quarta-feira, 28 de junho de 2017
Esporte

BAHIA leva 4x2 do VERDÃO e perde invencibilidade, por ZÉDEJESUSBARRÊTO

Bahia agora vai enfrentar o Corinthians
ZédeJesusBarrêto , Salvador | 18/06/2017 às 18:35
Bahia 2x4 Palmeiras
Foto: Felipe Oliveira

Um jogaço com seis gols, disputado até o final, e o tricolor perdeu sua invencibilidade na Fonte Nova, perante sua torcida, levando quatro gols, coisa que há muito não acontecia. O placar de 4 x 2 para o Palmeiras talvez não retrate o que aconteceu em campo, mas o que vale no futebol é bola na rede. 
  Com o resultado, o Bahia continua com 10 pontos, e desce para o 11º lugar na tabela de classificação, o mesmo número de pontos que o Palmeiras. 

 **  

  Tarde úmida, um domingo molhado de quase inverno e, a despeito disso, um bom público, mais de 33 mil pagantes no estádio. Viram um bom espetáculo, cheio de alternativas e belos gols.   

  Desfalques e escalações: 

  Por questões médicas, físicas, de cartões, punições e restrições contratuais, desfalques nas duas equipes.   

  -Bahia : Jean, Eduardo, Tiago, Becão e Mateus Reis; Renê Jr, Juninho (João Paulo), Vinícius (Ferrareis) e Ze Rafael; Mendoza e Edigar Junio.   Téc: Jorginho. 
  - Palmeiras : Prass, Maike (Tchê-Tchê),  Jean, Mina, Julinho e  Egídio; Tiago Santos, Guerra, Roger Guedes, William, Keno (Érick).   Treinador: Cuca. 

*
  Bola rolando

   Jogo intenso, com muita disputa de bola no corpo a corpo desde o início. E até o apito final.  
- Aos 5 min, a primeira chance, do tricolor; Edigar Junior arrematou no bico da pequena área, forçando boa defesa de Prass. O verdão respondeu dois minutos depois com um chutaço de Keno de fora da área, por cima do travessão, assustando Jean.  

- Aos 17 minutos, numa bola enfiada na área para o veloz Kenon, Becão chegou travando a bola, mas o árbitro Rodolfo Marques inventou um pênalti em favor do Palmeiras. Roger Guedes bateu forte e fez 1 x 0, Palmeiras. 

   O Bahia com mais posse de bola, pondo a bola no chão, tentando trocar passes mas sem penetração em função da forte e dura marcação do time paulista, fechadinho, dando chutões, apostando nos contragolpes e na velocidade de Keno. 

- Gol !  1 x 1 . Após uma blitze tricolor e duas defesas seguidas a queima-roupa de Prass, Vinícius encheu o pé e empatou a partida, aos 44 minutos. 

 O tricolor foi melhor na primeira etapa, ditou o ritmo, mas foi prejudicado pela penalidade mal marcada pela arbitragem. Não esmoreceu e obteve o empate no final, com justiça.
*
   Outro jogo na segunda etapa. 

 - Gol ! 2 x 1 Palmeiras. Logo aos  3 minutos  da etapa final, Keno, livre pegou de primeira um rebote, de fora da área e acerta o ângulo de Jean, sem defesa. Golaço.  Os tricolores reclamaram um impedimento anterior no mesmo lance. 

   O Jogo ficou equilibrado e perigoso. O Bahia mais afoito, saindo mais, expondo-se aos contragolpes e o Verdão manhoso, perigoso na retomada de bolas. O tricolor demonstrou ter sentido o gol sofrido e começou a errar muitos passes na saída de bola. Os Paulistas ganhavam mais as divididas, o corpo-a-corpo no meio campo. A entrada de Tchê-Tchê deu encaixe.   

 -  Aos 16, Egídio tabelou e entrou de cara mas Jean abafou o lance, saindo bem no chão. 
 - O tricolor chegou aos 29’, numa cobrança de falta de Juninho, que Prass tapeou para escanteio.
   Aos 30’, Jorginho foi para o tudo ou nada. Tirou o meio-campista Jorginho e colocou o avante garoto João Paulo. E foi para frente tentar o empate, alçando bolas na área palmeirense. Mas... aos 38 minutos :
- Gol!  3 x 1 Palmeiras. Mas o Verdão, que cozinhava a partida, mascando, fazendo cera, marcou após uma cobrança de falta longa, alçada, no lado oposto, a defesa baiana vacilou,  Julinho testou, Jean sem reação, a pelota passou e Mina escorou em cima da linha.  

 - Gol !  3 x 2, dois minutos depois. O tricolor não se entregou. Também numa cobrança de falta larga da direita, pelo alto, o zagueiro foi traído pelo toque de bola, encoberto, e João Paulo brigou, dividiu com Prass no chão, na pequena área, e empurrou para as redes. 

   Empurrado pela torcida o Bahia parecia vivo, foi todo para cima tentando o empate, daí ... Aos 47’, William pegou uma sobra de primeira, de longe, e com rara felicidade, acertou o cantinho; Jean saltou e não achou nada: 4 x 2,  golaço! Matando a partida.
*
Destaques:

Na equipe vencedora, o goleiro Prass, experiente, vivido; o zagueirão colombiano Mina, imbatível pelo alto, decidido; Guerra, técnico; Roger Guedes brigão, William decisivo e o baiano Keno infernizou enquanto teve pernas.  Guto, no intervalo, mexeu melhor na equipe do que Jorginho. O Palmeiras foi bem melhor na segunda etapa. 

No Bahia, Jeanzinho tomou dois gols defensáveis, o terceiro e o quarto. Eduardo esgotado, apanhando da bola.  Tiago bem, Becão não comprometeu individualmente; Renê Jr o melhor no meio campo; Mendoza correu e lutou muito.   
    
**

Nona Rodada:

Na quarta, 19 horas, o Vitória recebe a boa e jovem equipe do Santos, agora treinada pelo experiente Levir Culpi

Na quinta, 21 horas, o Bahia encara o Carínthians lá na Arena Itaquera, a casa do ‘Timão’. Parada indigesta.