sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
Política

VICE-PRESIDENTE VENEZUELA ADVERTE BRASIL PARA NÃO EXPULSAR DIPLOMATAS

Com informações do El Universal
Da Redação , Salvador | 14/11/2019 às 10:56
Diobaldo Cabello
Foto: EU


O primeiro vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), Diosdado Cabello, alertou o governo brasileiro na quarta-feira sobre uma "resposta imediata" do executivo de Nicolás Maduro, caso seus adidos diplomáticos fossem expulsos naquele país.

"A nossa resposta imediata será a expulsão deles aqui (...) quem entrar conosco responderá a ele em reciprocidade diplomática", disse Cabello durante a transmissão do programa 275 de Con Mazo Dando, transmitido pela televisão venezuelana. (VTV)

Ele também apontou o executivo brasileiro como cúmplice de qualquer situação irregular que ocorra na embaixada mencionada, apesar do fato de o presidente Jair Bolsonaro condenar o incidente.

Evo Morales voltará "mais forte do que nunca"

Por outro lado, Cabello ousou prever o retorno imediato ao poder de Evo Morales na Bolívia, reiterando o apoio irrestrito que Maduro e o setor governamental ofereceram ao ex-presidente indígena.

"As pessoas não vão ficar assim, acho que não, elas não vão desistir, o que as pessoas querem é que Evo Morales retorne à Bolívia", disse o presidente da Assembléia Nacional Constituinte (ANC).

"O filme na Bolívia está apenas começando e Evo voltará mais forte do que nunca (...) mais cedo ou mais tarde e com ele a paz e a tranquilidade para a Bolívia", acrescentou, antes de destacar as realizações de Morales na presidência, onde "alcançou" taxas mais altas de redução da pobreza "naquele país.

O líder oficial insistiu na tese do golpe de estado no país do Altiplano, liderado pelos Estados Unidos, como Nicolás Maduro e o próprio Evo Morales haviam dito na tarde de quarta-feira através de sua conta no Twitter.

"É o ódio racista, aquele que deu o golpe de estado (...) Eles não perdoam Evo que ele é indígena, que ele é humilde e os Estados Unidos não perdoam que a Bolívia tem as riquezas que possui. de lítio no mundo ", disse ele.

PROTESTO DE 16 de novembro

Com relação ao protesto anunciado pela oposição no sábado, 16 de novembro, o líder oficial ameaçou aqueles que promoviam protestos violentos com a prisão.

“Aqui na Venezuela, quem gera violência é a oposição, que queima pessoas vivas (...) Temos certeza de que, se eles tentarem fazer alguma coisa, daremos a eles a maior lição que podem imaginar com uma cidade na rua e com aqueles que com a a luz em 16 de novembro, vá direto no buquê verde ”, avisou.

Ele destacou a grande mobilização do Chavismo, ao mesmo tempo em que subestima a mobilização da oposição por ser considerada "sem força".

“Se alguém tem a possibilidade de fechar uma rua aqui é o Chavismo, se alguém tem a possibilidade de fechar uma comunidade, é o Chavismo; O chavismo é a única força popular que tem a possibilidade de ir a uma rebelião popular organizada aqui, ninguém mais pode fazer isso ”, afirmou.

Por fim, reiterou seu alerta contra o setor de oposição se eles tentarem uma ação semelhante à que levou à renúncia de Morales na Bolívia.

"Não vai ser fácil para você, nem pensar em tentar, porque se você puder pensar nisso, nós vamos j ...", concluiu.