quinta-feira, 13 de agosto de 2020
Esporte

ARGENTINA VENCEU BRASIL E AINDA DEU BANHO DE BOLA, ZÉDEJESUSBARRÊTO

É o quinto jogo sem triunfo depois da Copa América. É hora de mudar. Comissão técnica e jogadores. Já. Renovar é preciso.
ZédeJeusBarrêto , da redação em Salvador | 15/11/2019 às 20:07
Brasil 0x1 Argentina
Foto: CBF

 

  A seleção de Tite levou 1 x 0  dos Hermanos, no amistoso realizado no King Saud University Stadium, na Arábia Saudita, e um  banho de bola. Poderia ter sido 4 ou 5 tal foi a superioridade da jovem argentina. O segundo tempo foi um massacre, gols e gols perdidos, enquanto o goleiro Andrade só apreciou o passeio, não foi molestado. O time de Tite é burocrático, envelhecido e previsível. Apático, sem força ofensiva, sem alternativas táticas, nada.

  É o quinto jogo sem triunfo depois da Copa América. É hora de mudar. Comissão técnica e jogadores. Já.  Renovar é preciso.  

*

Bola rolando  

- Como todo clássico sul-americano, mais um Brasil x Argentina muito além de ‘amistoso’, cheio de rivalidade e histórias. Começou pegado, disputado, quente. As duas equipes marcando em cima, ofensivos.

 - Aos 8 minutos, após bobeira defensiva dos Hermanos, Gabriel Jesus foi derrubado na área na hora do arremate. O árbitro neozelandês marcou o pênalti.

   Gabriel Jesus deslocou o goleiro, e bateu rasteirinho, pra fora. Displicente.

 - Aos 12min, Alex Sandro derrubou Messi, infantilmente, perto da linha de fundo. Pênalti!

   Gol ! 1 x 0 Argentina. Messi bateu, Alison defendeu bem mas deu rebote; Messi completou, abrindo o placar. Castigo !

  - A partir do gol o jogo ficou bem truncado com faltas duras de lado a lado. Os Hermanos quebrando o ritmo e os brasileiros sem opções, sem variações ofensivas, aceitando a marcação, criando pouco ou quase nada. Aos 45’, num erro no meio campo brasileiro, quase eles ampliam: Messi arrancou livre mas chutou nas mãos de Álisson. Ele não costuma perder chances desse tipo.   

  - O jogo ficou truncado, amarrado até o final da primeira etapa, como os argentinos gostam, quando estão à frente do placar.  Cometeram 18 faltas, contra 7 dos nossos. Os Hermanos mandaram no meio campo. Mostraram mais apetite, mais vontade de ganhar, levando vantagem sempre nas divididas e rebotes. Mereceram o 1 x 0. Andrada não fez uma só defesa.  

*

 - Nos vestiários, Tite tirou Paquetá, que nada jogou, e colocou Phillipe Coutinho, no meio campo. Os Hermanos na moita, na raça, na manha, sem pressa, travando com faltas e o Brasil tentando o empate na pressão, sem inspiração ofensiva, nenhuma penetração, finalização.

  - Aos 13’, Ocampo envolveu a marcação de Alex Sandro já na área brasileira e tamancou: por  cima ! Quase ampliou. Tite põe Fabinho no lugar de Artur.

  - Aos 17’, Tite trocou de lateral esquerdo: saiu Alex Sandro, apagadão, entrou Lodi. Mas, e o ataque?  Messi bateu falta de longe, aos 20’, com endereço certo, mas Álisson espalmou. Aos 24’, outra batida de falta de Messi, deu Álisson.

  - Aos 25’, Richarlisson e Rodrigo (estreante,18 anos) no lugar de Gabriel Jesus e William. E o ‘intocável’ e inócuo Firmino continua em campo, opaco. O Brasil não ameaça o arco adversário. Aos 30’, Álisson voa e salva um chutaço de Lo Celso. Domínio argentino. Aos 34’, Martinez perdeu, de cara, chutou alto.

 - Vergonhoso. O tempo passando e a equipe de Tite não chuta uma bola no gol adversário. Nada cria. Absolutamente dominada, entregue. Aos 38’, Rodriguez chutou forte de longa, a bola desviou na zaga e Álisson torceu apenas; a pelota descaiu, aspando o poste. Aos 39’, Otamendi perdeu outro, errou a cabeçada.    

  - Nos minutos finais, os brasileiros tentaram no abafa, mas ...  nada. Os Hermanos perderam a chance de enfiar uma goleada. O segundo tempo foi um massacre.

   Individual e coletivamente, taticamente, o time brasileiro foi uma decepção.

*

Escalações

Tite ousou (?) : Álisson, Danilo, Tiago Silva, Militão e Alex Sandro; Casemiro (Wesley), Artur, Paquetá (Coutinho) e William (Rodrygo); Firmino  e Gabriel Jesus (Richarlisson).

 Argentina :  Andrada, Foyth, Otamendi, Perrela e Tagliafico; Paredes (Rodriguez),  Lo Celso (Acuña), De Paul (Gonzalez) e Messi; Ocampo e Martinez (Alário).

*

Ainda nas Arábias, terça-feira, amistoso contra a Coréia do Sul.

 

**

Mundial Sub-17

 A final será Brasil x México, domingo, no estádio de Gama, em Brasília. O México classificou-se vencendo a Holanda, campeã europeia da categoria, nos pênaltis, depois de um empate de 1 x 1 no tempo normal.  É um time tinhoso e brigão.

 O Brasil venceu na semifinal o time de negros e galalaus da França, de virada (3 x 2) num jogo emocionante, no Bezerrão, em Gama. Pra se ter ideia, os franceses fizeram 2 x 0 em 15 minutos de bola rolando, amassando os meninos do Brasil na correria, no vigor físico. Foi o placar do primeiro tempo.

 A equipe brasileira voltou do intervalo pro  tudo ou nada, voando, na pressão. Fez 2 x 1 aos 15 minutos e empatou aos 30, na raça. O gol do triunfo aconteceu aos 43. Heróico.  

 Agora, a disputa do título de Campeão do  Mundo, em casa.

 
**

 Sub-23, time pré-olímpico

A equipe brasileira disputará o título de um curto torneio amistoso em Tenerife, nas Ilhas Canárias, contra a Argentina, esse fim de semana. Os Hermanos venceram o time de Las Palmas e o Brasil ganhou de 1 x 0 a equipe dos EUA. Artur, do Bahia, entrou e jogou toda a segunda etapa, o placar definido.

**