segunda-feira, 15 de outubro de 2018
Política

INSTITUTOS PESQUISAS cometeram graves erros nesta campanha eleitoral

Erros graves sequer detectados na véspera da eleição todo mundo vendo a onda bolsonarista nas ruas
Tasso Franco , da redação em Salvador | 08/10/2018 às 17:34
Institutos
Foto:
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Os institutos de pesquisas Ibope e DataFolha e tantos outros sairam dessa campanha eleitoral bastante desacreditados com erros muito graves para quem dava uma margem de credibilidade em 98%. Os institutos sempre erram numa margem até aceitável, mas, desta feita, os erros foram muito graves e não é possível que nenhum deles tenha detectado a avalanche bolsonarista, coisa que todo mundo estava vendo nas ruas e FHC chamou de ventania.

   2. Até na Bahia, que estava com uma eleição definida há muitos dias, o Ibope assegurava 24 horas antes das eleições que o candidato ao Senado irmão Lázaro (PSC) estava à frente de Angelo Coronel 3% dos votos válidos quando, quem estava acompanhando a política, e isso é até histórico na Bahia, os senadores da coligação do governador eleito também se elegem. Resultado: Angelo Coronel teve mais de 33% dos votos e Lázaro esbarrou em 15%. Com Zé Ronaldo, o Ibope instiu que ele tinha 7% dos votos e teve 22%.

   3. Nos outros estados erros foram dramáticos. Eduardo Paes era o favorito a governador no Rio e César Maria a senador. O primeiro colocado com quase o dobro de votação de Paes foi o juiz Witzel e César Maia sequer foi eleito senador. Em SP, outra aberração: o líder das pesquisas para o Senado era Eduardo Suplicy até a véspera da eleição. Sequer foi eleito. Em Minas, outra loucura: Anastaia do PSDB liderava para o governo e Dilma Rousseff (PT) para o Senado. Anastasia ficou em segundo e Dilma não foi eleita.

   4. Esses erros grassos aconteceram em quase todos os estados de uma forma muito robusta e injustificável. Não foram erros dentro da chamada margem de erro (normalmente 2% para mais ou para menos) e sim margens de viradas com mais de 10%/20%. Os institutos precisam rever suas metodologias e não venham com essa conversa de que pesquisas retratam um determinado momento porque as pesquisas foram feitas até a véspera da eleição.

   5. E se tava todo mundo vendo o crescimento da turma de Bolsonaro nas ruas era dever dos institutos também verem. Novas pesquisas, portanto, ficam com baixa credibilidade. 
                                                                               *****
   6. O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) foi reeleito com 118.313 mil votos no pleito do último domingo (7). A recondução de Assunção para o Congresso Nacional foi celebrada por movimentos sociais, sindicais, mulheres, negros, quilombolas, juventude e comunidade LGBTI+. 

   7. Para o petista, a luta deve continuar neste segundo turno para o cargo de presidente e volta a frisar a atuação do Nordeste nas decisões e no rumo do país. “Estamos felizes por mais uma vitória aqui na Bahia, por nossa reeleição, que nos traz ainda mais responsabilidade, e por termos conseguido uma ascensão rápida com o companheiro Fernando Haddad. O segundo turno será uma batalha difícil, mas que vamos vencer com o engajamento do povo do Nordeste e da Bahia”, salienta.

    8. Segundo Valmir, a reeleição de Rui Costa (PT) liquidou a turma de ACM Neto (DEM) no estado. “Conseguimos eleger maioria na Câmara Federal e na Assembleia. Isso é um processo que ratifica a atuação do nosso governador correria, sem contar que elegemos ainda Wagner e Coronel para o Senado. Foi uma vitória que ratificou, pela quarta vez seguida a decadência do carlismo. 

   9. Agora é seguir trabalhando para continuar mudando as vidas das pessoas, principalmente quem vive no campo. E, para isso, precisamos ganhar também o governo federal e retomar a democracia”, descreve o petista. Valmir celebrou a vitória de Mário Jacó (PT) para deputado estadual e destacou a votação do vereador Luiz Carlos Suíca (PT). “Jacó será a força do semiárido na Assembleia. É quadro da EPS e vamos seguir juntos nessa caminhada”.

