quinta-feira, 04 de mar?o de 2021

PREFEITURA DE CAMAÇARI CENSURA LUIZ CALDAS E AINDA COBRA MULTA DE 30%

vide
| 21/12/2011 às 17:09
Fricote foi a música que lançou a Axé Música na performance de Luiz Caldas
Foto: DIV
   Com base em um projeto de lei da deputada Luiza Maia (PT), que se sequer chegou a ser apreciado pela Assembleia Legislativa da Bahia, e que prevê a censura a artistas da música popular baiana, a parlamentar anunciou no seu twitter que o cantor Luiz Caldas será penalizado por ter tocado a música Fricote ("Nega do Cabelo Duro") durante uma apresentação em Camaçari.

  A petista disse que havia um acordo feito com a coordenação de eventos da prefeitura de Camaçari, que é administrada por seu esposo Luiz Caetano e que contratou o show - para que o artista não tocasse a música.
 
  A parlamentar informa no seu twitter que músico perderá 30% do valor de seu cachê por não ter seguido as recomendações. Luiza Maia disse que a música em questão "abala a autoestima da mulher negra, internalizando no imaginário coletivo a imagem de que ela é, entre outras coisas, feia e desleixada, o que se constitui também como uma forma de violência simbólica".

  Ela e o deputado Bira Corôa (PT), presidente da Comissão de Igualdade Racial da Assembleia Legislativa da Bahia, apresentarão moção de repúdio contra Luiz Caldas

  A reportagem do Bocão News tentou falar com Luiz Caldas, mas a assessoria de imprensa do "pai da axé music" garantiu que ele não iria se pronunciar sobre o assunto. Entretanto, a própria assessoria fez algumas considerações sobre a postura de Luiza Maia, o papel do legislador e a diferença entre conteúdo ofensivo e a licença poética nas obras de arte.

"Tudo isso é tão ridículo. É preciso ter discernimento para diferenciar o xucro do lúdico. Será que a deputada vai impedir que as escolas leiam ‘O Cortiço', de Aluísio Azevedo, porque a mulher é retratada com bestialidade? Será que ela vai queimar os quadros impressionistas que retratem o nu feminino por ser um atentado violento ao pudor? Se for assim, terá que censurar também músicas de Chico Buarque, Luiz Gonzaga e tantos outros. Pelo visto, a deputada seria uma ótima censora do Regime Militar. A função do parlamentar é fiscalizar o Executivo e trabalhar para aumentar os investimentos em Saúde, para evitar as mortes por meningite e dengue; em Segurança Públicas, para diminuir o número de homicídios; Infraestrutura, para melhorar a malha rodoviária e impedir que as estradas sejam pedagiadas. O único alento que temos é que, ao invés de ganhar votos, campanhas como essa são apenas demonstrações de burrice".