segunda-feira, 15 de outubro de 2018
Esporte

COM A FORÇA DO APITO GRÊMIO EMPATA COM BAHIA, ZÉDEJESUSBARRÊTO

Juiz expulsa jogador do Bahia e marca um pênalti
ZedeJesusBarrêto ,  Salvador | 06/10/2018 às 23:46
Grêmio 2x2 Bahia
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

  Mesmo com um atleta a menos em campo desde os 10 minutos da segunda etapa, o Bahia esteve na frente do placar, dois gols de frente, até os 39 minutos do segundo tempo. O Tricolor baiano jogou muito bem na primeira etapa, quando venceu por 1 x 0. E a arbitragem foi fundamental para o empate gremista, expulsando injustamente o zagueiro Jackson aos 10 minutos da segunda etapa e  inventando um pênalti em favor do Grêmio, aos 43 minutos. O resultado de 2 x 2 terminou sendo muito cruel com a equipe baiana.

 O jogo foi bom de ver, equilibrado, limpo, bola no chão; valeu pela  28ª rodada, na Arena do tricolor gaúcho, o campeão da Libertadores, em Porto Alegre, time com a melhor defesa na competição.  Mais de 32 mil gremistas nas arquibancadas.

*

Classificação

 Com o resultado, o Bahia foi a 31 pontos ganhos e está em 14º lugar. O Grêmio foi a 51 e está em 5º lugar.  O Palmeiras lidera a competição, com 56 pontos, três à frente do Internacional, que é o segundo. O Flamengo é o terceiro, com 52, e o São Paulo é o quarto, também com 52.

 

*

Bola rolando

 Não poderia ter um começo melhor para o Tricolor baiano.

- Gol !  1 x 0 Bahia, logo aos 3 min. Lateral cobrada por Leo, forte, da esquerda, Nilton raspou de cabeça e Elber entrou rápido, fechando naE  direita e cabeceando livre para as redes. Ensaiadinha ?

  Aos 7’, num bom contragolpe, Gilberto entrou em velocidade pela direita e disparou forte; errou o alvo mas assustou o goleirão gremista.  Ao seu estilo, trocando passes, tabelando, empurrado pelas arquibancadas, o Tricolor gaúcho foi pra cima. O Bahia postado para o contragolpe em velocidade. Aos 15’, após falta levantada da direita, Cícero testou, livre, mas errou o alvo.

  E a arbitragem (paranaense, vizinha) já começou a empenar, a marcar faltas só em favor da equipe da casa, distribuindo cartões amarelos e reprimendas à toa aos atletas baianos, dois pesos, duas medidas. Tratamento afável com os gaúchos e todo rigor com os baianos.    

 Aos 24’, Cícero chegou a marcar um gol de cabeça, após bola alçada em cobrança de falta, mas o bandeira invalidou corretamente; posição de impedimento do meia Cícero, diante do goleiro. Aos 29’, após boa troca de passes no setor ofensivo, Nilton arriscou de fora, Grohe catou bem no chão. A equipe gaúcha tem mais posse de bola, joga mais no campo adversário, mas os baianos perigam quando roubam a bola, chegam bem ao ataque.

 Nos minutos derradeiros da primeira etapa, toda pressão dos gremistas, muitas bolas alçadas na área do Bahia, a defesa baiana portando-se bem.   Aos 43’, saiu o avante Everton, sentindo o músculo da coxa, e entrou o conhecido Marinho, aquele mesmo que foi ídolo no rival Vitória.

  O Grêmio teve mais a bola e volume de jogo, na primeira etapa. O Bahia bem postado atrás e chegando também na frente, fazendo um bom jogo coletivo, boa estratégia de jogo.  

*

  Nos vestiários, troca de goleiros no time gaúcho: saiu Grohe e entrou Paulo Vitor. A equipe da casa voltou marcando mais na frente, todo pressão. Aos 3’,o árbitro inventou uma falta quase em cima da linha da grande área baiana; Jael bateu forte mas Douglas rebateu bem. O árbitro só vê e marca faltas contra o Bahia. Domínio intenso gremista. Aos 10’, Ênderson Moreira trocou Gilberto (com cartão amarelo)  por Edigar Junio. 

No lance seguinte, Jackson divide uma bola por baixo com Capixaba e o árbitro o expulsa de campo.  Absurdo de arbitragem tendenciosa. Saiu Ramires entrou outro zagueiro, o zagueiro Ignácio, garoto, estreante.  Mesmo inferiorizado, com um atleta a menos em campo, a equipe  baiana não se abateu.

