sexta-feira, 18 de setembro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

MOQUECA de camarão do Boteco do BIGÚ foi a pedida de Dom Franquito

Para quem gosta de uma comidinha boa e barata no centro de Salvador
05/03/2016 às 10:06
 Boteco é boteco e não adianta querer qualquer tipo de sofisticação, guardanapo de linho, cadeira de xerife, ar condicionado e outras coisitas más. 

   Depois de uma temporada no Circuito Gourmet de Vilas do Atlântico, Lauro de Freitas, onde hoje existem 20 restaurantes de boa qualidade somente na Av Praia de Itapuã, hoy fomos ao Boteco do Bigú, na Mouraria, centro da capital baiana.

   Mouraria para quem não sabe tem uma igreja de Santo Antonio na época em que os mouros - daí o nome do bairro - andaram por Salvador com mais intensidade, época da ocupação espanhola e do governador Dom Afonso Furtado Castro do Rio Mendonça, 1676, o qual morreu de erisipela rogando a Nossa Senhora do Monte Serrat e teve seu panegírico assinado por Juan Lopes Sierra.

   A Mouraria ainda parece um enclave dos mouros. Tem raros edificios e seu largo e ruas adjacentes a Palma e a Nazaré ainda vê-se muitos casarões do periodo colonial e outros mais modernos, da República Velha, e residências bem antigas.

   É uma delicia andar pela Mouraria. Respira segurança porque bem no centro do largo está o Quartel General do Comando da VI Região Militar do Exército, prédio imponente que toma quase toda a praça, datado de 1912.

   No corredor ao lado do QG tem vários bares e restaurantes, o antigo Papipo, o Alcindo e o Boteco do Bigú este último com uma área interna arejada e uma área externa, ideal para quem vai a 'hapy-hour' después de las 5 da tarde quando sol já se pôs coberto pelos casarões da Rua do Bângala.

   Eliomar, o garcom, típico torcedor do Bahia, me atendeu com uma atenção toda especial. Yo estava usando um sombrebo inglês e é provável que ele tenha entendido que eu fosse algum lord de Sua Majestade Elizabet II.

   Como estamos na sexta, o guapo Eliomar confidenciou-me que a moqueca de camarão estava demais de boa, os tomates de primeirissima e o tempero no capricho

   Ora, quem seria eu para contestar garçom com tamanha sabedoria. 

   Como la señora Bião estava com sua confraria das salientes enfas em local mais prazeroso, chiques que são, e não havia com quem discutir o que apareciar no cardápio do Bigú, até pensei pedir uma moqueca de Aratu, mas, o sorriso de Eliomar recomendava, de fato, que pedisse a moqueca de camarão.

   Ficamos de olhos pregados numa televisão yo e outros clientes - acompanhando a detenção do compañero Lula da Silva, o qual fora levado pela PF para depor de forma coercitiva. 

   Curioso é que, embora estivessemos atentos a TV, ninguém esboçou reações nem a favor nem contra Lula e todos estavam mais interessados, nas moelas, nos pastéis de polvo, nas lambretas, nas saladas de siri e nos camarões. E óbvio, nas geladas.

   Solicitei um guaraná. Heresia! Vão dizer que perdi o juizo. Nada. Mês de março dou descanso ao 'figueredo' e em boteco ou você toma logo uma pinga ou não tem esse negócio de ficar pedindo suco de acerola sem açucar.

   Seu moço! A recomendação de Eliomar, de facto, como dizem os portugueses do Alentejo, chegou a mesa parecendo uma locomotiva "Maria Fumça", soltando fogo e vapores em aromas e quentura.

   Diria que estava deliciosa, pero, um pouco salgada para meu gosto. Os camarões veganos, como gosto, durinhos, deliciosos. O pirão fantástico. O arroz normal. A farofa de boa qualidade.

   O Bigú, disse-me o próprio, está há dois anos na Mouraria e pela quantidade de gente que tinha, faz o maior sucesso.

   A comida é de boa qualidade. Yo recomendo.
-----------------------------------------
Boteco do Bigú
Rua da Mouraria 104
Salvador - Bahia
(Lado esquerdo do QG da 6ª RM)
Fone 71.3035 5096
wifi GVTA3AD
senha 00bigubigu
Camarão para 1 pessoa R$36,80
Não tem ar condicionado
Não tem manobrista
Estacionamento na rua
Cardápio de petiscos é variado
Serve várias marcas de cervejas
Tem pinga mineira
Aceita cartões