sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO aprecia o Feijão do Lindú com beijinhos, em Camaçari

Um feijão pra lá de especial com carnes nobres com farinha, salada vinagrete e arroz
10/02/2017 às 20:15
 Há centenas de feijões e feijoadas em Salvador e na RMS servidos em tendas, mercados, kombis, restaurantes, centros comerciais, feiras livres e variados pontos. 

   Creio que isso acontece em outos municípios baianos, pois, se existe um produto popular na mesa dos brasis é o feijão nosso de cada dia servido com farinha, arroz e diferentes tipos de carnes, miúdos e fatos. 

   E, claro, tem o feijãozinho que a gente come em casa, quase todo dia, e tem o feijão dos restaurantes.

   Diria que um dos melhores que conheço é o Feijoão do Lindú em Camaçari. 

   Tem um tempero que ele não ensina a ninguém e foi sendo aperfeiçoado ao longo dos anos e tanto faz o prato servido a uma pessoa quanto o prato família para 6 pessoas, que o gosto é o mesmo.

   Lindú faz um panelaço de feijão todos os dias que é servido com salada vinagrete, arroz, farinha e pimenta. Não se trata de uma feijoada com aquele monte de ingredientes - pés de porco, chouriços, torresmos, couve, língua e outros - e sim de um feijão com as carnes nobres, o que significa dizer que os clientes apreciam o gosto do feijão mais do que qualquer outro penduricalho.

   Já frequento o Lindú há 6 anos desde que fui levado por Maurício Bacelar, na pré-campanha eleitoral de 2011, quando ele depois disputou com Ademar Delgado e perdeu o pleito.

   Já ouvira falar no tempero do Lindú, que algumas pessoas pensam ser uma mulher, mas, se trata de um homem, e dei sorte que, no dia em que fomos por lá, eu e Maurício, o próprio estava no restaurante e nos contou toda sua trajetória gorumet, os cuidados que tem no tempero do feijão, na qualidade dos produtos, do feijão em sí às carnes e de preparar tudo bem cedindo para que, quando os clientes cheguem ao seu restaurante a comida já esteja pronta.

   Detalhe: o Lindú não serve feijão requentado de um dia para o outro. Todo o panelaço, ou os panelaços que produz, a depender dos dias, porque nos finais de semana faz-se mais feijões do que numa terça-feira, é (ou são) vendido (s) no mesmo dia. 

   E, diria, meu caro leitor, minha nobre leitora, não sobra nada.

   Certa feita, yo e la señora Bião de Jesus, mi esposa, fomos fazer feira no Mercado Central de Camaçari para abastecer nosso rancho no Vilarejo e nos distraimos por lá, compra uma tapioca em dona Damiana, uns temperos no Valdir, a melancia no rei das frutas, e perdemos a hora. 

   Quando chegamos no Feijão do Lindú, por volta das 14h a portão do restaurante já estava fechado, mas, ainda havia alguns clientes por lá e o movimento dos garçons.

   - Gritei do portão: ainda tem feijão por aí Sêo Lindú?

   Um gajo, que é seu filho, educadamente respondeu cantando: - Acabou...o feijão do Lindú, acabou...acabou.

   Dei foi risadas e fomos comer noutro lugar.

   Mas, neste verão, com lá Bião, su madre, su hermana e mi nieta Luna chegamos cedo e deixamos para comprar a tapioca de dona Damiana depois de saborear o feijão.

   E, encontramos por lá, uma turma da Policia Civil almoçando, claro, operários do Pólo de Camaçari com aqueles macacões típicos de fábricas e outras tantas pessoas, daí que ocupamos uma mesa e falamos logo com o filho de Sêo Lindú: - Reserve logo nosso feijão e ficamos a tomar umas geladas para abrir o apetite.

   O rapaz nos cubou e disse: um aribé para 4 pessoas cabe de bom tamanho pra vocês.

   Yo que estava dirigindo fiquei na secura alcoólica e dividi com mi nieta uma coca cola de litro porque se tem uma pessoa que adora a marrozinha é Luna e foi ela quem provou o feijão assim que chegou a mesa.- 
   
   - Meu vô! tá uma delicia.

   Não sobrou foi nada do aribé beiço fundo servido para nós. 

   De sobremesa, não reservamos a cocadinha que serve por lá e também dancei. Havia acabado. Nos contentamos com beijinhos, aquele docinho maravilhoso.

   Então, diria que foi feijão com beijinhos.

   Dias depois, mi nieta questinou: - Quando a gente volta lá no Lindú?

   - Bien, creio que só no verano 2018.
------------------------------------------------------------------ 
Restaurante Feijão do Lindú
Rua Velha do Natal, s/n
Bairro Natal - Camaçari 
(Seguindo após o prédio da Cidade do Saber)
Fone 71. 3644-2218
Feijão para 4 pessoas R$76,90
Feijão para 1 pesspa R$19,00
Feijão familia 6 pessoas R$105,00
Bohemia R$7,50
Beijinhos R$7,00
Salada vinagre extra R$4,00
Arroz extra R$3,50
Local arejado sem climatização
Estacionamento na rua
Não tem manobrista
Aceita todos os cartões
Abre só para almoço
​Classificação 3 DONS