quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO abre o São João com uma picanha suina no Sertanejo

Restaurante fica na divisa entre Lauro de Freitas e Salador e tem uma boa comida, básica
03/06/2016 às 15:43
O Sertanejo é um dos restaurantes mais antigos da Estrada do Coco na porta de entrada de Salvador. Só com os atuais arrendatários são 14 anos de labuta e tantos outros do passado, sempre servindo bem à sua clientela.

   É um típico local da classe média com comida a preços acessíveis, parquinho de diversões para as crianças, um coelhario, brinquedinhos básicos para a garotada e uma imensa área em redor da casa com um ficus asiático de 13 anos que dá uma sombra maravilhosa e torna o local bucólico.

   Já imaginaram almoçar ou jantar num ambiente assim, acolhedor, com essa figueira encantada à sua vista vendo o quando pode a natureza e a dedicação do homem em preservá-la. É gratificante, agradável, uma satisfação. A árvore é imensa e parece acolher o restaurante em seus braços.

   O Sertanejo, como o própio nome indica, é uma casa que serve o básico e o bom do sertão, do bode na brasa e carne de sol com pirão de leite. Mas é claro que não é só isso. 

   Sendo uma casa próxima do mar, nas franjas do aeroporto de Salvador, há moquecas de peixes e camarões. E um surubim de cair o queijo. Claro que tem também todas aquelas entradas opcionais de queijo coalho, bolinhos de peixe e de bacalhau, pão com alho e outros petiscos de avivar a pança. E pizzas se as prefere.

   Josaphat, o garçom que me atendeu, tem longo curso na casa e serve a todos - uma grande clientela - sempre com bom humor, com a vantagem de deixar os clientes à vontade.

   Não é garçom pega-no-pé palpiteiro daqueles que dá sugestões ao gosto da casa.

   Eu mesmo optei por uma picanha suina. 

   Como assim? Ora, uma picanha de carne de porco bem passada, sem qualquer tipo de gordura, servida na trempe, com aquele fogareiro sobre a mesa com chapa aluminizada que não deixa a carne esfriar e fica sempre quentinha. 

   Daí que você vai cortando aos pedacinhos e colocando na boca para saboreá-la.

   Não adianta ter pressa nem no almoço, muito menos no jantar. Tem que curtir o restaurante, seu ambiente por  mais simples que seja, o comportamento dos garçons e o sabor da comida.

   Antes do prato chegar a mesa fui conhecer o coelhario. Os coelhos estavam animadíssimos com a ração e se divertiam no revesamento do cocho. Outros repousavam e curtiam uma réstia de sol.

   Josaphat disse-me que as crianças adoram e nos finais de semana o parquinho fica lotado os pais à vontade, nas mesas, e os pequenos se divertindo.

   O Sertanejo é um lugar bem agradável, arejado, com a brisa que vem do bambuzal da entrada do aeroporto. Embora fique às margens da Estrada do Coco não se ouve sequer as zoada dos carros que seguem via Lauro ou para a capital. 

   E, para manter a tradição junina, já está decorada com motivos em louvor a João, o santo batizador de Cristo, e a São Pedro, o santo que tem a chave do céu.

   Josaphat anuncia que minha picanha estava sendo caprichada e em instantes chegaria à mesa.

   De fato, não tardou. Algo em 20 a 30 minutos, o que é normalissimo numa casa onde tudo é feito na hora.

   Pronto chegou à mesa a picanha suina como pedi, bem passada, com arroz, purê de batata, feijão tropeiro e vinagrete. E a pimentinha que não falta na mesa dos baianos.

    Tudo básico, sem sofisticação, porém, de boa qualidade. A picanha, embora bem passada, estava macia, suculenta, e o purê de batatas delicioso. O tropeiro era passável, assim como o arroz. E o vinagrete, do dia. Bacana.

   Então, se você ainda não conhece o Sertanejo está na hora de conhecer. Simpático, classe média e bom preço. A picanha daria para comer duas pessoas. Infelizmente, la señora Bião de Jesus, estava noutros afazeres da vida e não pode acompanhar-me.

   Só faltou um licorzinho de tamarindo ou de jenipapo. Aguarde-me dona Leda, na Serra.
----------------------------------------------- 
Restaurante Sertanejo
Estrada do Coco, s/n km 0
Lauro de Freitas, Bahia
Pista na direção de Salvador
Fone 71.3252-2012
Fim de semana é bom fazer reserva
Não tem ar condicionado
Estacionamento no local, amplo, gratuito
Picanha suina R$52,50
Long Neck Heineken R$7.20
Bolinho de peixe R$15,00
Não cobra 10% (fica a critério do cliente)
De terça a domingo das 11h às 23h
Aceita todos os cartões
Classificação 3 DONS