quinta-feira, 24 de setembro de 2020
Esporte

NA SOFRÊNCIA O BAHIA CONQUISTA O TRI DO BAIANÃO, p ZÉDEJESUSBARRÊTO

O Bahia é tricampeão baiano
ZédeJesusBarrêto , Bahia | 08/08/2020 às 19:57
Festa do Bahia
Foto: Felipe Oliveira
  NA SOFRÊNCIA O BAHIA
      CONQUISTA O TRI 

 Depois de um empate renhido no tempo normal de jogo (1 x 1), precisou da cobrança de penalidades ( 7 x 6 ) para o Bahia conquistar o tricampeonato baiano/2020, o torcedor com o coração na boca. O goleiro Douglas defendeu a derradeira cobrança, feita pelo apoiador Dedeco e garantiu o título ao Tricolor, após uma série de 16 penalidades cobradas.
  O Carcará foi brilhante e aguerrido durante toda a partida, em muitos momentos até superior ao adversário, atacando, criando boas chances e se defendendo muito bem, até que abriu o placar. Então, o Bahia despertou da sonolência e amassou o Carcará nos últimos 15 minutos, empatando e quase obtendo a virada.  
  De parabéns os tricolores, pelo Tri, mesmo como muitos torcedores injuriados com o desempenho da equipe em campo; tem de comemorar, são 49 títulos conquistados; e palmas para o futebol bem jogado e a aplicação da equipe de Alagoinhas, enquanto teve pernas.     
*
 Curiosidades:
  - O Tricolor em campo brigava por um tricampeonato que desde 1988 que não conseguia. Com uma motivação a mais, para chegar a 49ª conquista do Estadual; paroano, em 2021, o clube comemora 90 anos de fundação (1º janeiro de 1931) e seria uma marca para comemorar: 50 títulos baianos em 90 anos de vida.
 Mais, com a conquista, põe 20 títulos de diferença, à frente do grande rival rubro-negro. E chega com um pouquinho a mais de moral para a tarefa do Barasileirão, Serie A, nas bocas.     
- Do lado atleticano, desafios. Com meio século da vida, a segunda vez que o Carcará de Alagoinhas chega numa final do Baianão. A outra foi 1973, contra o mesmo Bahia. Perdeu: foi 2 x 0, gols de Douglas e Peri, time treinado por Evaristo de Macêdo. 
  No mais, a façanha-sonho do treinador Agnaldo Liz (ex-zagueiro e ex- treinador do sub-23 do Vitória): queria ser campeão e se consagrar, pôr o nome na história do futebol baiano. Belo trabalho, or pouco não conseguiu.
*
 Bola rolando
Quem imaginava um Atlético encolhido, apostando no contragolpe, enganou-se. O Carcará foi pra cima desde o primeiro minuto, querendo e correndo e brigando mais que o Bahia. O Tricolor  meio assustado, lento, nervoso, errando passes, sem conseguir evoluir, engolido pela marcação dura do time de Alagoinhas.  O primeiro tempo foi do Carcará, jogando mais bola, atacando e criando mais. O Bahia quase não chutou no gol de Fábio nos primeiros 45 minutos. 
 Roger mexeu nos vestiários, voltou com o time mais ofensivo, tentando ganhar o meio campo e equilibras: tirou o grandão e improdutivo Fernandão e colocou o jovem Saldanha; trocou Flávio, mais marcador pelo lépido Danielzinho. O jogo ficou mais aberto e ofensivo, lá e cá. Aos 8 miutos, Dedeco assustou Douglas com um chutaço que cobriu  a trave; o Bahia respondeu com Daniel, também por cima. 
- Gol ! O Atlético abriu o placar aos 15 minutos com um chute certeiro, que ainda desviou em Lucas Fonseca, da meia lua, rasteiro, no cantinho. O autor?  O ‘jovem’ Magno Alves, 45 anos. 
  Só então o Tricolor pareceu acordar, correr, buscar o gol, fustigar o adversário. Aos 22’, Elber tabelou com Saldanha, entrou pela esquerda, ficou de frente com Fábio mas errou o alvo. Aos 25’...  
- Gol ! O empate saiu aos 25’, após Ronaldo brigar por uma bola aparentemente perdida na linha de fundo e cruzar rasteiro para trás; Daneilzinho pegou de prima, de canhota, forte e sem chance pro goleiro. 
  Com o empate, a marcação do Atlético já mais frouxa, o Bahia deu pressão, até o final. Élber acertou a trave; Saldanha, Capixaba e Juninho tiveram a chance do desempate. Aos 40’, Vitinho acertou o canto mas Douglas fez ótima defesa, espalmando. 
 E a decisão do campeonato foi para a cobrança de penalidades, tiros livres da marca do pênalti.  Deu Bahia ( Élber fez e Magno ALcves chutou fora; Marco Antonio perdeu para o goleiro Fábio e ... Clayson, Juninho, Saldanha, Capixaba, Nino e Gregore acertaram)    
*
 Destaques
  Douglas, com duas ótimas defesas no jogo e pegou a última penalidade; Ronaldo, ELber, Daniel e Saldanha os melhores do time campeão. 
  No Carcará, o bom goleiro Fábio, os zagueiros Mailson e Eduardo, o ótimo lateral Filipinho, o incansável Tobinho e o veterano maestro e goleador Magno Alves. Louve-se o trabalho coletivo, ponto para Ganaldo Liz.   
*
 Escalações 
 - Bahia de Roger Machado e seu ‘mesclado’: - Douglas, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Capixaba; Ronaldo (Gregore), Flávio (Daniel), Rodriguinho (Marco Antonio) ; Élber, Fernandão (Saldanha) e Rossi (Claysson). 
 - Atlético de Alagoinhas, o Carcará, treinado por Agnaldo Liz: - Fábio, Paulinho (Edson), Maílson, Eduardo e Felipinho; Dedeco, Lucas, Edilson(Alan) e Russo (Vitinho); Tobinho (Reninha) e Magno Alves. 
 Arbitragem baiana, com Marielson Alves no apito, sem maiores problemas. 

**
 O Bahia volta a campo no meio da semana que chega, quarta-feira, dia 12, à noite, estreando na Série A do Campeonato Brasileiro em Pituaçu, contra o Coritiba, vice-campeão paranaense. 
**
 - No Paulistão, deu Palmeiras Campeão, também na cobrança de pênaltis, após o empate murrinha de 1 x 1 no tempo normal, poucas chances de gol. O Palmeiras abriu o placar mas o Corínthians empatou no minutos final. Gol de Jô, de pênalti.  Na cobrança, o time de Vanderlei Luxemburgo foi mais feliz.  
 **
  Champions League
  A mais importante competição de clubes do planeta, envolvendo as maiores equipes da Europa, onde jogam os melhores e mais bem pagos jogadores, chega às quartas de final na semana entrante.  Na sexta passada o Manchester City de Guardiola venceu o poderoso Real Madrid de Zidane (2 x 1); e o Lyon classificou-se na Itália, derrubando a Juventus de Cristiano Ronaldo.
 No sábado, o Bayern de Munique atropelou o Chelsea (4 x 1), em Munique; E no Campo Nou, o Barcelona de Messi fez 3 x 1, contra o Nápoli. Ficaram apenas oito para disputar o sonhado e valorizado título. 
 Assim, estão definidos os duelos, em partida única, em relvados portugueses:
 - Manchester City x Lyon (França); Leipzig x Atlético de Madri; Atalanta x PSG, de Neymar;
   Barcelona x Bayern Munique (esse confronto, no meu entender, uma verdadeira final, antecipada.