sexta-feira, 24 de janeiro de 2020
Colunistas / Cantinhos da Bahia
Agapito Paes

Banca Cultural Praça da Piedade, do livreiro Lázaro

Praça da Piedade, Salvador da Bahia, em frente a Igreja de São Pedro
25/10/2019 às 12:08
   O Cantinho da Bahia deste final de semana vai para a Banca Cultural da Praça Piedade, em Salvador, uma livraria (sebo) a céu aberto comandada por Lázaro da Silva Santos, ex-morador de rua, como ele diz "moleque criado na Piedade entre poetas e cantadores".

   A livraria funciona numa banca com licença da Prefeitura, apoio do padre Aderbal Galvão, da Paróquia de São Pedro, e ajuda de doadores de livros. Há de tudo um pouco, da literatura de cordel (Edições Akadicadikum, do poeta Antonio Carlos de Oliveira Barreto) a livros técnicos e romances.

  Os preços variam entre R$2,00 a R$25,00 (os cordéis são vendidos a 3 por R$5,00) e, segundo Lázaro, "os clientes procuram desde dicionários e livros de direito, com vendas variadas no dia a dia".

   Lázaro tem um filho poeta, o Lucas Ferreira Filho, que recita versos em frente à banca e participa de recitais em outros pontos da cidade. "Meus meninos têm casa. Eu, que fui morador de rua, sinto orgulho disso", diz.

   Na atualidade, teme que sua banca seja deslocada para o Comério, mas, confia no prefeito e no padre. Diz que deseja ficar na Piedade após a requalificação da Avenida Sete. O ponto é bom. 

   A Banca Cultural da Praça da Piedade funciona todos os dias. Durante às noites os livros são arrumados e cobertos na área da própria banca. Lázaro diz que não há problemas de deixar assim. "Ninguém rouba", confessa.

   Então, se você quiser, pode doar livros para Lázaro. É uma boa ação.