segunda-feira, 21 de setembro de 2020
Economia

CAOS EM BEIRUTE: GERENTE DO PORTO DENUNCIA JUSTIÇA POR MANTER NITRATO

Mais de 200 mil perderam suas casas em explosão de Beirute

Tasso Franco , da redação em Salvador | 05/08/2020 às 11:13
Destruição em parte do porto e da cidade
Foto: AFP
O chefe do porto de Beirute disse em entrevista à emissora libanesa OTV que o material explosivo foi armazenado no local com base em ordem judicial e que há seis anos pediu às autoridades que o material fosse removido, segundo informações da Al Jazeera. Uma grande explosão nesta terça-feira (4) deixou mais de 100 mortos e 4 mil feridos. A explosão foi causada por 2.750 toneladas de nitrato de amônio.

Hassan Koraytem, gerente geral do porto de Beirute, disse que a instalação havia armazenado material altamente explosivo, o nitrato de amônio. O produto é apontado como responsável por causar a forte explosão que abalou Beirute.

Koraytem disse que o departamento de alfândega pediu às autoridades que o material fosse exportado ou removido, mas que "nada aconteceu".