quinta-feira, 13 de agosto de 2020
Política

GOVERNO EXCLUI POBRES DO CENTRO DINÂMICO SSA COM RODOVIÁRIA NA BR-324

Só em investimentos na nova rodoviária serão R$120 milhões sem contar as estações do metrô e BRT
Tasso Franco , da redação em Salvador | 03/12/2019 às 18:40
Atual Rodoviária no Centro Dinâmico da cidade
Foto:
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. O governador do Estado, Ruy Costa (PT) anunciou nesta terça-feora, 3, que vai deslocar a Estação Rodoviária de Salvdor do seu centro dinâmico - área empresarial, comercial e de serviços do Iguatemi -para o bairro de Águas Claras, às margens da BR-324. Só na estação nova o investimento será de R$120 milhões.

   2. Ou seja, vai excluir a população interiorana mais pobre deste centro para levá-la a uma área distante com uma infra-estrutura ainda a ser construida, não só a física (dos edificios e da própria estação e seu entorno) como a parte de serviços. Duvida-se que os bancos, por exemplo, se mudem para lá. Hoje, no centro dinâmico Iguatemi/Tancredo existem 20 agências bancárias.

   3. Veja o que diz o governador segundo a SECOM: "O governador destacou que a rodoviária — instalada às margens da BR-324, no bairro de Águas Claras — será um terminal multimodal. "Teremos um terminal moderno, que nós queremos que seja o mais moderno do país. Será o maior embarque e desembarque do Norte-Nordeste, porque, junto à nova rodoviária, teremos também uma estação do metrô, uma estação do BRT que será instalado na Avenida 29 de março e um terminal de ônibus intermunicipais e interestaduais. Pretendemos que aquela região seja um vetor de desenvolvimento e geração de empregos, atraindo novos empreendimentos e serviços, como ocorreu na região do Iguatemi", afirmou.

   4. De acordo com o presidente do Conselho de Administração do Consórcio Terminal Rodoviário de Salvador, Eduardo Pedreira, a obra deve durar 30 meses. “Estamos muito contentes com essa parceria para realizar um projeto de interesse da população. Será a rodoviária mais moderna do Brasil. Fizemos pesquisas sobre outros terminais dentro e fora do Brasil e estamos trabalhando com o que há de mais moderno neste projeto”, explicou.
 
   4. Ora, ora! esses R$120 milhões só na estação em si sem contar os investimentos no metrô e no BRT (ao menos) poderiam ser investidos na atual rodoviária usando as novas tecnologias onde já existe o metrô, o BRT está em construção pela Prefeitura e a atual EC está situada na divisa Sul-Norte-Leste-Oeste da cidade quade um estrela "dalva" perfeita com pernas para todos os bairros e onde milhares, milhões de passageiros/ano poderiam fazer seus serviços na capital sem grandes movimentações.

   5. Imaginem vocês o que vai ser chegar em Águas Claras e daí seguir em direção da Ribeira ou ao Rio Vermelho. É provável que se gaste mais neste percurso (se o passageiro usar um táxi) do que se sua cidade até Salvador.

   5. Agora, imaginem vocês se o prefeito ou governador de NY decidir tirar a Central Station que fica na boca da Quinta Avenida para levá-la para Bronx ou Quince, subúrbios onde num deles está o aeroporto internacional JK. Você passa na frente da CS e não ouve sequer o barulho de um trem.

   6. A Gare do Norte em Paris tem o mesmo tamanho desde o século XIX e nunca saiu de lá porque está no centro da cidade, perto da Bastilha. As pessoas chegam e saem desses locais andando, como acontece na Rodoviária de Salvador atual. Muita gente chega e vai a Tancredo Neves, aos dois maiores shppings da cidade, aos maiores escritórios de advogados na Magalhães ou na Tancredo andando e depois pegam o ônibus e voltam para casa.

   7. O governo está levando tudo para Águas Claras, segundo promete o governador, criar um novo centro dinâmico por lá, como disse igual ao Iguatemi. Está reinventando a pólvora. É possível que isso aconteça, mas, vai demorar 50 anos, no mínimo. E, o que é sintomático: não vai conseguir desmantelar o que existe acá. Mas, decisão do governo é decisão do governo, pronto.
                                                                          ******
   8. Presente ao ato de assinatura do contrato para a construção da nova Estação Rodoviária de Salvador, no bairro de Águas Claras, nesta terça-feira (03), o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, ressaltou a importância deste novo empreendimento como um vetor de desenvolvimento da capital.

