sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020
Colunistas / Crônicas de Copacabana
Nara Franco

Princesinha do Mar faz 125 anos

Veja lugares legais que você conhecer em Copacabana (Nara Franco é jornalista e mora em Copacabana)
07/07/2017 às 12:03
   Nossa Senhora de Copacabana é a santa padroeira da Bolívia. Essa eu não sabia. No dia em que o bairro de Copacabana completa 125 anos, descubro que Copacabana é uma cidade na Bolívia, capital da província de Manco Capac. Fico sabendo também que Copacabana, na linguagem indígena boliviana, significa "lugar luminoso". Isso pode explicar a inexistência de imagens da santa no bairro que tem seu nome.

   Eu nunca vi. O que eu sabia é que no lugar onde hoje há o Forte de Copacabana tinha uma capela com a imagem da santa. Daí veio o nome do bairro. A capela foi demolida em 1914. Para onde foi a imagem, não sei.
 
   São 125 anos de fama internacional. Tudo nessa cidade acontece em Copacabana. Todos os grandes shows gratuitos são aqui. Por isso, depois da Copa do Mundo de 2014 a associação de moradores do bairro pediu um tempo à prefeitura. Desde então, nada de grandes eventos na praia. Opa! Esqueci da Rio 2016. Teve o vôlei de praia. E só.
 
   O bairro é a síntese do Rio de Janeiro. Tem de tudo um pouco. Não tem o charme de Ipanema ou Leblon. Ou o sossego do Cosme Velho.

   Mas tem particularidades engraçadíssimas. Ontem, por exemplo, uma senhora passou por mim com rolinhos na cabeça na maior naturalidade do mundo. Sem lenço, sem nada. O bairro é deles. De manhã cedo, são inúmeros as senhoras e senhores que passam de roupão indo e voltando da hidroginástica. Eles mandam no bairro. Remanescentes da década de ouro de Copa, quando morar aqui era luxo só.
 
   Eu gosto dessa mistura de bagunça com toque de cidade do interior. Saio de manhã para passear com minhas cachorras e o bombeiro de plantão no quartel aqui perto sempre faz festinha e pergunta como vai o dia. O jornaleiro me atualiza das notícias. Os mais idosos colocam cadeiras de praia na calçada para tomar sol. Tem a moça que vende flor na porta da igreja, que sempre me pede 1 real para o café.

   Mas nem tudo são flores (desculpem o trocadilho). Daqui de casa eu escuto os tiros do Pavão-Pavãozinho como se estivessem atirando na sala. A violência nossa de cada dia.
 
    Mas eu prefiro o lado bucólico. Gosto de caminhar no calçadão e admirar o pessoal do frescobol, esporte inventado por Millôr Fernandes na praia. Esporte onde ninguém vence. Tem a galera da Yoga, do alongamento, da corridinha, do surfe, os guarda-vidas que passam cantando, os pescadores. Tem Carlos Drumond de Andrade e Dorival Caymmi eternizados em bronze. Tem bebum da noite anterior tomando a saideira, puta terminando a noite de trabalho e travesti pegando sol.
 
   É ao mesmo tempo um bairro família e boêmio. Você pode tomar um café saudável na Confeitaria Colombo do Forte de Copacabana e almoçar a melhor farofa de ovo do mundo no Galeto Sat's bebendo um chope de primeira qualidade ou uma cachacinha. O bar tem uma carta com mais de 80 rótulos. Ou passar a tarde no Pavão Azul, comendo pataniscas, um bolinho de bacalhau sem batata, regada a cerveja muito, muito gelada.
 
   Copacabana tem a maior concentração de judeus da cidade. A maior quantidade de hotéis. O único restaurante de comida polonesa do Rio. Uma galeria repleta de antiquários. Um cinema de rua (raridade nos dias de hoje), o velhor Roxy. Um número de farmácias que duas mãos não contam e um prédio de 12 andares onde 70% das lojas vendem biquinis.

   Tem o Bip-bip, do botafoguense Alfredo, e sua tradicional roda de samba aos domingos. Tem boteco muito pé-sujo que foi adotado pelos gaúchos e virou o bar Internacional. Nenhum gremista passa por lá em dias de jogos do Colorado.
 
   Tem o Beco das Garrafas, na Rua Duvivier, onde se apresentaram pela primeira vez Elis Regina, Baden Powell, Marisa Gata Mansa e Miele. Tem o prédio onde moravam Nara e Danuza Leão. Ali nasceu a Bossa Nova. Por fim, tem o Copacabana Palace, inaugurado em 1923, quando o bairro ainda era um areal. Copacabana, princesinha do mar como cantou Caymmi. Feliz 125 anos!
 
Endereços:
 
Bar Bip-bip - Rua Almirante Gonçalves 50 Loja D
Aberto a partir das 19h
 
Kinoplex Roxy - Avenida Nossa Senhora de Copacabana 945 A
 
A Polonesa - Rua Hilário de Gouvêia 116
Funciona de 18h a meia-noite de terça a domingo
 
Edifício Santa Clara 33 - Rua Santa Clara 33
https://santaclara33.com.br/
 
Shopping dos Antiquários - Rua Figueiredo de Magalhães 598
 
Bar Pavão Azul - Rua Hilário de Gouvêia 71
Aberto de 12h a meia-noite
 
Galeto Sat's - Rua Barata Ribeiro 7 Loja D
 
Confeitaria Colombo - Forte de Copacabana
Posto 6 - Praça Coronel Eugênio Franco 1
Funciona de 10h as 20h
 
Hotel Copacabana Palace - Avenida Atlântica 1702