ter?a-feira, 25 de fevereiro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

Trucha a la diabla foi el plato de despedida de DOM FRANQUITO em Sucre

Sucre és la cuidad blanca e tem um centro histórico bem conservado. Leia toda a série de dom Franquito sobre 8 restaurantes na Bolivia na coluna A Boa Mesa.
26/06/2015 às 11:54
  Na Bolivia durante dez dias visitando este belíssimo país de uma cultura pré-hispânica muito forte e que mantém até os dias atuais muitas de suas tradições - na música folclórica, na dança, no culto aos seus deuses, na literatura e na culinária - entre outros aspectos dessa cultura milenar, estivemos em oito restaurantes. (Leia toda a série na coluna A Boa Mesa).

   Ao contrário do Brasil onde nossos tupinambás, tupiniquins, caetés, tamoios e outros povos não tinham uma cultura desenvolvida em sua fase pré-portuguesa, na América Latina ocupada pelos espanhóis isso foi diferentes porque os povos indígenas eram mais desenvolvidos, já utilizavam os metais em artesanato e como ferramentas, usavam vestimentas mais sofisticadas, construiam edificações de porte - pirâmides, casas, etc - sistemas de drenagem e uma culinária a base de maiz (milho), cacau e vegetais diversificada.

   Essa cultura gastronômica a Bolivia cultua até os dias atuais, a comida apimentada e colorida, a carne de animais nativos da América, os peixes, as llamas e os derivados de plantas e raizes. Os peixes do Titicaca e de outros lagos são especiais em águas dulces. 

   Em Sucre, na nossa despedida da Bolivia, fomos ao Restaurante do Grand Hotel que fica localizado bem no coração da cidade, na calle Aniceto Arce, um prédio estilo colonial castelhano repleto de arcadas, pátio com muitas plantas, bem decorado, um ambiente bastante agradável. 

   Essa arquitetura espanhola já é um diferencial dos nossos sobrados portugueses, muitos deles com fachadas lineares, sem os charmes dos balcões típicos da Espanha alguns deles de origem árabe, o que dá um design todo especial as edificações. 

   Sucre 'la ciudad blanca' é repleta desses prédios, ruas inteiras com sobrados ostentando seus balcões, arcadas, plantas, uma beleza. Tudo bem cuidado, um patrimônio arquitetônico bem preservado. 

   No Grand Hotel fomos recebidos por um garçom bem simpático, um senhor gordito de humor às alturas, meio atrapalhado na sua pressa em bem servir, o que conferiu uma intimidade bem agradável à nossa presença. Miguel és su nombre.

   La señora Bião de Jesus prevenida de outros sitios 'comedores' que estívemos optou por uma comidinha 'light', um 'surubi com salsa mallajo' enquanto yo pedi, até por sugestão de Miguel, uma 'trucha a la diabla'.

   A 'trucha' é o salmão do Lago Titicaca freido em azeite até ficar crocante. Se sirve la trucha bien dorada al centro del plato bañada con la salsa de ají (a la diabla), el arroz y la papa bien cocida.

   El diablo, la diabla, personagem do folclore de países da América Latina, especialmente a Bolivia e do Peru. Em Oruro, no dia 2 de fevereiro, acontece o Carnaval com celebrações folclórias ao diablo (la diablada) herança basca e homenagens a Virgem del Socavón (nome dado a Virgem da Candelária). Há, inclusive el dia do 'moreno' el diablo, na segunda do Carná.

   Entonces, nada demais saborear una 'trucha a la diabla', por sinal, bastante picante e saborosa.
Yo e la señora Bião, inclusive, otamos por almoçar na área do pátio, ao ar livre, cercados de plantas, flores e um ambiente bem intimista. O vino branco Campos de Solana ajudou a enamorar ainda mais el casal.

   Bye-Bye Bolivia. Se a crise brasis não os afetar por demais, retornaremos para o Carnaval de Oruru, em fevereiro de 2016.
---------------------------------------------- 
Grande Hotel Restaurante
Calle Aniceto Arce, 61
Sucre, Bolivia
Fone (591) 64-52461
Trucha a la diabla 48 bolivianos (R$24,00)
Surubi con salsa mallajo 48,00 bolivianos (R$24,00)
Vinho Campos de Solana 45 bolivianos (R$22,50)
O Hotel tem categoria 3 estrelas
Rooms of internet
Classificação do Restaurante 3 DONS