sexta-feira, 18 de setembro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO e familia vão ao Ouro da Consuêlo no Mercado de Itapuã

Novo mercado de Itapuã tem vários restaurantes populares e está novinho em folha
08/01/2016 às 16:23
   É bom/ Passar uma tarde em Itapuã/Ao sol que arde em Itapuã/Ouvindo o mar de Itapuã/ Falar de amor em Itapuã... assim compôs Toquinho sobre uma das belezas naturias mais encantadoras da velha Cidade da Bahia.

   E foi nesse disse-me-disse inspirado em Toquinho que yo, la señora Bião de Jeus, su madre, su hermana e mi nieta fomos conhecer o novo Mercado de Itapuã, no mesmo lugar onde existia o velho mercado de tantas tertúlicas literárias com Helô Sampaio, Silva Filho, Paulo Tavares, Otto Freitas  e tantos outros nas lavagens do adro da igreja de Nossa Senhora da Conceição da Pedra que Ronca.

   O mar de Itapuã fala de amor e tem cheiro forte de sargaço. 

   Acertou em cheio Toquinho ao compor "Tarde em Itapuã", este parceiro do mestre Vinicius de Moraes que passou tardes embalado numa rede e com belas sereias, uisque, poesia, violão, sensibilizado também pelas histórias de mestre Calá e suas baleias.

   O novo mercado é futurista com lona tensionada parecendo um barco e tem três pavimentos: no primeiro, bares, hortifrutigranjeiros e serviços; no segundo, tendas de artesnatos; e no terceiro os boxes restaurantes. 

   Optamos, por simpatia à primeira vista, sentarmos no Restaurante Ouro da Consuêlo. 

   Só as conversas da Consuêlo já valeram a tarde, claro, vendo o mar de Itapuã, a cerveja geladissima e 'aumentando a doçura com uma cachaça de rolha' servida em copinho minusculo, rosa, a cara da dona do local.

   Consuêlo é estilosa, vaidosa como as sereias que habitam o mar de Itapuã. A cozinheira Vera, mais vaidosa ainda. Belas estavam, mas recusaram fazer fotos porque não se encontravam arrumadas, maqueadas.

   Consuêlo diz que quando se produz, "adoro me maquear com produtos Mary Key", calça seu escarpin e põe o batom Mate Rosa Chiclete, arrasa, não tem pra ninguém. Só dá ela.

   Quando existia o antigo mercado o restaurante se chamava Ouro e Prata - confessa Consuêlo: "O ouro era minha mãe Natalícia; e a prata era eu". Depois, com o falecimento de Natalícia, conhecida no mercado como dona Lícia, o nome do restaurante, hoje no boxe 24 do terceiro piso, passou a ser Ouro da Consuêlo. Nome mais original impossível. 

   Consuêlo diz que não gosta do seu nome, mas, sua mãe adorava. Seu nome é composto Consuêlo Thais.

   Pra inicio de conversa solicitamos de entrada camarão a alho e óleo, para nosotros, e para mi nieta, sertaneja que é, uma carne de sol com farofa.

   Por sinal, nesta tarde de Itapuã ela estava com humor igual aquela personagem que tem no programa da Regina Casé. Acostumada a frequentar o Copçacabana Pálace, pelo menos em desejo, estranhou o ambiente do mercado, com gente falando alto e garçons pra lá e pra cá.

   Os camarões da Consuêlo estava deliciosos, mui bien temperados por Vera.

   De nossa mesa dava pra ver as ondas do mar de Itapuã roncando nas pedras, em paisagem belissima. A cerveja está mais gelada do que o inverno de Budapest.

   De principal, solicitamos moquecas de corvina caprichadas com pirão e arroz. 

   Convidado por Consuêlo fui até a cozinha ver Vera preparar os peixes com cuidado, com esmero, observando o cozimento e acondicionando as postas com uma colher.

   Chegaram à mesa fumegantes, exalando aquele cheiro provocante das moquecas. 

   De mi parte, uma Seleta das Gerais ajudou na degustação. Fomos então à "batalha" assim que os pratos foram postos à mesa. O pirão, uma delicia. O arroz solto. O molho, daqueles de dar água na boca. 

   Mi nieta só obervava e desenhava bonecos numa caderneta vendo os integrantes da 'batalha' na luta. 

   La señora Bião, sem bebericar a gelada diante de uma gripe com tosse que roncava mais forte do que o mar de Itapuã, esteve moderada. Su madre parece ter gostado do pirão e quando a tarde foi caindo, nada havia sobrado do servido por Miss Consuêlo. 

    Después, saimos a andar por Itapuã, passamos na tenda das melancias e levamos uma banda, uns tomates vermelhissimos e uma medida de umbus.

   De quebra, fomos sentir o cheiro do mar de Itapuã andando na nova orla de Netinho quando fizemos poses para a posteridade. Yo e mi nieta, inclusive tiramos uma daquele fortudo huck el verde.

   É ou não é uma maravilha passar uma tarde em Itapuã? Yo recomendo.
------------------------------------------------------------------- 
Restaurantes Ouro da Consuêlo
Mercado de Itapuã, boxe 24
Praça Áurea Teixeira Barbosa
Fone 71.8543.1321
Cerveja (só serve Schin) R$6,00
Seleta (dose) R$5,00
Moqueca de Corvina R$35,00
Carne de sol com farofa R$25,00
Camarão alho e óleo R$25,00
Abre de segunda a segunda até 19h
Aos domingos fecha às 13h
Ambiente arejado
Não recebe cartão
Faltam alguns produdos do cardápio
Comida de boa qualidade, popular
​Classificação 2 DONS