quinta-feira, 05 de dezembro de 2019
Esporte

TUBARÃO DERROTOU LEÃO QUE CONTINUA NA ZONA, ZÉDEJESUSBARRÊTO

Vitória começou vencendo e levou virada 3x1 do Londrina
ZédeJesusBarrêto , Salvador | 23/07/2019 às 23:43
Londrina 3x1 Vitória
Foto:

 

  Quando todos esperavam uma reação do Rubro-negro baiano, depois do triunfo sobre o Criciúma no Barradão, o Leão voltou a decepcionar, dessa vez levando 3 x 1 do Londrina, de virada, no Paraná. É a oitava derrota do Vitória na competição e a equipe continua com seus sete pontos ganhos, na zona da rabada, dos quatro últimos colocados.

  O time baiano até fez uma primeira etapa equilibrada, mostrando evolução em suas linhas, mas a segunda etapa foi horrível. Pane na defesa, marcação frouxa no meio campo e nada criou ofensivamente.  E agora?

 

*

 Pra começar ...

- Estádio do Café, Londrina. Piso amarronzado, iluminação de boate, fazendo sombras, aquela friagem.

- O Leão, ainda na zona da degola (sete pontos), em busca de recuperação, um triunfo fora de casa, pegar embalo.  O Londrina, o Tubarão que costuma se impor em casa, sétimo colocado, com 10 pontos a mais.  

*

Com a bola rolando:

 Começo equilibrado,  mas ...

A primeira chance clara de gol foi do Vitória, aos nove minutos; o lateral  Mateus Rocha levantou da direita, na medida, Anselmo Ramon testou firme tirando tinta do poste esquerdo do goleiro  Albino.

  Um Leão mais ousado, com postura ofensiva, ocupando melhor os espaços, à vontade.

- A resposta do Londrina aconteceu aos 15’, boa finalização de Safira, na área, para defesa difícil do uruguaio Martín, espalmando.   

 - Gol ! 1 x 0, Gedoz, aos 18 min, cobrando falta das proximidades da área, pela esquerda, com força; a bola bateu na trave e foi pras redes.

   Com o placar adverso, em casa, o Londrina despertou, foi pra cima. Mas o Leão não recuou. Aos 35’, Bruno Bispo substituiu o zagueiro Éverton Sena, machucado.

  -  Gol ! 1 x 1, aos 44’, Londrina: Anderson Oliveira pegou forte, de canhota, lá de longe, a meia altura e acertou o canto; o goleirão Martín quando foi ... já era.  Caiu atrasado.

  Um empate justo pelo que produziram as equipes. O rubro-negro baiano mostrou evolução, a equipe parece ir se encorpando aos poucos.

*

  O Leão voltou lerdo dos vestiários, a defensiva desligada. Assim, mal começou ...

 - Gol ! Londrina 2 x 1, Dagoberto aos dois minutos, completando na pequena área um  cruzamento de fundo rasteiro, da esquerda, antecipando-se aos zagueiros. Começo da virada.

  Abriu a porteira, o Tubarão catarinense mordendo:

  - Gol !  3 x 1 Londrina, Anderson Oliveira, livre, de cara, após outra boa jogada do veterano Dagoberto, a defensiva baiana inerte. Aos 4 minutos. Complicou.

  - Aos 10’, o Leão esboçou reação; Baraka testou um cruzamento da esquerda, de frente, mas o goleirão Albino espalmou. 

  - Os baianos já não estavam arrumados em campo como na primeira etapa. Marcavam frouxo no meio campo, a zaga desatenta, sem encaixar os contragolpes. Um Leão sem garra, sem força de reação. O Londrina ‘fechou a casinha atrás’, marcando sério,  e ameaçava em contragolpes velozes quando tinha a bola.

 - O Rubro-negro nada criava, não ameaçava. Aos 33’, Loss tirou Gedoz, já sem pernas, e colocou Nickson. Porém nada acontecia de positivo do lado baiano. Aos 43’, Safira arrancou pela direita, ninguém o alcançou; o disparo rasteiro bateu no rodapé do poste de Martín.

Foi só.  Um segundo tempo opaco do Leão baiano.

*

 Destaques

 Uma boa primeira etapa de Mateus Rocha e Gedoz. Só.

  No Londrina, o veteraníssimo Dagoberto decidiu em dois lances.

*

Escalações

- Londrina : Matheus Albino, Raí Ramos, Augusto (Silvio), Marcondes, Bertotto (Bruno); Germano, Anderson Leite e Mocellin (Luigi) ; Safira, Dagoberto e Anderson Oliveira. Treinador, Alemão.

 - Vitória : Martín Rodriguez, Mateus Rocha, Éverton Sena, Ramon e Chiquinho; Leo Gomes, Baraka, Gedoz e Rui; Anselmo Ramon e Weslei.  Treinador, Osmar Loss.

  Arbitragem de Goiás, sem VAR.  No apito, Jeferson Pereira de Moraes.

**

 O Leão volta a campo no sábado, em sua casa, a Toca do Barradão. Recebe a Ponte Preta de Campinas (SP), a ‘macaca’, que está entre os quatro primeiros na tabela de classificação.

**