com profundo pesar, a morte do professor Jorge Portugal, na noite desta segunda-feira (3), em Salvador. Educador por natureza, Jorge Portugal dedicou sua vida às letras, seja através do magistério, por meio do qual deixa um imenso legado; seja por meio das valiosas contribuições que imprimiu nas artes musical e literária. 

  “Jorge era um homem sensível, sempre preocupado com o social e, por isso, abraçou a educação e a cultura como um projeto de vida, sendo conhecido, respeitado e admirado pelos baianos. Era um comunicador nato e sabia utilizar seus dons em prol do aprendizado de várias gerações. Na música, ele foi igualmente genial, deixando eternizado em verso e prosa o seu desejo por uma sociedade mais igual, mais fraterna e cheia de afetos. Neste momento tão difícil que atravessamos, com tantas perdas, a partida de Jorge Portugal nos deixa um vazio ainda maior. Queremos externar a ele a nossa gratidão e à família o nosso sentimentos de profundo pesar”, afirmou o secretário da Educação do Estado da Bahia, Jerônimo Rodrigues.

  Quando secretário da Cultura do Estado da Bahia, uma das parcerias de Jorge Portugal com a Secretaria da Educação do Estado foi o Escolas Culturais. O projeto é voltado para o desenvolvimento de atividades nas áreas de Dança, Música, Audiovisual e Literatura nas escolas, de modo a potencializar os projetos artístico-culturais já existentes e fomentar novas ações. Recentemente, o professor Jorge estava engajado em um projeto com a SEC sobre "Educação em época de pandemia", com foco na preparação dos estudantes para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

  Nesta segunda-feira, recorre-se à composição "Vila do adeus", de Jorge Portugal e seu parceiro Roberto Mendes, nesta despedida. “Histórias que não voltam mais quando os lenços cortam os laços, num definitivo adeus. Nenhum abraço, nenhum sol nos olhos baços, nem um traço, nem um véu, apenas o silêncio e o som de Deus, apenas o silêncio...”.
 
   WALTER PINHEIRO

  O secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, prestou uma homenagem ao professor e ex-secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, que faleceu na noite desta segunda-feira (3).

"Jorge Portugal deixa um legado que nunca será esquecido na cultura, nas artes, na educação e nos corações dos baianos. Poeta, educador, compositor, exerceu o cargo de Secretário da Cultura do Estado da Bahia, no qual realizou diversos projetos, muitos deles em parceria conosco. Fica a memória de uma pessoa íntegra, muito lúcida e à frente do seu tempo. Que Deus conforte a família, os amigos, os alunos e todo o povo da Bahia", disse Pinheiro.

Jorge Portugal esteve à frente da pasta da Cultura durante o período de janeiro de 2015 a outubro de 2017. Nasceu em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo baiano, em 05 de agosto de 1956. Construiu uma reconhecida trajetória como educador, poeta, compositor e comunicador.


    DEPUTADO WALDENOR PEREIRA

  Ao lamentar a morte do professor e escritor Jorge Portugal, na noite desta segunda-feira (3), em Salvador, o deputado federal Waldenor Pereira (PT) disse que além da grande figura da educação e da cultura na Bahia, ele particularmente sente muito pela perda de uma amizade feita com o também poeta desde os tempos em que foi reitor da Universidade Estadual do Sudoeste (UESB). “Além da aproximação que tivemos nos tempos da universidade, Jorge Portugal nos ajudou na realização das duas primeiras edições da Feira Literária de Mucugê (Fligê), quando era secretário estadual de Cultura. Portanto, ele nos deixa um grande legado. Quero me solidarizar com a sua família e todos que tiveram a oportunidade de conhecer a grande pessoa que ele foi”.