quarta-feira, 21 de novembro de 2018
Direito

FEIRA: 150 CASAIS participam de casamento coletivo e dizem sim oficial

Com informações da Secom FSA
Da Redação , FSA | 08/11/2018 às 18:27
O casal mais antigo
Foto: PMFS
O que para alguns pode significar somente uma “satisfação” à sociedade, a oficialização da união matrimonial, com a troca do “sim”, teve um significado todo especial para a estudante feirense Raquel Alves Santos, 16 anos. Ao dar o importante passo e entrar para o rol dos casados, na manhã desta quinta-feira, 8, elarealizou um sonho de adolescente, ainda na própria adolescência, reafirmando o desejo de “viver para sempre ao lado da pessoa que eu amo”, Jéferson Barreto, 23 anos.

Ao lado de outros 149 casais, Raquel e Jéferson participaram da 17ª edição do Casamento Coletivo do programa Família Cidadã, promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) em parceria com a Justiça. O evento reuniu centenas de pessoas, dentre noivos, padrinhos e convidados, no Ginásio de Esportes do Serviço Social da Indústria (Sesi), no bairro Alto do Cruzeiro.

Gesseiro, Jéferson diz ter sido paixão à primeira vista ao dar início ao relacionamento com Raquel, uma história iniciada há três anos. “Agora, com nosso casamento, muda tudo em nossas vidas. Vamos terminar a construção de nossa casa e ter filhos”, afirma.

Raquel e Jéferson formaram o casal mais jovem a participar do Casamento Coletivo este ano. Além deles, a menor Monique Brito Sena, 17 anos, também se casou com Kevyn Pedreira da Fonseca.

Decisão pelo casamento veio após a família formada

Com um filho de oito anos e após 10 anos de convívio, o encarregado de montagem Brasiliano Ferreira dos Santos, 65 anos, finalmente cedeu aos desejos da companheira, a dona-de-casa Lucinalva Bispo de Araújo, 42 anos, e oficializaram a união matrimonial.



Mais velho casal a trocar o “sim” na manhã desta quinta-feira, 08, durante o Casamento Coletivo 2018 promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) em parceria com a Justiça, Brasiliano e Lucinalva levaram uma década de relacionamento amadurecendo a idéia da oficialização do casamento.


Eles chegaram ao consenso de que realmente havia chegado a “hora certa” de se casarem, mas faltava só um “empurrãozinho” para fazer frente às despesas com as custas processuais que eles não tinham como arcar. E, assim, conforme revelou a então noiva durante a cerimônia, “agarramos a oportunidade de casamento sem despesas, oferecida pela Prefeitura”.

Ao colocar a aliança no dedo pela primeira vez, Lucinalva desabafou, com um largo sorriso: “É a realização de um sonho”.

Oficializar casamento é a garantia de direitos, alerta secretário

A oficialização do casamento perante a Justiça, conforme alerta o secretário de Desenvolvimento Social (Sedeso), Ildes Ferreira, representa a garantia de direitos a benefícios assegurados por lei. São direitos que além de contemplar o casal com a união estável, também são alcançados por todos os membros da família.

Para o secretário Ildes Ferreira, a legalização da situação da união perante a Justiça, com o casamento estável proporcionado através do projeto social Família Cidadã, desenvolvido pela Sedeso em parceria com a Justiça, abre portas para a garantia de direitos conquistados. “Permite sobretudo o direito a benefícios, que muitos não têm por não estarem com a situação resolvida, mesmo convivendo juntos”, observou.

Justamente diante destas possibilidades de garantia de direitos assegurada pela Justiça é que se sustenta o projeto de Casamento Coletivo, que este ano completou 17 anos de implantação pelo Governo Municipal de Feira de Santana.

Os preparativos para o casamento coletivo 2018, que contam com apoio da Justiça, abrindo mão das custas processuais, já vêm sendo desenvolvidos desde abril deste ano, conforme observa o prefeito Colbert Martins Filho. “A Justiça tem uma importante participação dando formato legal à união dos casais. E o casamento é muito importante para dar segurança a todos da família”, afirmou.