quarta-feira, 08 de julho de 2020
Política

LAZINHO DIZ NA CMS QUE "GUERREIRO NÃO TEM DINHEIRO, MAS TEM HISTÓRIA"

Solenidade na CMS aconteceu na noite desta terça-feira, 12
Tasso Franco , da redação em Salvador | 13/11/2019 às 00:14
Lazinho com lágrimas nos olhos
Foto: BJÁ
   Em emocionante discurso ao ser contemplado com a medalha Zumbi dos Palmares pela Câmara de Salvador na noite desta terça-feira, 12, o cantor do Olodum, Lázaro Araujo Muniz dos Santos (Lazinho) disse que "guerreiro não tem dinheiro, mas tem história" e lembrou sua trajetória de vida em casas de prostituição, em área de violência na capital baiana onde sua mãe empresariava bordéis. 

   Vida sofrida de quem enfrentou muitas dificuldades, e põe dificuldades nisso, preconceitos, racismo, todo tipo de sofrimento até que encontrou na música e no Olodum a tábua de salvação. 

   Lembrou dos primórdios com Geraldão e a ajuda de Alaíde do Feijão, época de sobrevivência, de matar a fome, de resistência, de afirmação plena. Sua fala também emocionou a platéia pelo jeito de se expressar, simplemente contando parte de sua história.

   Confessou: "A partir de hoje, Salvador é minha mãe". Com lágrimas nos olhos recordou um momento em que foi acusado de estupro por uma senhora branca quando não fizera nada e foi salvo por interferência do então vereador Fernando Schmidt. Um depoimento para a história do Olodum.

   SOLENIDADE

   A solenidade na CMS que outorgou a medalha Zumbi dos Palmares a Lazinho e a comenda 2 de Julho ao presidente do Olodum contou com a presença do presidente da Casa, Geraldo Jr, que enalteceu as duas personalidades homenageadas, os vereadores Luis Carlos Suica (proponente das comendas), Moises Rocha, vice -reitor da UFBA, Paulo Miguez, presidente da Fundação Palmares, Zulu Araujo, Vovê do Ilê, delegada da Deltur Pelourinho, diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, secretária da Sepromi e comandante do Batalhão do CH.

   Claro que teve um pouco de samba reggae na voz de Lazinho.