ter?a-feira, 25 de fevereiro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

ASADO DE LLAMA foi o que DOM FRANQUITO saboreou no Colonial de La Paz

O restaurante tem boa comida e uma belissima decoração como pelas de arte espalhadas nos ambientes
11/04/2015 às 13:39
Tirei uma de Harrison Ford el Indiana Jones de "Os Caçadores da Arca Perdida", em busca da Arca da Aliança que conteria os originais dos Dez Mandamentos que Moisés trouxe do Monte Horeb, percorrendo el Mercado de las Bruxas de La Paz, um quadrilátero de ruas estreitas no centro histórico desta cidade do mago charanguista Ernesto Cavour.

   Sobe e desce ladeiras; entra e sai nas inúmeras tendas e lojas escondidas em mini-centros comerciais, daí deparei-me numa rua com tiendas e uma galeria com abertura em arco, como se fosse uma construção da Roma antiga, e lá fui yo com la señora Bião, portando mi sombrero a la Indiana Jones, parar no Le Colonial Pot.

   Em busca da boa mesa ou como diria o saudoso cartunista Laje atrás de uma boa bóia o Le Colonial com letreiro também em inglês The Colonial Pot Restaurant Tea Room y Pub pode não ser uma maravilha do chique Plaza Athenee Restaurant, de Paris; nem tampouco um dos coroados Michelin de Gironda, pero, por sua decoração exótica, seu atendimento delicado e primoroso, teríamos (yo e la señpra Bião) descoberto a Arca da Aliança.

   O interior do restaurante é tão diferenciado com seus diablos e diablas, peças entalhadas em madeira, rádios antigos, máquinhas de escrever, candelabros que se tem a impressão de ter entrado numa taberna da época dos godos ou numa taberna romana onde se tomava um trago com espadas à cinta.

   - Que maravilha, disse yo para la señora Bião, obervando a inusitada decoração destacando que se a comida não fosse das melhores, já valeria à tarde.

   La señora Bião parece ter concordado, pero, ella prefere pisos de mármore para por sus zapatos.

   Chegamos quando a hora do almorzo já tinha passado, a tarde caminhando para a segunda quadra do entardecer e só havia um casal no local. 

   Conduzidos pela garçonete Clara fomos sentar numa mesa de fundo, num local escuro, pero, o suficiente para enxergar tudo a volta incluindo a cor do Arranjuez Terruño, el viño suave dos mais apreciados de Bolivia.

   The Colonial Pot Restaurant e Tea Room é desses lugares que é preciso ter faro fino para encontrá-lo, salvo se v já tiver uma referência de algum amigo boliviano. O achamos porque tengo lupa para essa atividade. 

   Há os restaurantes cleans os quais aprecio menos do que os restaurantes hards, coloniais, repletos de quinquilharias, de objetos de artes, de peças de museus. Sinto-me melhor neles. Por isso mesmo me identifiquei-me com Le Colonial de cara e até pedir a senõra Bião que me fotografasse ao lado de um casal de diablos, la diabla com seios ponteagudos mirando mis ojos, para guardar a posteridade, quiça ser a capa de um novo livro de dom Franquito.

   Esse quadrilátero de calles en La Paz é o mais famosos da cidade desde a época da Peña Folklórica Naira (Associação e Centro de Cultura e Teatro existente desde a década de 1960) situado na Sagámaga, calle situada no costado da Basílica e Convento de São Francisco e que sobe em direção ao alto cruzando com a Linares. 

   E esquina da Sagámaga com Santa Cruz fervilha de turistas e nativos. El Colonial está arriba, na Linares, 906.

   Solicitamos a jovem garçonete um Asado de Llama con papas fritas e chorrellana e um Lomo ao Roquefort servido com spaghetti.

   El Terruño descia suave e sem pressa olhávamos cada peça de arte do Le Coilonial, nos distraíamos extamente diante dos detalhes da decoração, um salão que parecia a sede da Távola Redonda, entalhes de figuras humanas na madeira, figuras de diblos, reis e rainhas, vitrolas, obras de arte, candelabros, plantas, uma maravilha. 

    La señora Bião estava admirada. E Yo preocupado que ella en la noche pudesse sonhar com algumas daquelas figuras exóticas a nossa frente.

   O vino com pãezinhos apimentados era o que nos consolava até que chegase à mesa nossos pedidos principais. A casa é dessas que el chef da cocina não tem pressa e demora um pouco a servir. Paciência. Nosotros também não tínhamos nada a fazer salvo jogar conversa fora e namorar. Até gostamos.

   Fiquei encantado com um jacaré suspenso num suporte de ferro envolto em crótons. 

   Valeu a demora. Meu asado de llama com fritas estava uma delícia, de derreter na boca. Suculento, apimentado como a maioria das comidas de La Paz. E, com goles do Arranjuez descia com paladar e sonoridade dos Andes. De meditar.
   La señora Bião, sem descuidar do seu burberry envolvo no pescoço, dizia-me que su lomo estava no ponto, admirável.

   Assim passamos o restante de la tarde no Le Colonial quando novos clientes já chegavam para um drink de happy-our. O local também funciona como pub inglês.
---------------------------------------------------------------------------------------- 
The Colonial Restaurante Tea Room e Pub
Calle Linares, 906, Belém, La Paz, Bolivia
Área do Mercado das Bruxas, Centro Histórico
Fone 71540082
Asado de Llama 65 bolivianos (R$32,00)
Lomo ao Roquefort 65 bolivianos (R$32,00)
Arranjuez Terruño 55 bolivianos (R$27,00)
A casa não cobra 10% - gorteja fica por conta de cada cliente
Cartões internacionais Visa de preferência
​Classificação 3 DONS