ter?a-feira, 25 de fevereiro de 2020
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

D. FRANQUITO cai matando na canjiquinha e costela de porco do MINEIRIM

Restaurante de comida mineira boa e barata, com direito a uma Coluninha
21/11/2014 às 15:33
  O Mineirim é novim, bonitim, maneirim, adequadim, gostosim, tudo como os mineiros gostam de falar com aquele sotaque caipira. E yo que não sou bobim fui conhecer o Mineirim, novo restaurante de Vilas do Atlântico, Lauro de Freitas, prum dedo de prosa, provar uma cachacinha das Gerias, um docim cascão, uma vaquita atolada e um torresmin.

   Pois é, meu nobre leitor, minha estimada leitora, sabe aquela comidinha mineira no fogão de lenha estilizado, decoração simplérrima, estilo casa de taipa, tudo muito simples com a cara da mineirada do interior, e com aqueles petiscos deliciosos é o Mineirim.
 
   Tem de tudo um pouco pra porvar porque é daqueles restaurantes que você se serve à vontade, na beira do fogão de lenha, faz o prato ao seu modo, gosto, tamanho e prazer.

   Fiquei entusiasmado com o tutu a mineira, que tava fervendo, saindo fumaça pelas ventas, e a canjiguinha com as costelinhas e cortes de porco. 

   Misael, o qual é sócio do Mineirim com dona Franciola, disse no meu pé de ouvido: - Pode ir na canjiquinha que tá uma delícia.

   Quem sou eu, então, pra contraiar uma recomendação dessa natureza!

   Deu aquela água na boca e comecei por aí, no visual. A comida tem esse detalhe. A beleza. A força que ela imprime no paladar das pessoas. E a canjiquinha com as costelas e os quiabos misturados naquela panela de barro à minha frente, seu moço, só coisa de mineiro.

   Se você olha e gosta, não tem errada. Se você olha e desconfia, como os mineiros fazem, esqueça. Pule. Eu gostei, poratanto, não pulei. Enchi foi o prato. 

   No Mineirim, yo já adotando um estilo mineiro e puxando uma prosa com Sêo Misael, um dos sóciops da casa, ele baiano mas de sogra das Gerais, tinha provado uns torresmins e quis saber se a pinga Coluninha era das boas. Disse-me que era. Talvez não igual as das terras de Salinhas. Pimba! mandei colocar um trago.

   A Coluninha é fabricada na Fazenda Tabocal e tem o bendito nome porque esse sitio fica a apenas 1.5km da cidade de Coluna, pertinho de Diamantina e de São José do Jacuté. Tem tradição. Os mineiros têm uma variedade enorme de pingas de boa qualidade.

   E lá fui fazendo meu prato. Já tinha colocado a canjiquinha com os quiabos e a as costelas de porco. Segui pra outra trempe onde adicionei o tutu a mineira, aquele feijão que parece um pirê. Sim, também coloquei um pirê de mandioquinha, uma pimenta de cheiro no canto, arroz branco e alguns ingredientes do cozido - abóbora, banana e giló.

   Pronto: tá completo.

   - Qui completo sêo moço! - já tava com sotaque mineiro - e levei num pratinho á parte, os torresmins pra provar a qualidade da Coluninha.

   Vou até fazer essa pergunta a vosmincês leitores: - Já tomaste uma pinga com torresmin? 

   Cada qual no seu cada qual. Não é um champagne com caviar; nem um merlot com pata negra! Mas, tem seu lugar.  Primeiro toma-se um gole da pinga e después morde-se a ponta do torresmin torradim.

    E lá fui eu com meus acompanhantes à mesa, dia de semana, la señora Bião de Jesus distante, cuidando de nossas finanças na capital da Bahia, fazendo contas para que nossa fortuna não se evapore como o dinheiro da Lava-Jato, distrai-me com esses petiscos do Mineirim.

    Por sorte, na sobremesa, um docim de abóbora, com queijo mineirim, molho branco e goiabada cascão. 
Taí, vosmincê passando aqui por Vilas do Atlântico, em Lauro de Freitas, dá uma passada no Mineirim que não vai se arrepender.

   E é tudo baratim.

--------------------------------------------- 
Restaurante Mineirim
O baiano mais mineiro da cidade
Av Praia de Itapoan, 234 - Vilas do Atlântico
Lauro de Freitas, Bahia
Fone 71. 3508-5025
restaurantemineirim@gmail.com
Horário comercial 
Serve café da manhã aos domingos
Não tem ar condicionado
Estacionamento na rua
Preço médio do prato R$30,00 
Coluninha R$5,00 a dose
Classificação 2 DONS