ter?a-feira, 14 de julho de 2020
Economia

Mercado publicitário prevê queda de até 50% da receita no Brasil

Os dados são da pesquisa VAN Pro, promovida pela Fenapro com 344 agências de todo o País
Rafael Veloso , Salvador | 01/06/2020 às 18:35
Mercado publicitário prevê queda de até 50% da receita no Brasil
Foto: Divulgação

Os meses de abril e maio devem ser de queda na arrecadação da maioria das agências publicitárias brasileiras (92,7%). É o que aponta a primeira edição da pesquisa VANPro (Visão de Ambiente de Negócios em Agências de Propaganda) realizada em 2020 pela Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro), em parceria com o Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-Bahia).

 

“Essa edição da pesquisa teve como objetivo mapear os impactos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus nas agências, suas respostas empresariais, perspectivas de futuro e aprendizados dos empresários com uma situação extrema e inesperada”, ressalta o presidente da Fenapro, Daniel Queiroz.

 

Para 57,2% dos representantes das agências de propaganda que responderam à pesquisa, a previsão é de registrarem queda de até 50% em suas receitas. Quase um terço do total das empresas (32,8%) projeta queda entre 30% e 50%. Mais de um terço delas (35,5%) avalia a queda como sendo superior a 50%. Foram ouvidos 344 representantes de empresas do setor de 20 estados brasileiros e do Distrito Federal, o que resulta na participação de todas as regiões do país, sendo 41% da região Sudeste, 26% do Nordeste, 18% do Centro-Oeste, 10% do Sul e 5% do Norte.

 

Uma pequena parte das empresas se mantém otimista e não projeta redução (6,4%) ou prevê aumento de receita (0,9%). Na visão completa sobre o ano de 2020 em comparação com o ano anterior, 93% das empresas acreditam em queda de faturamento, com 18,3% avaliando que haverá queda acima de 50%, mais de um terço (36,9%) projetando queda entre 30% e 50% e outra parte similar (37,8%) acreditando que esta queda será de até 30%. Uma pequena parte das empresas acredita que não terá queda (4,4%) ou que terá aumento de receita (2,6%).

 

Com relação às dificuldades que se impuseram neste momento, a captação de recursos foi a mais frequente apontada como sendo o maior desafio, com 28,5% das respostas, seguida da gestão financeira (27,9%) e manutenção dos contratos com clientes, com 24,1%. Gestão de equipe ou de projetos foram apontados como o principal desafio para 17,7% das empresas.

 

O futuro - A pesquisa VANPro perguntou aos empresários sobre as perspectivas de futuro para suas agências e sobre o tempo que avaliam necessário para recuperar os níveis de faturamento pré-crise. Aproximadamente um em cada quatro empresários (24%) acredita que levará menos de seis meses para recuperar o faturamento, enquanto que 42% avaliam que o tempo necessário para recuperação será entre seis meses e um ano. Já 30% avaliam que o tempo será superior a um ano, com 26% acreditando que levará entre um e dois anos e 4% acreditando que este tempo será superior a dois anos. “As agências estão se ressignificando, junto com seus clientes, para reduzir esse tempo de reconstrução”, avalia Vera Rocha, Presidente do Sinapro-Bahia.