   9. O contrato foi assinado pelo governador Rui Costa e representantes do Consórcio Terminal Rodoviário de Salvador. A obra do novo terminal terá um investimento de R$ 120 milhões.

  10. “Fizemos uma proposta da nova rodoviária lá em Águas Claras em 2009, então hoje, na realidade, além de ser algo extremamente ajustado com o metrô, cujo tramo 3 vai chegar até o local, a rodoviária já começa a dialogar com a Avenida 29 de Março, que está ficando pronta, só faltando um pequeno pedaço, que é o que liga de Piatã até a Base Naval, então teremos a rodoviária na beira da BR-324, na entrada da cidade, criando todas as condições para levar, efetivamente, um outro movimento naquele lado da cidade. 

   11. Segundo Pinheiro é o governador Rui Costa mexendo na estrutura, facilitando a vida dos baianos com um novo e moderno sistema de transporte e projetando uma cidade muito melhor para o futuro”, disse Pinheiro.

   12. A obra deve durar 30 meses e a empresa terá o prazo de seis meses para elaboração do projeto arquitetônico e executivo e obtenção de licenças e alvarás para o início das obras. A expectativa do Governo do Estado é de receber as três sugestões de projetos arquitetônicos no dia 28 de janeiro de 2020.

   13. O secretário também destacou que além de representar um novo vetor de desenvolvimento, o empreendimento nesta nova localização vai contribuir, ainda, para desafogar o trânsito na região do Iguatemi. 

   14.“Vamos integrar a região metropolitana, resolver o problema do centro da cidade e criar outra sinergia no modal de transporte, integrado ao metrô, fazendo a expansão das áreas de desenvolvimento na capital. 

   15. O Iguatemi virou um verdadeiro cotovelo da cidade, então uma pessoa pra sair de Paripe, por exemplo, da Base Naval, teria que vir até o Iguatemi, pegar o cotovelo e atravessar o outro lado da cidade. Portanto, aquilo se configurou como um grande problema, tanto é que a cidade congestionou nessa região. Antigamente a concentração era no comercio, transferiu-se para a região do Iguatemi, agora, também, é preciso criar outro ambiente para as diversas atividades econômicas em Salvador”, ressaltou Pinheiro.
                                                                 *******
   16. Opiniao de um politico: O deputado estadual Robinson Almeida, vice-líder do governo do estado na Assembleia Legislativa e um dos nomes colocados à disposição do PT pra disputar a prefeitura de Salvador nas eleições do ano que vem, disse, que Salvador vive uma “revolução na mobilidade” urbana graças às intervenções e investimentos feitos nos governos Jaques Wagner e Rui Costa. 

   17.  O petista citou como exemplos, além da construção do novo equipamento rodoviário, a extensão do Metrô até Cajazeiras / Águas Claras, a construção do VLT, ligando o bairro do Comércio à Simões Filho, passando pelo Subúrbio Ferroviário, e lembrou da construção de avenidas, como a 29 de Março e a Via Expressa Baía de Todos os Santos, e de viadutos ao longo da avenida Paralela e também na rótula do abacaxi.  

   18. “Estamos vivendo uma revolução na mobilidade urbana de Salvador com intervenções e legados importantíssimos dos governos Jaques Wagner e de Rui Costa. 

   19. Nossa capital nunca viu na sua história investimentos tão vultosos e tão significativos pra repercutir no seu desenvolvimento, na qualidade de vida do nosso povo, como foram os aplicados em mobilidade e infraestrutura nos governos do PT”, refletiu Robinson, ao avaliar que a capital da Bahia terá “uma das melhores mobilidades urbanas do país” quando a Nova Rodoviária, a extensão de 5 quilômetros do metrô e o VLT no Subúrbio forem entregues. 

   20. O novo equipamento rodoviário ocupará uma área às margens da BR 324 de 70 mil metros quadrados. O investimento previsto na obra pelo governo do estado é de R$ 120 milhões e o equipamento deve ser entregue em até 30 meses.