ter?a-feira, 25 de fevereiro de 2020

ESTAMOS ENTREGUES aos mosquitos e ao pão e circo

Jordan Campos
17/01/2016 às 11:53
Prezados  ACM Neto e Rui Costa, com todo o respeito, pergunto: onde está a ação justa e rápida para o combate ao mosquito Aedes Aegypti? Após as últimas  chuvas, como já era lógico, os mosquitos invadiram geral. O bairro da Barra por exemplo - trabalho lá - está infestado de mosquitos que 
transmitem dengue, chikungunya e a loucura da zika. Hoje para entrar naminha clínica ao abrir o carro fui desviando de mosquito - e eles estão generalizados. Fui ao Bradesco da Marquês de Leão e eles estavam nos caixas eletrônicos e na fila do banco – vi uma cena lamentável de três mosquitos bem pintadinhos entrando por debaixo do vestido de uma senhora  em idade útil para ter filhos. Fui almoçar no restaurante Ramma Cozinha  Natural e não foi diferente, ao invés de abanar mosca, abanei Aedes. 
Sentado e eles na minha cola, no caixa e eles querendo pagar a minha conta.

Vejo os senhores investindo nosso dinheiro no Carnaval que está vindo, mas não vejo um agente sanitário por aqui. Não vejo um fumacê. Nada.... Pergunto ao senhor da barraca, ao cara do mercadinho...
 E eles também não viram nada. Pergunto se alguém usa o aplicativo e escuto: "Que é isso aí, Papai?" - E lembrando o óbvio - estou na Barra, onde daqui há três semanas vai ser ponto de contágio internacional de Zika e Dengue.

 E vocês preocupados em vistoriar camarotes e pagar  artista para sair sem corda? E outra: lançaram um aplicativo chamado “Caça Mosquito” para brincar? Pessimamente divulgado (por medo de lotar 
de marcações), e que quando marcado e enviada a foto ninguém faz nada. Eu e mais três amigos testamos o aplicativo, enviamos fotos de locais com o mosquito há mais de 15 dias, os locais foram marcados no mapa e ninguém apareceu por lá para averiguar. Aplicativo de fachada. E hoje vi
 que até o Instituto onde tenho sala está marcado, e por aqui também ninguém recebeu visita. 

Ô Rui... Pega os R$830 mil e paga de agentes que trabalhem dia e noite! Neto, desacelera a entrega do Rio Vermelho e bota metade da equipe para ir aos pontos perigosos e pôr fim a isto. 
Qual é a real preocupação de vocês no maior evento mundial de contágio de Zika e microcefalia? Tenho percebido inclusive, que as reportagens têm diminuído – estratégia para não dar medo aos turistas não é? Os obstetras e técnicos em Ultrassom falam que a coisa só piora, os números só crescem e vocês abandonam o tal aplicativo, investem no supérfluo e fazem de conta que isso não é PRIORIDADE.

Exijo como cidadão que nossa população seja esclarecida e protegida. Exijo, pelas grávidas de 
nossa cidade, que se faça uma política clara e às alturas. Os impostos estão caros, fizeram negociação em dezembro e foi um sucesso. Bota este dinheiro para resolver isso. Estamos entregues aos mosquitos, ao pão e circo que vocês não enxergam porque devem estar ligados na Netflix. 

Sobre Jordan Campos

Jordan van der Zeijden Campos, natural de Salvador, é terapeuta transpessoal sistêmico clínico (TTS), iridólogo, músico, escritor, poeta, conferencista, pesquisador autodidata e amante de gente. De linha espiritualista, mescla conhecimentos e práticas em psicologia transpessoal, biopsicossomática, (re)programação neurolinguística e o incrível universo da íris humana no conjunto de entendimento e libertação do Ser Humano vivente neste século. Presidente do projeto Farmácia da Alma e diretor da Intercessio Consultoria Transpessoal.