segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020
Esporte

BUGRE FLECHOU O LEÃO NA FONTE FRUSTRANDO O TORCEDOR 0x1

O torcedor compareceu e 17 mil rubro-negros foram a Fonte Nova
ZédeJesusBarrêto , Salvador | 14/09/2019 às 19:08
Vitória 0x1 Guarani
Foto: ECVitória

BUGRE FLECHOU O LEÃO NA FONTE

    FRUSTRANDO O TORCEDOR

  Guarani de Campinas 1 x 0 Vitória, com 17 mil torcedores rubro-negros sofrendo nas arquibancadas da Fonte Nova, a nova morada do Leão até 2023. Não foi uma volta, uma retomada alvissareira, apesar do belo gramado e do barulho da galera.

  A derrota em casa para o então lanterna da competição quebrou a invencibilidade de sete jogos do treinador Amadeu e deixa o Leão na boca da zona de agonia; pior ainda, quebra o tesão do torcedor, que viu uma equipe desnorteada em campo, sem inspiração e sem mostrar nenhuma evolução coletiva, ofensiva.  

   Resultado justo. O Guarani foi mais arrumado e mais objetivo.   

 *

Com  a bola quicando ...

- O Bugre começou encarando o Leão na Fonte.  Sem cautelas defensivas. O Leão, de morada nova, parecia estranhar o eco das arquibancadas. Na bola, pau a pau.

 - O primeiro chute foi dos paulistas, aos 13’. Davô ajeitou e bateu de fora, rasteiro, para a rebatida do goleiro uruguaio Martín; aos 27’, Gedoz levantou a torcida, chutando com perigo; aos 21’, o mesmo Gedoz cobrou falta rasante da esquerda e por pouco ... ninguém alcançou.

 - Gol ! 1 x 0, Guarani, Michel Douglas escorando na pequena área, antecipando-se ao zagueiro, após uma jogada de fundo, pela esquerda. Lance coletivo, de cartilha. Aos 25’.

 - O Leão pareceu sentir a flechada. Aos 29’, numa infiltração pela esquerda, nas costas do lateral Van, Crispim entrou veloz batendo forte, acertando a trave rubro-negra. Dois minutos depois, o Vitória respondeu na cobrança de escanteio; a cabeçada passou por cima. Aos 35’, do outro lado, Martin Rodrigues espalmou outra. O Bugre parecia melhor distribuído e ganhava mais as disputas, errava menos passes no meio campo.

- O Bugre ganhou o duelo com o Leão na primeira etapa, flechou, 1 x 0. Foi mais equipe em campo. O torcedor não gostou do que viu e vaiou na descida pros vestuários, intervalo para a merenda.

*

 - De volta, os mesmos 22 atletas e a mesma postura ousada do Bugre de Campinas. Ao Leão, apenas uma alternativa: ir pra cima, atacar. Com os incentivos da arquibancada, pressão total, empurrando o adversário para trás.

 - Aos 7’, após cobrança de falta de Gedoz, da direita, no bate-rebate na área Anselmo Ramon achou a brecha e bateu colocado, errando o alvo por pouco. Os visitantes já não encaixavam os contragolpes. 

  -  Já aos 12’, Amadeu retirou o apoiador Rodrigo Andrade, cria da Toca do Leão, vaiado, e lançou o avante Felipe ; Aos 13’, o guarani fez uma  Gracinha, um chute alto.  Aos 20’, o equatoriano Caicedo no lugar de Anselmo Ramon; tentativa de por mais força ofensiva, velocidade.     

 - O Leão tem a bola, joga mais no campo adversário, mas penetrava e finalizava pouco. O Bugre se defendia bem, mas passava sufoco. Aos 26’, Wesley recebeu na área, nas costas da zaga, mas o goleiro Klever saiu bem e abafou, evitando o empate. Aos 28’, outra salvadora intervenção de Klever, na cabeçada de Lucas Cândido, escorando cobrança de falta da direita por Gedoz.

  -  O Bugre começou a cozinhar o jogo. Wesley tentou de longe e acertou o rodapé do poste dos paulistas. Não sai o gol, o torcedor se impacienta, alguns atletas da casa nervosos; Gadoz deu duas entradas violentas, Baraka e Lucas Cândido pegando forte, os guaranis retrucam... O árbitro deixa correr frouxo. E o tempo passa.

  - Aos 40’, Amadeu arrisca tudo: tira Baraka, apoiador e põe mais outro atacante, Eron. O Bugre resiste, segura, masca o ritmo, ganha tempo. Aos 47’, outra entrada desleal de Gedoz; expulso, desfalca a equipe, não viaja para Sorocaba. Vaias para ele.

  E vaias e protestos de decepção da torcida no final.

*

 Destaques

 Faltaram competência, jogo coletivo e tranquilidade aos rubro-negros. Wesley buliçoso, apenas. Gedoz é o autor das jogadas mais perigosas, batendo faltas até as pernas afrouxarem; daí, começou a bater e foi expulso, malandramente. Viajar, pra quê?   

  No Guarani, um bom goleiro, boa postura defensiva e correria; a equipe bugre sobrou fisicamente.

  *

Escalações

- Vitória  : Martín Rodríquez, Van, Ramon, Everton Sena e Chiquinho; Baraka, Rodrigo  Andrade (Felipe) e Lucas Cândido; Gedoz, Anselmo Ramon (Caicedo) e Wesley.   Treinador, Carlos Amadeu.

- Guarani de Campinas (SP) : Klever, Lenon, Luis Gustavo, Garetta e Thallyson;  Artur Rezende,  Igor Henrique e David; Crispim, Davô e Michel Douglas (Nando).  Treinador, Thiago Carpini.

No apito, o alagoano Dênis Ribeiro (sem o auxílio do VAR)

*

 O próximo confronto do Leão é na terça-feira, 21h30, em Sorocaba (SP), com o São Bento – o atual lanterna da competição.

**

  Neste domingo à tarde, na mesma Fonte Nova, Bahia x Fortaleza, pela Série A.

**