segunda-feira, 20 de janeiro de 2020
Política

Deputado baiano propõe representação da Câmara Federal contra Netfilx

eputado baiano propõe representação da Câmara Federal contra Netfilx após lançamento de novo filme do Porta dos Fundos


Da Redação , Salvador | 12/12/2019 às 13:19
Deputado Alex Santana
Foto:

Além da audiência pública, parlamentar capitaneia uma campanha nas redes sociais que propõe aos cristãos para boicote à Netflix e ao filme que apresenta teor ofensivo à fé cristã

O deputado baiano Alex Santana (PDT), titular da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara Federal, em conjunto com outros proponentes, deu entrada no requerimento para realização de uma Audiência Pública para prestar esclarecimentos sobre o filme "A Primeira Tentação de Cristo", produzido pela companhia Porta dos Fundos e a plataforma de streaming Netflix no Brasil.

De acordo com o parlamentar, a Audiência Pública tem como objetivo de cobrar esclarecimentos de representantes da Netflix sobre o longa metragem que sugere entre outros aspectos ofensivos à fé cristã, uma relação homossexual entre Jesus e Satanás, além de colocar Deus, Maria e José como um triângulo amoroso.

“Esse filme é um enorme desrespeito para o cristianismo e para todos os cristãos. Estamos num estado laico mas isso não dá o direito que ninguém venha ferir a liberdade religiosa e deformar valores fundamentais da fé professada pela maioria dos brasileiros. Como cristão exponho veementemente meu repúdio e como parlamentar vamos cobrar da plataforma de streaming esclarecimentos a respeito do conteúdo veiculado pela empresa”, declarou o deputado.

Além da Audiência Pública, o deputado também capitaneia uma campanha nas redes sociais que propõe aos cristãos para boicote à Netflix e ao filme. Entre as medidas propostas está a assinatura de petição eletrônica de repúdio, cancelamento das contas na Netflix, além de incentivar a postagem negativa contra o longa no portal Reclame Aqui e descurtidas no trailer do filme no Youtube.

“Devemos nos posicionar contra esse tipo de conteúdo. A liberdade de expressão não é salvo conduto para permitir abusos e atos de blasfêmia contra a fé alheia. Esse filme é moralmente condenável e absolutamente desrespeitoso. Como cristãos e cidadãos devemos promover um boicote contra todos que incentivam a produção desse tipo de conteúdo”, afirmou o deputado estadual, Samuel Júnior (PDT), que também aderiu à campanha na Bahia.