quinta-feira, 02 de abril de 2020
Esporte

NORDESTÃO/2020: Vitória empatou em casa com lanterna Freipaulistano

Tropeço do Leão no Barradão
ZédeJesusBarrêto , Salvador | 17/02/2020 às 08:19
Vitória 0x0 Freipaulistano
Foto: ECV

 

   Quando todos esperavam uma goleada rubro-negra sobre o Freipaulistano, o jovem campeão sergipano que ocupa a lanterna do Grupo A da competição (conseguiu apenas dois empates), o Leão rubro-negro baiano não saiu do zero no Barradão, a despeito da correria e do domínio das ações na maior parte do jogo. Faltou competência para balanças as redes. Do outro lado, bem arrumados defensivamente, os vizinhos sergipanos lutaram muito e garantiram o empate. Teve torcedor zangado, vaiando, e torcedor aplaudindo a luta em campo, mesmo que timidamente.

  O Vitória é o terceiro colocado no Grupo B, com 6 pontos ganhos, atrás do Confiança (com 10) e do Náutico, com sete.     

*

  Na toca do Leão

 - Barradão, boca da noite de um domingo limpo de verão, arquibancadas com muitos vazios (apenas 4.500 pessoas presentes)... pois, já é carnaval, cidade.

 - O Freipaulistano, atual campeão sergipano, é um time da cidade de Frei Paulo e tem apenas quatro anos de fundado. Em campo de camisetas brancas; o Leão em campo de vermelho e preto.

*

  Com a bola rolando ...

 - Os visitantes começaram nervosos e o rubro-negro foi logo pra cima, pressionando. Aos poucos, os vizinhos sergipanos foram se acomodando, dificultando, equilibrando as ações no meio campo e rondando também a área baiana. Movimentado. 

 - A primeira boa chance do Leão aconteceu aos 28’, numa ronda na área inimiga. O goleiro Danilo salvou a finalização com desvio de Rodrigo Carioca. Jogo foi se tornando  pegado, faltoso. O Vitória melhor, atacando mais, querendo o gol.  Lances de área e tentativas, lá e cá, mas os goleiros trabalharam pouco. Aos 43’, em nova investida rubro-negra, Vico bateu forte, o goleiro Danilo deu rebote e Rodrigo Andrade perdeu, chutando pra fora.

  - Os donos da casa mostraram mais volume de jogo na primeira etapa, chegaram mais perto do gol.  Os sergipanos marcaram muito, postaram-se bem e assustaram algumas vezes. Prevaleceu o zero no placar.

  Na descida para os vestiários, algumas vaias de insatisfação da torcida  pela pouca criatividade do Leão e também pela atuação da arbitragem maranhense, que deixou rolar as divididas duras.

*

  - O Leão voltou do intervalo com fome de gol, na pressão ofensiva total, com mais profundidade.  Rodrigo Andrade por pouco não fez um golaço de letra, por volta dos 5’. Aos 15’, Rend bateu de fora, assustando Danilo. Os sergipanos já não sustentam o mesmo ritmo, pouco ameaçam.  Aos 25’, Bocão tentou de longe, Geovane (que acabara de entrar) espalmou. Dois minutos depois, Bocão cruzou e Leo Ceará bateu de voleio, errou o alvo. Geninho pediu para a moçada chutar mais, mesmo de longa distância.

 - Já que nada estava dando certo...  Geninho acionou a velha tática: Carleto, o batedor de falta, em campo.  Depois, colocou Viçosa no lugar do bom meia F Neto.  Todos na frente. E vamos cavar faltas !       

  - Aos 40’, Carleto bateu falta das proximidades da área, com força, por baixo, para a defesa e rebote do goleiro Geovane. Ninguém aproveitou.  Aos 42 e 43’, o Freipaulistano tentou alguma coisa, ainda vivo. Aos 45’, Leo Ceará perdeu duas vezes, de frente, a chance clara de gol. O árbitro deu 9 minutos de acréscimos aos 45 normais de jogo. Pressão total nos minutos finais, mas nada aconteceu.

*

Destaques

 No Leão, o goleiro pouco trabalhou, o miolo de zaga não deu vacilo, o lateral Bocão foi melhor que Rafael. Rend rendeu bem, Vico correu muito e F Neto foi o mais lúcido. Os avantes Leo Ceará e Carioca ...  desperdiçaram chances.

  No Freipaulistano, boas defesas dos dois goleiros (Danilo e Geovane); a zaga espanou e o veteraníssimo Ramalho comandou a resistência sergipana.  

*

Escalações

- Vitória : Ronaldo, Bocão, João Vitor,  Maurício Ramos e Rafael (Carleto); Rend, Rodrigo Andrade (Tenório), Vico e Fernando  Neto (Viçosa); Leo Ceará e Rodrigo Carioca.  Treinador, Geninho.

 - Freipaulistano : Danilo (Geovane), Renato (Rhuan), Eron, Lídio e Mateus; Ramalho, Acácio (Tico), Neto e Diogo; Luan e Tiquinho. Treinador, Betinho.

 No apito, Ranilton Oliveira de Souza (Maranhão).

*

  O Vitória volta a campo pela Copa do Nordeste no dia 27, contra o CRB, também no Barradão; a tabela ainda o favorecendo.

**

  As ‘bragas’ do Tricolor

  A despeito do empate (2 x 2) contra o Ceará mal digerido pelo torcedor, o Bahia, com cinco pontos ganhos, está entre os quatro primeiros colocados do Grupo A do Nordestão. É o quarto colocado. O Botafogo (PB) lidera o grupo, com 8 pontos, pois venceu o CSA no Rei Pelé com um gol nos segundos finais. Fortaleza, Sport, Bahia e CRB - têm a mesma pontuação (5 pontos).

*

  O torcedor está tiririca é com os vacilos, as entregadas, os erros individuais grotescos - chamados de ‘bragas’ na gíria dos boleiros - que têm propiciado os gols dos adversários, alguns já nos acréscimos, imperdoáveis; como foi o gol de empate do Ceará, numa intervenção bizarra do zagueiro (e capitão do time?) Lucas Fonseca, já sem pernas, aluado no lance.

  Que tal um descanso, um refresco para o  veterano becão? Até para preservá-lo. Como foi feito com o goleiro Douglas após as falhas nos jogos no Piauí e contra o rival, no clássico.  Desde a temporada passada o zagueiro vem comprometendo, com erros individuais, recuos excessivos no mau posicionamento, pouca agilidade, lerdeza. Um risco, pois a equipe perde jogos, pontos preciosos, classificações e dinheiro.  Não é de agora.

  Dia 19 tem jogo contra o CSA, em Maceió, pelo Nordestão. É vencer ou ... a vaquinha pode ir pro brejo também nessa competição. Acorda Roger, coragem !  Abr’olhos Bellintani !