 - Gol ! 2 x 0 Bahia, Élber, aos 22 minutos.  Um chute enviesado e rasteiro de Ze Rafael da esquerda, Élber apareceu mais uma vez fechando da direita, livre, finalizando rasteiro, no canto.

  No Grêmio, saiu o apoiador Maicon e entrou mais um atacante:  André. Todo à frente. Aos 32’, saiu Nilton, exausto, entrou Élton no meio campo.  O Grêmio ronda, ronda a área baiana mas não encontra espaços para penetração.  Virou ataque contra defesa.

- Gol ! 2 x 1 Grêmio, aos 39’, Capixaba, fechando pela esquerda, após um passe longo de Alisson da direita, escorando de cara.

 Aos 42’, Marinho pedalou na área, adiantou demais a bola e atirou-se. O árbitro, mais que caseiro, apitou pênalti. Ora !

 - Gol ! 2 x 2, Jael bateu no canto e fez. Empatando. Aos 43’.

Aos 52’, Zé Rafael bateu falta no ângulo e o goleiro Paulo Vitor salvou, espalmando.  E acabou.

  Pela partida jogada, pela determinação de toda a equipe, pela bola jogada o Bahia merecia o triunfo, mas a arbitragem, safadinha ...   arrumou um empate para os sulistas.

*

Destaques

Todo o coletivo do Bahia, a estratégia de jogo, a vontade, a determinação dos jogadores. Muito boa atuação do Tricolor.

 Individualmente, o goleiro Douglas firme; muito segura a zaga com Jackson e Lucas Fonseca; muito bem Gregore, melhor ainda Nilton. Belíssimo primeiro tempo de Ramires; a manha de Gilberto e Élber !  Dois gols, desencantou?

 *

Ficha Técnica

                        Grêmio – Grohe, Leonardo, Geromel, Kannemann e J. Capixaba; Maicon, Cícero, Alisson e Luan; Jael e Éverton (o cebolinha). Técnico, Renato Gaúcho.  Três ex-Bahia na escalação gremista: Cícero, Juninho Capixaba e Jael.

                        Bahia – Douglas, Nino Paraíba, Jackson, Lucas Fonseca e Leo; Gregore, Nilton, Ramires e Ze Rafael;  Elber e Gilberto.  Treinador, Ênderson Moreira.

No apito, Rodolpho  Marques, do Paraná. Uma arbitragem descompensada, discriminatória, caseira e determinante para o placar. A expulsão de Jackson foi absurda e o pênalti em Marinho foi mais do que cavado. O soprador de apito, sulista, apitou favorecendo os sulistas, ignorando e escorraçando os nordestinos.  Tem sido assim, contra o Vitória também, contra o Sport...   

*

   Sequência

   O próximo jogo do Bahia pelo Brasileirão é contra o Paraná, em Pituaçu (a Fonte Nova está trocando o gramado).

   Pela Copa Sul-americana, o Bahia joga no dia 24/quarta-feira, em casa, contra o Atlético Paranaense; a decisão, em Curitiba, acontece dia 31, outra quarta.

**

Outros resultados

  - Atlético Paranaense 4 x 0 América Mineiro; Chapecoense 1 x 0 Atlético(MG);

     São Paulo 0 x 2 Palmeiras.

  - Na sexta: Vitória 0 x 1 Santos; Sport 2 x 1 Internaconal; Corínthians 0 x 3 Flamengo.

  - Na segunda-feira : Fluminense x Paraná.    Na terça: Botafogo x Vasco.

Cruzeiro x Ceará fecham a rodada 28, no dia 24 próximo, em Belô.  

 

**

   A bola pune

O vigoroso zagueiro Kanu, 34 anos, já não veste mais a camisa rubro-negra do Vitória. Ele fez 121 jogos pelo clube e marcou 16 gols (Flávio Tanajura fez 18). Estava sem atuar desde 12 de agosto, quando o Leão amargou uma goleada (4 x 0) contra o Grêmio.

 Na verdade, Kanu queimou o filme depois daquela agressão covarde em Vinícius (deu dois socos pelas costas e com o atleta adversário, companheiro de profissão, imobilizado, seguro pelo goleiro Fernando Miguel), no Ba x Vi da vergonha, em fevereiro, no Barradão.  Deixou escrito, na despedida:

  “Será que perto de entrar para a história do clube como o zagueiro que fez mais gols, eu não presto? E todos os jogos que salvei o time, já foi esquecido?”