sexta-feira, 03 de abril de 2020
Política

Nova chapa coletiva para Presidência do PSOL-BA é lançada

Uma chapa coletiva à Presidência Estadual, por uma Partido Popular, Democrático e de Massas
Nádia Juvêncio , Salvador | 20/02/2020 às 20:51
Frente Popular por um PSOL Democrático e de massas
Foto: divulgação
É tempo de ousar e quebrar paradigmas, tempo de desafios e mais que nunca é tempo de repensar o modo com o que fazemos e lidamos com a política. Convencidos e convencidas desses tempos é que iniciamos um conjunto de discussões no interior do Partido, que resultaram na criação da Frente Popular por um PSOL Democrático e de Massas, e em uma proposta experimental para o PSOL-BA. Assim, surge a chapa coletiva para a Presidência Estadual do PSOL-BA com EDINEA MATOS e PROF. MAX.
Esta candidatura coletiva nasce da ousadia de quem não aceita os limites impostos por um método político que não dialoga com todos os setores de nosso Partido, nasce com a expectativa de constituir um polo de resistência democrática e como um símbolo de unidade, esse é nosso DNA. Apresentamos em nossa chapa uma Museóloga, profissional da Segurança Pública e Evangélica Progressista; e um Geógrafo, educador, Candomblecista, dois ativistas dos direitos humanos, ligados às causas LGBTQI+.
Assim, em meio à crise de representatividade das velhas práticas, somos um novo campo que ambiciona iniciar um novo ciclo político que pode dar fim a mais de uma década de polarização que limitou o crescimento partidário, em especial no interior. É preciso portanto, ser revisto este modelo de direção, posto assim, apresentamos a proposta de uma Presidência Coletiva, subvertendo a ideia personalista do "carguismo" tradicional e apontando que queremos uma direção realmente colegiada.
É preciso olhar para além dos nossos próprios muros e buscar inspiração e motivação nas lutas cotidianas das mulheres, na cosmovisão dos povos tradicionais no cana cosmovisão dos povos tradicionais no campo, nas florestas e nas cidades, nas resistências do povo negro, e defesa permanente dos trabalhadores do campo e da cidade.
É mais que necessário tornar o PSOL Bahia em uma ferramenta das Lutas Populares, Democrático e de Massas, que nos exige que este, seja transparente e participativo, e este será um exercício incansável na nossa gestão, tendo como horizonte a unidade para enfrentar os retrocessos que muitas vezes assolam nosso Partido.
A Frente Popular por um PSOL Democrático e de Massas estará na linha de frente das lutas em defesa da democracia e dos direitos, suas bases focadas em um novo tempo para nosso Partido. Queremos mais que uma candidatura, ansiamos um salto na construção de um campo político que assuma os interesses não apenas de um grupo, e sim de todos e todas militantes.
No Congresso que se aproxima, buscaremos com todos os esforços, a síntese de um programa que enfrente o caciquismo na Executiva Estadual do Partido, que supere os burocratas privilegiados mas, que acima de tudo, seja um ponto de apoio para os oprimidos, e que defenda as liberdades democráticas na vida partidária.

 

PROPOSIÇÕES

Distribuição de um terço do fundo partidário para os Diretórios Municipais, que estiverem em regularidade fiscal e jurídica, respeitando a proporcionalidade no número de filiados/as;
Ampliação da Executiva Estadual para 17 Membros/as, assegurada a presença de um terço (ao menos) para representantes do interior do Estado;
Convocação de Convenção Eleitoral para discutir um Programa Político, Plano Político Eleitoral e Aplicação dos Recursos do Fundo Eleitoral;
Aplicação de, ao menos, 10%, do fundo partidário para a realização de encontro dos setoriais do Partido;
Aquisição de Sede própria para a Direção Estadual.
 

ASSINAM:

Coletivo Kaaweé; Coletivo Travessia; Fortalecer o PSOL, MES - Movimento da Esquerda Socialista; TLS - Trabalhadores na Luta Socialista e Independentes.