24/04/2013 às 14:39

SERVIDORES ESTADUAIS fazem paralisação de advertência 24 horas, dia 25

Quinta-feira paralisação dos servidores estaduais da Bahia

Trabalhadores do serviço público estadual fazem paralisação geral de 24 horas nesta quinta-feira (25), com um ato em frente à Governadoria no Cetro Administrativo da Bahia (CAB), às 9h, para exigir mais celeridade ao governo Wagner no reajuste linear do funcionalismo.

A data-base dos servidores é o dia 1º de janeiro, mas o projeto de lei que irá reajustar os salários ainda não tem previsão para ser enviado à Assembleia Legislativa da Bahia. Os trabalhadores também reivindicam que o aumento seja retroativo.

A decisão pela paralisação foi tomada na última sexta-feira (19), em plenária conjunta da Federação dos Trabalhadores Públicos da Bahia (FETRAB), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Associação dos Funcionários Públicos (AFPEB).

Aderem ao movimento os fazendários, professores (que estarão em greve nacional), agentes penitenciários, agentes de defesa agropecuária da ADAB, motoristas, trabalhadores do Derba (Departamento de Estradas Rodagem da Bahia) e do Poder Judiciário. No mesmo dia os trabalhadores em Saúde realizam assembleia da categoria.


O governo do estado já deu intenções de que pretende aplicar o aumento de 5,84% como reajuste salarial dos cerca de 260 mil servidores estaduais ativos e aposentados, o mesmo percentual da inflação oficial de 2012, medida através do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Entretanto, as entidades ligadas aos trabalhadores afirmam que esse repasse não seria suficiente, pois deixaria grande parte dos trabalhadores do estado com vencimentos inferiores ao salário mínimo nacional que foi reajustado em 9%.

Com a paralisação, os servidores públicos esperam dar visibilidade à campanha salarial 2013, a luta pelo pagamento da URV e demais reivindicações encaminhadas ao governo ainda em dezembro de 2012 contendo um estudo do DIEESE que dá conta das perdas salariais da ordem de 33,54% para auxiliares e pessoal de nível superior e de 64,77% para os técnicos de nível médio.