sexta-feira, 18 de setembro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO se atraca com Feijão do Valter com fato, livro e pimenta

Feijão da melhor qualidade com uma gelada, salada, arroz e farinha
16/09/2016 às 19:38
 Feijão! O feijãozinho nosso de cada dia são tantos na Cidade da Bahia e sua Região Metropolitana que precisaríamos um ano de jornada, 365 dias, se quizessemos a todos percorrer e saboreá-los. 

   Dizem que são como as 365 igrejas da Cidade Mãe, uma para cada dia, para cada oração, para cada santo.

   Nos feijões, também são assim, um para cada santo e/ou orixá, com direito a uma saudação de pinga inicial, a louvação ao apetite. Fala-se: "Essa vai para o santo e joga-se um pouquinho da pinga no chão ou no terreiro e o restante da malvada sorve-se".

   São tantos os feijões que enumerá-los seria tarefa dificil, como são complicadas relacionar as basílicas, igreja e capelas, quem há de lembrá-los e lembrá-las todos e todas! 

   Lembro, no entanto, dos feijões do Sapo, do Lindú, da Vera, do Jonas, do Peri, do Moreira, da kombi, do Bar das Meninas, de Kalinda, de Alaíde do Pelô, de Dadá, da Nega Jhô, do Clarindo, do Othon, da Venda, do Armazém, do Bigode, do Nogueira e tantos são que um calendário gregoriano encheria.

   Semana passada fui conhecer mais uma dessas raridades da gastronomia pátria popular, o Feijão do Valter, em Lauro, na RMS, desta feita acompanhado da señora Bião, numa dica do 'chef' Durão.

   O Valter é uma figura bem popular e começou a vender sua feijoada no mercado de cereais, frutas e verduras do centro de Lauro de Freitas. Negócio nitidamente familiar com a ajuda da esposa Cláudia. O feijão do Valter, como é mais conhecido, agradou aos feirantes e clientes da feira e fazia o maior sucesso.

   Até que, veio uma gestora municipal e resolveu fazer uma reforma no mercado e lá se vai quase uma década e essa reforma não foi concluida.

   Valter então resolveu alugar um ponto na Rua Maria de Glória Cirilo e pra lá se mudou de malas e bagagens. E, claro, levou consigo os antigos clientes e conseguiu também angariar novos.

   - Eu preferia ter ficado lá no Mercado. Mas a gente não escolhe a vida e estou aqui, embora penso em ainda voltar para lá quando a obra for concluida, diz com ponta de saudosismo.

   Dona Cláudia, sempre jovial, diz que adora onde está e além de ajudar na cozinha serve os clientes nas mesas. 

   Foi exatamente ela que nos serviu, na inicial, no serviço dos informes e da gelada. Lá señora Bião parecia saída de uma seca do Sertão. A gelada esvasiou num gute-gute. Depois, no serviço do principal, entrou em cena Renata, uma garçonete estilosa.
 
   O feijão do Valter tem todas aquelas carnes de uma feijoada simplificada - fato, carne de sal preso, livro, desfiada, sertão, chouriços, etc -  e é servido com arroz e farofa. Além, óbvio, da pimenta.

   Feijão sem pimenta é mulher solteira assanhada. Tem que ter pimenta das fortes. La madame Bião de Jesus descuidou-se e em poucos instantes estava a maldizer da ardilosa.

   - Coisa do outro mundo, do Curupira, soprava ela pedindo mais gelada.

   Também recomenda-se aquela pro santo.

   Valter diz que produz um milone - e mostra o garrafão - da melhor qualidade, com ramagens de ervas colhidas no Caji, boa para espantar males da barriga.

   Desta feita dispensei dar uma pro santo. La señora Bião já estava abraçada na segunda geladíssima e a acompanhei.

   O feijão do Valter é uma delicia. Bem temperado, fartíssimo, saboroso e servido no capricho. O restaurante é simples, popular, com decoração modesta e cardápido na quadro com letras em giz.

   É servido em três modelos: para uma pessoa, para duas pessoas e para três pessoas com preços acessíveis. Só que, se o casal não for Obeleix, a porção de dois dá pra três; e a de três dá pra quarto.

   Claro, se você tomar muitos milomes, não dá.

   Indo a feirinha de Lauro, no centrão, passa lá na feijoada do Valter. Tem todos os dias, exceto segunda.
----------------------------------------- 
FEIJOADA DO VALTER
Rua Maria de Glória Cirilo, 28
Centro de Lauro 
Fone (71) 3288-0659
De terça a sábado das 8h às 18h
Aos domigos até 14h
Estacionamento na rua
Feijão para 1 pessoa R$25,00
Feijão para 2 pessoas R$40,00
Feijão para 3 pessoas R$60,00
Cerveja gelada R$6,00 - unidade
Refrigerante em litro R$5,00
Pagamento no efetivo
Local arejado
Classificação 2 DONS
* Vende cigarro no 'retaio'