   10. O mestre de capoeira e compositor Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, “foi morto a facadas na noite deste domingo, 7, após uma discussão política no Bar do João, na comunidade do Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas, em Salvador, vítima letal do fascismo que mostra sua face assassina em nossa terra. 

   11. Mestre Moa aguerrido defensor da cultura e do povo negro, sempre a frente pela qualidade de vida da população mais pobre e desfavorecida fará muita falta à nossa luta e nossa melhor e maior homenagem é manter a luta e a resistência”, afirma o legislador.

   12. “Foi vítima de um assassino frio que não sabe usar a força dos argumentos políticos e só sabe usar os argumentos da força. Após ser contestado pelo Mestre Moa do Katendê, o eleitor de Jair Bolsonaro foi a sua casa e retornou com uma facada e covardemente o atingiu com 12 facadas nas costas. Lamentável ver uma amostra do que a ignorância e a cegueira política são capazes”, destaca Hilton Coelho, deputado estadual eleito nas eleições do dia 07. 

   13. Paulo Sérgio Ferreira Santana, de 36 anos, confessou o crime e foi apresentado na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, mas disse que a discussão com Moa foi sobre futebol.

   14. Cerca de 975 detentos de Salvador e de mais 17 cidades do interior do Estado estão fazendo cursos de qualificação profissional, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Prisional), que na Bahia é executado pelas Secretarias Estaduais da Educação e da Administração Penitenciária e Ressocialização. 

   15. A iniciativa, que visa promover a reinserção na sociedade e oportunizar a capacitação para o mundo do trabalho, envolve 26 cursos distribuídos em 49 turmas, sendo que no sistema de regime fechado são 15 detentos por turmas e, no aberto, são 20 alunos.

   16. As aulas para o curso de padeiro também já começaram, no Conjunto Penal de Itabuna (357 km de Salvador), contemplando pessoas do sistema fechado. Em Vitória da Conquista, os cursos de estampador de tecidos e manicure e pedicure são voltados para pessoas que cumprem pena em regime fechado na Colônia Penal e no Presídio Newton Gonçalves. 

  17. Para as pessoas que cumprem pena em regime aberto, também está sendo ofertado, em Vitória da Conquista, o curso auxiliar de saúde bucal, em umas das escolas da rede estadual, com a participação de mais 50 pessoas. Também já foi iniciado, em Juazeiro, o curso de marceneiro, em regime fechado, na penitenciária da cidade.

   18. Bolsonaro diz que irá a todos os debates se o médico autorizar.

   19. A polarização entre eleitores que tomou conta do Brasil elegeu um novo alvo após o resultado do primeiro turno da eleição presidencial deste domingo (07) ser conhecido: o Nordeste.

   20. A região foi a única onde o líder da votação não foi o ex-capitão Jair Bolsonaro (PSL), que ficou na frente nos demais cinco estados do Brasil: Centro-Oeste, Norte, Sudeste e Sul.

   21. O candidato do PT, Fernando Haddad, superou Bolsonaro em praticamente todos os estados nordestinos: em Alagoas (com 44,75% dos votos válidos), na Bahia (60,28%), no Maranhão (61,26%), na Paraíba (45,46%), em Pernambuco (48,87%), no Piauí (63,40%), no Rio Grande do Norte (41,19%), e em Sergipe (50,09%).

   22. Reeleito no domingo,o deputado estadual Dr. David Rios, enviou, nesta segunda-feira (dia 8), uma mensagem aos eleitores agradecendo pelos 49.504 votos recebidos, e observando que no segundo mandato aumentará a sua responsabilidade e sua dedicação para com o povo da Bahia, O parlamentar disse ainda que sua vitória “é de todos aqueles que acreditam que, com trabalho sério, honrado e persistente é possível transformar a Bahia, levando mais saúde, educação, segurança, emprego e renda e melhor qualidade para todos os baianos.

   23. Ele reconheceu também que eleição nunca foi fácil, principalmente esta do domingo, com pouco tempo de propaganda, pouco dinheiro e que serviu de “laboratório” de campanha para futuras disputas eleitorais. Por fim, garantiu que não lhe faltarão coragem e disposição para prosseguir sua luta pela melhoria do serviço público de saúde, sobretudo através do fortalecimento do SUS, sua principal bandeira de atuação parlamentar.